Contração muscular espasmódica

Visão Geral

O que é Contração muscular espasmódica?

Contração muscular espasmódica é definida como uma pequena contração em algum músculo do corpo. Os músculos são compostos de fibras, tecidos e nervos. Quando um nervo é estimulado ou danificado, pode fazer com que as fibras musculares sofram uma contração.

Muitas vezes o sintoma pode passar despercebido e não indicar nada grave. No entanto, outros tipos de espasmos podem ser sinal de uma doença do sistema nervoso, pedindo acompanhamento médico.

Sinônimos

Fasciculação muscular; Fasciculação do músculo

Causas

As causas mais comuns e menos graves de contração muscular espasmódica incluem:

  • Exercício
  • Estresse e ansiedade
  • Cafeína e outros estimulantes
  • Deficiências nutricionais
  • Tabagismo
  • Irritação das pálpebras ou superfície do olho
  • Resposta a fármacos, tais como corticosteroides, estimulantes e estrógeno.

Muitas vezes, os espasmos causados por esses fatores ocorrem nas pálpebras ou polegares. Essa situação é bastante comum e os sintomas geralmente desaparecem depois de um ou dois dias.

Há também causas menos comuns e mais graves de contração muscular. Algumas destas condições incluem:

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Contração muscular espasmódica raramente é uma situação de emergência. No entanto, em alguns casos o espasmo pode indicar uma condição médica séria. Marque uma consulta médica se o espasmo muscular for um problema crônico ou persistente, principalmente se afetar sempre o mesmo local.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar as causas de contração muscular espasmódica são:

  • Clínico geral
  • Fisiatra
  • Fisioterapeuta
  • Ortopedista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas começaram?
  • Eles são contínuos ou ocasionais?
  • Quão graves são os seus sintomas?
  • Alguma coisa parece piorar os sintomas?
  • Alguma coisa parece melhorar os sintomas?
  • Alguém da sua família tem os mesmos sintomas?
  • Quais medicamentos você toma regularmente ou tomou recentemente?
  • Você fuma? Com que frequência?
  • Foi recentemente exposto a algum tipo de estresse mais grave do que o normal?.

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para contração muscular espasmódica, algumas perguntas básicas incluem:

  • O que provavelmente está causando os meus sintomas ou condição?
  • Quais são as outras causas possíveis para os meus sintomas ou condição?
  • Que tipos de testes que eu preciso?
  • Minha condição é temporária ou crônica?
  • Quais são as alternativas para o tratamento que você está sugerindo?
  • Eu tenho essas outras condições de saúde. Como gerenciar os tratamentos?
  • Preciso fazer alguma restrição daqui em diante?
  • Existe uma alternativa genérica para o medicamento que você está prescrevendo?
  • Há algum material impresso que eu posso levar comigo? Quais sites você recomenda?.

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Convivendo (prognóstico)

Cuidados

Normalmente, medicamentos não são necessários para contração muscular espasmódica, uma vez que a condição desaparece em algumas horas ou dias. Entretanto, é possível prevenir o problema comendo uma dieta balanceada, dormindo adequadamente, manejando o estresse e limitando o consumo de cafeína.

Se você tem contração muscular espasmódica constante nos olhos, tente usar lubrificantes. Se os espasmos duram mais de uma semana, consulte um médico.

Fontes e referências

  • -Ministério da Saúde;Mayo Clinic
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não