PUBLICIDADE

11 fatores que favorecem o envelhecimento precoce

Inflamações e estresse deixam seu corpo suscetível aos sinais da idade

Inúmeros fatores influenciam o aspecto visual de uma pessoa, desde a dieta até os vícios e a maneira como ela lida com as suas obrigações diárias. Há ainda influências externas, como poluição, trânsito e pressão no ambiente de trabalho ou estudo. O resultado de tudo isso pode não só afetar a saúde como ainda causar o chamado envelhecimento precoce. Veja quais são os hábitos inimigos da boa aparência e como contornar os sinais da idade:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Exposição ao sol

Mulher aproveitando o sol na praia - Foto: GettyImages
Mulher aproveitando o sol na praia - Foto: GettyImages

A exposição inadequada ao sol é o principal agente causador do envelhecimento precoce, pois causa degeneração precoce e cumulativa da pele, promovendo o aparecimento de rugas e manchas. Em alguns casos, pode até levar ao desenvolvimento de um câncer. É importante lembrar que o sol é extremamente saudável para a saúde, mas em excesso ou sem proteção é muito perigoso.

Por isso, é fundamental usar filtro solar com FPS 15 (no mínimo) todos os dias e evitar a exposição ao sol entre as dez horas da manhã e as quatro horas da tarde. Lembre-se também de que o protetor solar só funciona meia hora depois de entrar em contato com a pele e que ele não dura um dia inteiro. "Repasse o produto a cada duas ou três horas", recomenda a dermatologista Patrícia Fagundes, do Hospital 9 de julho

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Poluição

Congestionamento de carros em cidade poluída - Foto: GettyImages
Congestionamento de carros em cidade poluída - Foto: GettyImages

Quanto mais poluído o ar também, menor a quantidade de oxigênio o que, consequentemente, reduz a oxigenação dos nossos órgãos e tecidos. Os gases nocivos encontrados no ar poluído formam uma película de toxinas que é absorvida por meio da pele, aumentando as reações de oxidação e formação de radicais livres que agridem o órgão. O excesso de poluição oxida as células tanto da pele como do organismo todo. Por isso, para evitar essa reação, é importante proteger a pele diariamente, aplicando protetor solar, hidratante e fazendo a higienização para eliminar as impurezas.

Estresse

Mulher estressada com o computador no trabalho - Foto: GettyImages
Mulher estressada com o computador no trabalho - Foto: GettyImages

O estresse prolongado aumenta a produção de radicais livres, intensificando o processo de oxidação das células. É o chamado estresse oxidativo, que desempenha papel central na condução de eventos que causam o envelhecimento. Ele altera os ciclos de renovação celular e provoca danos ao DNA que promovem a liberação de agentes inflamatórios. O primeiro impacto é o envelhecimento precoce da pele, afirma a dermatologista Cristiane Dal Magro, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. "O estresse oxidativo celular causará a degradação do colágeno (substância que dá sustentação à pele) e a acumulação de elastina, que é uma característica da pele fotoenvelhecida", explica.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A oxidação das células levará a produção de substâncias inflamatórias que geram uma cadeia de desequilíbrio no nosso corpo. "Isso causa o aumento dos níveis de colesterol ruim e, aumento de gordura no fígado, diabetes tipo 2, elevação da pressão arterial, do risco de aterosclerose e consequentemente de doenças cardíacas e cerebrovasculares", explica a endocrinologista Andressa Heimbecher, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia. Pessoas estressadas também costumam ter hábitos de vida poucos saudáveis - alimentação desregrada e rotina sedentária. Saber conciliar tarefas é um desafio atualmente, mas é essencial para a saúde e para impedir o envelhecimento precoce.

Má alimentação

Homem jovem comendo bolo de chocolate - Foto: GettyImages
Homem jovem comendo bolo de chocolate - Foto: GettyImages

Uma dieta inadequada pode favorecer o envelhecimento precoce de diversas maneiras, a começar pelo aumento de peso. "O excesso de peso está associado com mudanças na estrutura do colágeno, que é responsável pela sustentação e firmeza da pele, além de participar do processo de cicatrização - como resultado, o corpo forma mais rugas e flacidez", afirma a dermatologista Cristiane.

A alimentação rica em gorduras e alimentos industrializados aumenta a produção de radicais livres. Da mesma forma, uma dieta pobre em verduras, frutas e legumes não fornece os antioxidantes que o organismo precisa para combater esses radicais. Quando há um desequilíbrio entre os radicais livres e nossa defesa antioxidante as células e DNA ficam danificados, aumentando o risco para diversas doenças e contribuindo para o envelhecimento precoce.

O excesso de açúcar consequente da má alimentação também favorece o envelhecimento precoce por meio da glicação, um processo inflamatório nas células que faz com que elas produzam radicais livres. "A ingestão excessiva de açúcar causa alterações profundas na integridade das células e nas suas funções - entre elas o estresse oxidativo celular e o envelhecimento precoce."

Desidratação

Homem desidratado bebendo água - Foto: GettyImages
Homem desidratado bebendo água - Foto: GettyImages

A água é essencial para o funcionamento do corpo como um todo. Ela é utilizada em processos metabólicos, na transpiração e até na respiração. Sua falta acarreta problemas em todo o organismo e isso fica mais do que evidente no maior órgão do corpo humano: a pele. "Ela precisa ser hidratada por dentro e por fora. É por meio da água que as camadas internas receberão nutrientes e eliminarão as toxinas acumuladas", explica a dermatologista Cristiane.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os resultados são ainda melhores se o consumo de água estiver aliado a um bom hidratante. "Pessoas com pele oleosa ou que apresentaram reações alérgicas a algum produto, entretanto, devem procurar um dermatologista para realizar tratamentos específicos", lembra a profissional.

Baixa imunidade

Mulher com baixa imunidade espirrando - Foto: GettyImages
Mulher com baixa imunidade espirrando - Foto: GettyImages

A baixa imunidade é um sinal de que o corpo não está conseguindo se defender completamente dos agentes externos, aumentando o risco de contrair doenças.A falta de resistência imunológica favorece uma série de infecções e inflamações no corpo que não aconteceriam se as defesas estivessem funcionamento corretamente. "O resultado são sintomas como unhas fracas, queda de cabelo, cansaço, problemas de pele e uma infinidade de complicações", explica a imunologista Elisabete Blanc, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Sedentarismo e overtraining

Homem sedentário assistindo televisão - Foto: GettyImages
Homem sedentário assistindo televisão - Foto: GettyImages

Extremos são sempre perigosos e isso acontece até em relação à prática de exercícios físicos. "Tanto a falta de exercício (sedentarismo) quando o excesso (overtraining) levam a uma produção exagerada de radicais livres pelo corpo, que causam o envelhecimento precoce", explica Raul Santo, fisiologista e pesquisador do Centro de Estudos da Medicina da Atividade Física e do Esporte (CEMAFE). Segundo ele, produzimos esses radicais até na respiração, mas o corpo consegue dar conta de equilibrá-los no organismo. Entretanto, quando nos submetemos a treinos muito pesados ou à ausência de atividades, perde-se o controle sobre essa produção. "O ideal é praticar um treino leve ou moderado cinco vezes por semana durante 30 minutos", complementa.

Má postura

Menina com má postura em carteira escolar - Foto: GettyImages
Menina com má postura em carteira escolar - Foto: GettyImages

Hérnia de disco, escoliose e lombalgia são apenas alguns dos problemas decorrentes da postura inadequada. As alterações posturais também interferem na aparência do indivíduo, que pode parecer mais velho do que realmente é. ?Diversas situações da rotina podem prejudicar a nossa postura, por isso é essencial saber se posicionar corretamente?, explica o ortopedista Luciano Pellegrino, da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Dormir pouco

Homem com insônia - Foto: GettyImages
Homem com insônia - Foto: GettyImages

Durante o sono, produzimos hormônios "rejuvenescedores", como a melatonina e o hormônio do crescimento. "Esses hormônios exercem funções reparadoras e calmantes para a pele, e a falta de sono impede que o corpo descanse adequadamente", afirma a endocrinologista Alessandra. Os maiores resultados disso são uma pele sem viço e com olheiras. O estresse provocado pela falta de sono também favorece o aparecimento de rugas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tabagismo

Tabagismo influencia, e muito, no envelhecimento precoce - Foto: GettyImages
Tabagismo influencia, e muito, no envelhecimento precoce - Foto: GettyImages

Pessoas que fumam cronicamente costumam ter a pele mais grossa e amarelada, devido à impregnação das substâncias da fumaça. Linhas de expressão em volta da boca, dentes escurecidos, ponta dos dedos amareladas e olheiras profundas são algumas das consequências do tabagismo.

Além disso, a exposição à fumaça de cigarro compromete a função dos genes e altera a formação das células. Essas mudanças têm influência negativa no sistema imunológico e um forte envolvimento no processo de morte das células e produção de radicais livres. O fumo também reduz o fluxo sanguíneo da pele, dificultando a oxigenação dos tecidos. A redução deste fluxo parece contribuir para o envelhecimento precoce e para a formação de rugas.

Alcoolismo

Bebidas alcoólicas - Foto: GettyImages
Bebidas alcoólicas - Foto: GettyImages

Para entender como a ingestão de bebidas alcoólicas causa um dano generalizado ao organismo, é preciso explicar o como o nosso corpo absorve essa substância. O órgão responsável por metabolizar o álcool é o fígado, e ele só trabalha com uma dose de bebida alcoólica por hora em média, sendo que uma dose equivale a uma lata de cerveja (360ml), uma taça de vinho (100ml) ou uma dose de destilado (40ml). Isso quer dizer que duas latas de cerveja demoram duas horas para serem metabolizadas pelo fígado, três latas levam três horas e assim por diante. Enquanto o fígado metaboliza a primeira dose, o resto do álcool fica circulando no sangue e causando alterações em diferentes órgãos. Uma das consequências é a produção aumentada de radicais livres, que causam o envelhecimento. A exceção à regra é o vinho tinto, que, se consumido moderadamente, tem ação antioxidante e combate os radicais livres. A quantidade recomendada é de uma taça de vinho para mulheres e até duas para homens. Essas quantidades, porém, pressupõem que a pessoa tem outros hábitos saudáveis, como uma dieta adequada e a prática de exercícios físicos.