publicidade

Mudanças de hábito regulam pressão baixa

Uso de medicamentos pode ser dispensável entre pessoas que sofrem do problema

Por Minha Vida - publicado em 08/05/2009


Pouco comentada, mas bastante inconveniente a pressão baixa faz muita gente desmaiar à toa e passar mal quando o clima esquenta um pouco. Mas o problema, que deixou de ser encarado como doença, tem solução muito mais simples do que você pode imaginar. A pressão baixa, na maioria dos casos, pede ajustes de comportamento e de hábitos, não há necessidade de remédios para correção , afirma o cardiologista José Pedro Jorge Filho, membro do Comitê de Cardiologia da Unimed-BH.

A seguir, o médico desfaz uma série de mitos sobre a pressão baixa e ainda dá uma dica para você ficar atento ao que mostra o aparelho que mede a pressão muitas vezes, os índices são normais e a variação baixa é resultado do mau ajuste no medidos que se prende ao braço.

Falta de sódio causa pressão baixa.
Falso. Chamamos pressão baixa quando a pressão máxima, ou sistólica, está abaixo de 90 mmHg (abaixo de 9, exemplo 8 por 5). Existem dois grandes grupos de pressão baixa: aquela que chamamos de constitucional, que faz parte da constituição da pessoa e é normal" para ela. E aquela relacionada a problemas como desidratação, sangramento, calor intenso, reações alérgicas graves, doenças da glândula supra-renal e cardíacas e uso de alguns medicamentos, como os antidepressivos mais antigos. A falta de sódio, em geral, não leva à pressão baixa, pois a necessidade diária do organismo é de dois gramas por dia, e a dieta brasileira média tem de 12 a 15 gramas, portanto, muito mais que o mínimo necessário.

Por uma pitada de sal na boca de uma pessoa com pressão baixa ajuda a melhorar.
Falso. O melhor tratamento para a pressão baixa é aquele dirigido à causa básica que a provocou. O uso de sal, em geral, não traz benefícios, a não ser que faça parte de uma bebida do tipo Gatorade ou similar para repor perdas intensas de líquidos e eletrólitos por suor excessivo, por exemplo.

Pressão baixa também é um problema crônico, como a hipertensão.
Falso.Nos casos ditos "constitucionais", ou seja, da constituição da pessoa, é crônico, mas não é considerado um problema, pois essas pessoas vivem bem com esta pressão e não têm maiores riscos. Deve-se lembrar ainda que mulheres jovens com um braço muito fino podem ter a leitura de pressão falsamente baixa, devido ao tamanho desproporcional do manguito (peça de borracha revestida com tecido utilizada para medir a pressão), em relação ao braço.

Pressão baixa precisa ser tratada com remédios.
Falso. Antigamente, antes de se entender que a pressão baixa em geral não é um grande problema, existiam medicamentos para elevar a pressão. Depois, viu-se que eles não ajudam em nada. O tratamento atual consiste em atacar a causa básica, ou seja, líquidos no caso de desidratação; mudar para um lugar mais fresco, se calor excessivo, e assim por diante. Na maioria das vezes, devido ao seu caráter benigno, a pressão baixa não necessita tratamento.

Uma pessoa com pressão baixa pode vir a ter hipertensão.
Verdade. Há muitos casos de pessoas com pressão mais baixa na juventude e que, aos 40 anos de idade, ficam hipertensas. Isso depende se existem hipertensos na família, se a pessoa engorda muito ou não tem hábitos saudáveis, como alimentação excessivamente gordurosa e salgada, excesso de bebidas alcoólicas e sedentarismo.

Calor causa pressão baixa.
Verdade. O calor é um vasodilatador, ou seja, dilata os vasos e faz com que a pressão abaixe, mesmo nos hipertensos, que precisam de menos remédio para baixar a pressão no verão e mais no inverno. Outro exemplo é quando tomamos sauna. Ao sairmos, temos que tomar uma ducha fria, ou a pressão pode cair demais.

Laxantes e remédios para emagrecer causam pressão baixa.
Verdade. Laxantes e fórmulas para emagrecer podem causar queda de pressão pelo efeito de tirar líquidos do organismo e, com isso, reduzir o volume circulante, o que não é uma forma nada saudável de se perder peso.

Quando acontece o desmaio por pressão baixa, o melhor é fazer a pessoa ficar logo de pé.
Falso. Quando vemos que uma pessoa vai desmaiar, a primeira coisa é ampará-la, para que não caia e se machuque, e deitá-la. Nunca devemos mantê-la em pé, mesmo desmaiada. Na posição horizontal, o sangue flui melhor para o cérebro do que em pé, devido à gravidade. Uma vez deitada, o ideal é folgar suas roupas, se apertadas, para que ela respire melhor. Outra iniciativa é elevar ligeiramente as pernas, o que aumenta o retorno venoso para o tórax e o cérebro. Se, mesmo assim, a pessoa não recobrar rapidamente a consciência, é hora de buscar ajuda médica.

Sentir tontura ao se levantar rapidamente da cama ou de uma cadeira é normal.
Algumas pessoas, quando ficam muito tempo deitado, vendo TV ou estudando e se levantam rapidamente, costumam ter escurecimento visual e até desmaiar. Isso ocorre porque houve um acúmulo de sangue na parte inferior do corpo, devido à gravidade, sem ter tido tempo para o corpo se adaptar à nova posição. O problema não pede medicação, exceto evitar levantar-se bruscamente. Exercícios regulares também ajudam.



Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X