5 curiosidades sobre como o bebê pensa

Simples ações do dia a dia são processadas de forma complexa pelo cérebro dos pequenos

Os bebês absorvem as informações que os cercam de maneira profunda, e a ciência descobre fatos inéditos sobre o funcionamento do cérebro deles a cada dia que passa. Até mesmo pequenos detalhes são captados por suas mentes, e fazem a diferença para este vasto universo em formação que é a mente humana.

Para entender como os bebês podem ser surpreendentes na hora de formar suas ideias e pensamentos, listamos cinco curiosidades sobre o assunto:

1. O carinho modifica o cérebro dos bebês

Quando você abraça e demonstra carinho por seu filho, você o ajuda a ter mais confiança em si mesmo. Além disso, ao expressar afeto ao pequeno, você o faz sentir amado e acolhido, o que traz inúmeros benefícios para sua saúde física e emocional.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo uma pesquisa realizada pelo National Children's Hospital, crianças que recebem abraços e colo têm suas respostas neurais à estímulos externos potencializadas. Outro estudo feito pela Escola de Medicina da Universidade de Miami ainda apontou que bebês prematuros que receberam massagens durante o dia, ganharam uma quantidade satisfatório de peso.

2. Eles aprendem a ter persistência observando os pais

Ser esforçado e persistente são duas características que podem ser assimiladas pelo contexto social. Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts, quando os bebês veem seus pais se esforçando para realizar alguma tarefa, eles absorvem essa vivência, e a incorporam no futuro.

Em contrapartida, quando os pequenos vêem seus pais conseguirem as coisas com facilidade, ou desistindo rapidamente, eles podem acabar se tornando crianças menos perseverantes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

3. Bebês gostam de ouvir vozes uns dos outros

No início de suas vidas, o choro dos bebês significa desconforto. Porém, com o passar dos tempos, eles começam a vocalizar suas necessidades. E de acordo com uma pesquisa publicada pelo EurekAlert, os bebês se engajam mais com a voz de outros pequenos.

Segundo o estudo, os bebês desviam seu olhar e interagem muito mais com o som uns dos outros, do que com o de seus pais. Para a autora da pesquisa, isso mostra que os bebês não desenvolvem seu poder de fala exclusivamente por si mesmos. O convívio com outros bebês também forma e estimula suas respostas comunicativas.

4. Elas refletem sobre seus nomes

O nome que você escolhe para o seu filho pode afetar diretamente sua autoestima. Isto porque nomes incomuns ou de grafia peculiar, podem gerar situações embaraçosas para o pequeno no futuro. Além disso, um estudo aponta que nomes complicados podem prejudicar a autopercepção do bebê, que terá dificuldades em reconhecer seu nome por conta de uma pronúncia complexa, por exemplo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

5. Bebês sorriem para ver suas mães sorrindo de volta

Segundo um estudo conduzido por psicólogos comportamentais, os bebês não começam a sorrir à toa. É necessário interagir com os pequenos para que eles abram um sorriso, e os bebês sabem exatamente em quais situações e por quanto tempo devem realizar a ação para receber alguma resposta emocional. Através desse comportamento, eles expressam um desejo por atenção.