PUBLICIDADE

Conheça os tipos de cânceres de pele mais frequentes

Eles correspondem a 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil

Embora o câncer de pele seja o tipo mais frequente, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), quando detectado precocemente apresenta altos percentuais de cura. A doença é mais comum em indivíduos com mais de 40 anos, sendo relativamente rara em crianças e negros, com exceção daqueles que apresentam doenças cutâneas prévias. Indivíduos de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou que apresentam outros transtornos dermatológicos são as principais vitimas do câncer de pele.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como a pele é o maior órgão do corpo e considerado bastante heterogêneo, este tipo de câncer pode apresentar neoplasias diferentes (proliferação celular que resulta em tumor benigno ou maligno). Os mais frequentes são: carcinoma basocelular (ou de células basais), que de acordo com o Inca é responsável por 70% dos diagnósticos de câncer de pele; carcinoma epidermoide (ou de células escamosas) em 25% dos casos e melanoma, detectado em 4% dos pacientes. Felizmente o carcinoma basocelular, mais frequente, é também o menos agressivo.

câncer de pele

Segundo o dermatologista do Hospital Albert Einstein, Mário Grinblat, o basalioma (carcinoma basocelular) quase não se comporta como câncer. "É um tumor que tem uma evolução bastante lenta, tanto em lateralidade como em profundidade", diz. Aparece como uma lesão ou mancha áspera, que pode sangrar ou não, e não causa metástase. Os carcinomas basocelular são originários da epiderme e dos apêndices cutâneos acima da camada basal, como os pelos, por exemplo. Assim como o epidermoide, considerados cânceres de pele de tipo não melanoma, apresenta altos índices de cura, principalmente devido à facilidade do diagnóstico precoce.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já os carcinomas epidermoides têm origem no queratinócio da epiderme (que apresenta células cúbicas, escamosas ou achatadas, com mais queratina que a camada basal), por isso, é também conhecido como câncer de células escamosas ou da camada espinhosa da pele. Este tipo é passível à formação de metástase e não tem malignicidade apenas local.

O câncer de pele não melanoma pode apresentar dois tipos de diagnóstico. O carcinoma basocelular é diagnosticado através de uma lesão (ferida ou nódulo) de evolução lenta. O carcinoma epidermoide também surge por meio de uma ferida, porém, que evolui rapidamente e vem acompanhada de secreção e de coceira. Em ambos os casos, a cirurgia é o tratamento mais indicado. Porém, dependendo da extensão, o carcinoma basocelular pode também ser tratado através de medicamento tópico ou radioterapia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Conheça os tipos de cânceres de pele mais frequentes - Foto: Getty Images
Conheça os tipos de cânceres de pele mais frequentes - Foto: Getty Images

O terceiro tipo mais frequente, o melanoma cutâneo, é um tipo de câncer que tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele) e tem predominância em adultos brancos. Embora só represente 4% dos tipos de câncer de pele, o melanoma é o mais grave devido à sua alta possibilidade de metástase e letalidade elevada.

O prognóstico desse tipo de câncer pode ser considerado bom, se detectado nos estádios iniciais. Nos últimos anos, houve uma grande melhora na sobrevida dos pacientes com melanoma, principalmente devido à detecção precoce do mesmo, não apenas através de exames clínicos, mas de dermatoscopia, explica Mário. De acordo com dados do Inca, nos países desenvolvidos, a sobrevida média (estimada em cinco anos) é de 73%, enquanto que nos países em desenvolvimento é de 56%, e a média mundial é de 69%.

O melanoma pode surgir a partir da pele normal ou de uma lesão pigmentada. A manifestação da doença na pele normal se dá a partir do aparecimento de uma pinta escura de bordas irregulares acompanhada de coceira e descamação.

Em casos de uma lesão pigmentada pré-existente, ocorre um aumento no tamanho, uma alteração na coloração e na forma da lesão que passa a apresentar bordas irregulares. A cirurgia é o tratamento mais indicado, entretanto, a radio e a quimioterapia também podem ser utilizadas dependendo do estágio do câncer.

câncer de pele

câncer de pele

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

câncer de pele

câncer de pele

Conheça os tipos de cânceres de pele mais frequentes - Foto: Getty Images
Conheça os tipos de cânceres de pele mais frequentes - Foto: Getty Images

Conheça os tipos de cânceres de pele mais frequentes