PUBLICIDADE

Homeopatia pode ajudar nas cólicas do bebê

Veja como as técnicas desta medicina podem aliviar estas dores

Quem não se emociona e se sensibiliza ao ver um bebê chorando em uma crise de cólicas? Fica-se sem saber o que fazer. O problema é que a cólica é um problema comum: elas ocorrem em cerca de 20% das crianças entre um e três meses de vida. Normalmente elas acontecem no final da tarde e início da noite, o que chamo de "horário da bruxa".

O mais comum é que elas seguem a regra do três:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

As cólicas costumam estar relacionadas à alimentação, mas mesmo mães muito cuidadosas com o que comem, a exposição do bebê e ambiente favorável podem precisar enfrentar o problema com seus filhos.

Como a homeopatia pode ajudar nas cólicas do bebê?

O uso da homeopatia nos dá um diferencial em relação a alopatia: conseguimos observar o bebê e caracterizar melhor a medicação de acordo com seus sintomas. Não é medicação para cólica simplesmente, mas para a cólica de seu bebê, afinal são crianças diferenciadas.

Para fazer essa avaliação, como os bebês não falam, é preciso observar alguns sinais:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Desta forma, olhando estes fatores, conseguimos resultado mais rápido por ser mais individualizado. Observar com atenção como é o choro e as posições que o bebê procura para melhorar ajudam nesta individualização.

Cuidado gerais com as cólicas do bebê

São inúmeros os fatores que podem levar o bebê a ter cólicas. Pesquisas recentes demostram que parece existir no intestino dessas crianças uma diferença de flora bacteriana, existindo uma bactéria que aumentaria essa inflamação intestinal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Imagine essa situação: bebê ficou nove meses com suas necessidades supridas pela mãe via cordão umbilical. Ele nasce, suga leite em sala de parto e aí tem de dar conta de sensações muito novas: sugar, arrotar, fazer digestão, fazer força e eliminar fezes e gases. É muita coisa nova e o bebê assusta. Existe uma imaturidade do intestino do bebê, não conseguindo ainda que os movimentos peristálticos do intestino sejam coordenados, além disso algumas enzimas aumentam a formação de gases.

Em relação ao leite materno, o leite de início da mamada tem mais água e lactose. Esta última, sendo um açúcar, fermenta produzindo cólicas. A lactose é importantíssima como prebiótico, então nem pensar em intolerância a lactose (quadro extremamente raro). Amenizamos as cólicas orientando a mãe que dê essa mama ate o final, pois a troca de uma mama para outra faria a ingesta de mais leite de início, com mais lactose e mais cólica. Em contrapartida a lactose aumenta o movimento intestinal, aumentando o número de evacuações e com isso eliminando mais gases.

Em relação a mamada, posicionar adequadamente mama e bebê para que não degluta tanto ar o que também pode ser fator de cólicas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No momento da dor, alguns cuidados podem ajudar:

Também é importante que a mamãe faça um apanhado geral do que comeu no dia, às vezes temos um alimento novo que pode ser fator de agravação.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mas de modo geral, a melhor receita ainda é compreensão, olho no olho, contato pele-a-pele, aconchego e acalento.