PUBLICIDADE

"Melzinho do amor" pode causar danos graves à saúde

Proibido pela Anvisa, o estimulante sexual pode levar à necrose do pênis e à hipotensão arterial

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Uma pesquisa apontou que o "Melzinho do amor", suposto estimulante sexual, pode oferecer graves riscos à saúde. O alerta foi feito pelo Laboratório de Toxicologia Analítica do Centro de Informação e Assistência Toxicológica da Unicamp (CIATox).

De acordo com o estudo, apesar de as embalagens apontarem o produto como 100% natural, após uma análise laboratorial foi detectada a presença de dois fármacos de origem sintética utilizados para tratamento da disfunção erétil.

Vendido em forma de sachê, o "Melzinho do amor" ganhou bastante sucesso no comércio popular ao prometer aumento da libido de forma imediata e milagrosa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Contudo, mesmo tendo sua comercialização proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde 27 de maio de 2021, o produto ainda pode ser encontrado em lojas na internet e em comércio ambulante.

Segundo o estudo feito pela Unicamp, as substâncias encontradas nesse estimulante sexual podem causar efeitos colaterais graves e até risco de morte, especialmente sem a devida prescrição e administradas de maneira incorreta.

Riscos do "Melzinho do amor"

De acordo com a análise feita pelo Laboratório de Toxicologia da Unicamp, além de o produto conter substâncias como café, extrato de caviar, ginseng (planta de origem oriental), maçã, gengibre, canela, mel da Malásia e Tongkat Ali (Eurycoma longifolia), há também a presença de Sildenafila e Tadalafila.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tais componentes são fármacos encontrados em medicamentos para disfunção erétil, vendidos somente com prescrição médica.

O perigo do consumo desse estimulante é que, justamente devido à presença dessas substâncias, há um risco, sobretudo para pessoas que sofrem de problemas de saúde, como cardiopatias e hipertensão descontrolada.

Os pesquisadores também alertam para outros efeitos indesejados e graves que o produto pode causar, como o priapismo prolongado, ereção longa e dolorosa que pode levar à necrose do pênis, e lesão irreversível do membro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Além disso, misturar o produto com álcool ou outros fármacos pode intensificar os efeitos colaterais e levar a sintomas como tontura, hipotensão arterial e dores de cabeça.

Como aumentar a libido?

A disfunção erétil e problemas com a libido podem surgir a partir de disfunções físicas ou psicológicas. Dessa forma, é sempre muito importante consultar um especialistas e passar por uma avaliação médica.

Existem casos menos graves em que é possível lidar com a diminuição da libido de maneira simples e natural. Algumas pesquisas apontam que o banho de sol, por exemplo, pode aumentar o desejo sexual de homens e mulheres. Além disso, tanto a alimentação como hábitos de vida podem influenciar na diminuição ou no aumento dos impulsos sexuais.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O importante é não descartar uma visita médica a fim de um diagnóstico mais preciso e um tratamento adequado.

Saiba mais

Tomar sol pode aumentar a libido de homens e mulheres

Alimentos afrodisíacos: veja quais realmente funcionam

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que é libido: veja como driblar a falta de desejo na cama