PUBLICIDADE

Psicólogo ou psiquiatra: quando buscar cada tratamento

Cada profissional tem um papel ao tratar pessoas com transtornos psiquiátricos e dar qualidade de vida aos pacientes

Quem nunca se perguntou a diferença de um psicólogo com um psiquiatra? Quantas vezes você já não ouviu um amigo falar assim: "Não estou muito bem, acho que estou muito estressado. Queria tratar isso, mas não sei se procuro um psicólogo ou um psiquiatra?". Ou também não ouviu alguém responder assim: "psicólogo te ouve e psiquiatra dá remédio".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Essas são duas frases do senso comum que venho explicar um pouco. O psiquiatra é um médico que, além dos 6 anos de medicina, faz mais 3 anos de especialização em psiquiatria. Por ser uma especialidade médica, ele pode fazer o diagnóstico de doenças psiquiátricas, tratar, curar e promover qualidade de vida.

O psiquiatra realmente é o único capacitado em prescrever medicação, mas isso não exclui o fato de ter que ouvir o paciente e todas as suas demandas. Ouvir é uma das maiores responsabilidades do médico para que consiga ajudar o paciente nas suas queixas. O psiquiatra de modo geral trata as pessoas que passam por algum transtorno, mas não necessariamente necessita do uso da medicação.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O psicólogo é um profissional que escolheu cursar psicologia. Essa é uma área muito ampla. Esse profissional pode trabalhar em consultórios de psicologia, na área educacional, na área organizacional de empresas como RH e até na clínica esportiva. Suas técnicas visam analisar o comportamento humano, seja de pessoas com transtorno mental ou sem, intervindo nos problemas emocionais, comportamentais ou mentais. O psicólogo promove a melhora do seu cliente fazendo o mesmo refletir sobre as suas emoções e seu comportamento.

Psicólogo ou psiquiatra

A psicologia não trata necessariamente pessoas com algum transtorno psiquiátrico. Ela ajuda as pessoas que estão buscando alguma orientação, passando por um processo de luto, com dificuldades na sua vida emocional, pessoal, profissional ou social. Todavia, elas também podem ajudar no tratamento de pessoas com quadros psiquiátricos. É nesse momento que se faz necessária a intervenção dos dois profissionais, tanto o psicólogo quanto o psiquiatra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Normalmente, a diferenciação mais prática é a seguinte: Se você está se sentindo mais ansioso do que o seu normal, com medo, com sintomas físicos de ansiedade, ou então com uma tristeza, desânimo, sem prazer nas coisas que gosta por algumas semanas, provavelmente está num quadro psiquiátrico. Nesse caso, vale à pena a busca pelo psiquiatra. Ele te avaliará e poderá acompanhar bem como fazer o encaminhamento ao psicólogo.

Por outro lado, se estiver com algum problema na vida pessoal que traga angústia ou que esteja com dificuldade de resolver sozinho, o psicólogo ajudará. O psicóloga também te ajudará caso esteja com algum tipo de sofrimento na vida profissional e pessoal, mas que não esteja causando uma angústia a você a ponto de mudar a forma como vive, pensa e sente o mundo.

De modo geral, a psicologia e a psiquiatria são áreas que se apoiam e trabalham juntas no desenvolvimento do ser humano. Elas são complementares no seu ramo de ação. Além disso, o profissional capacitado, seja ele psiquiatra ou psicólogo, saberá quando deve fazer o encaminhamento para um ou para o outro. É parte das habilidades de ambos profissionais entender se o paciente que está a sua frente necessita ou não da sua ajuda. Também sabe diferenciar se deverá ou não intervir.

O que costumo dizer nas situações de maior dúvida é: Não se preocupe em quem procurar. O importante é apenas procurar ajuda!