Remédio para sinusite: saiba o que funciona para tratar o problema

Uso de soro fisiológico ajuda a prevenir o agravamento do quadro

Sinusite é uma inflamação dos seios da face que pode provocar inchaço no local, secreção amarelada, sensação de nariz entupido e dor intensa na face. É possível tratar e prevenir que a sinusite se agrave com alguns cuidados:

Tratamento e prevenção da sinusite

A primeira medida que devemos tomar para tratar e também para prevenir a sinusite é fazer a lavagem nasal com soro fisiológico. Como a sinusite normalmente está relacionada aos sintomas de um resfriado ou crise de rinite, esse hábito deve ser iniciado logo que começamos a apresentar sintomas, em especial nas crianças.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tipos de soro fisiológico

Existem várias formas de fazer lavagem nasal com soro fisiológico. Uma forma bem prática são os sprays nasais, muito fáceis de carregar.

Nas crianças o mais recomendado são os conta-gotas. A medida de 1/2 a 1 conta-gotas por narina 2 a 3 vezes ao dia é suficiente.

Existem também embalagens que liberam o soro fisiológico em jatos contínuos, com maior intensidade, indicados quando há mais secreção ou nariz entupido por uma crise de rinite.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outra alternativa bastante eficaz, recomendada quando a secreção nasal está amarelada, espessa ou em grande quantidade, é completar uma seringa de 10 ml a 20 ml com soro fisiológico e aplicar diretamente nas narinas cerca de quatro a cinco vezes ao dia.

Remédios para sinusite

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quando é feito o diagnóstico de sinusite aguda, está indicado tratamento com antibióticos por dez a 14 dias. O diagnóstico é baseado na história do paciente e no exame físico feito pelo médico. Apenas o especialista poderá recomendar o melhor antibiótico para o seu caso.

Remédio para sinusite crônica

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quando os quadros de sinusite se repetem frequentemente é possível que a pessoa tenha sinusite crônica, e esses casos precisam ser avaliados com maiores detalhes por meio de exames como a tomografia da face. Nas agudizações (recaídas em que a pessoa apresenta aumento brusco da secreção com mau cheiro e coloração amarelada, como pus) está indicado antibiótico. Neste caso, o uso do antibiótico precisa ser mais prolongado, chegando a semanas a meses de tratamento.

Se for comprovado que existem bloqueios na drenagem de muco ao exame de tomografia, pode ser necessária uma cirurgia para limpeza e restauração do processo natural da limpeza nasal.

Pessoas que tenham desvio de septo e sinusite crônica devem procurar um médico especialista na área para avaliar se há indicação cirúrgica. Uma cirurgia bem indicada pode melhorar muito a qualidade de vida do indivíduo.

É importante ressaltar que o tratamento da rinite em pessoas que sofram da doença costuma melhorar muito os sintomas e evitar, ou amenizar, episódios de sinusite.

Sinusite é mais comum no frio

A sinusite é muito mais comum nas épocas de temperaturas frias e de mudanças climáticas. São vários os motivos para isso, mas o principal é que crises de rinite alérgica são frequentemente desencadeadas por oscilações bruscas de temperatura.

Outra razão é que quadros virais, como resfriado comum e gripe, também são mais frequentes nesta época do ano. Além disso, a qualidade do ar, frio e seco, tende a piorar muito a condição de quem já tem tendência ao problema.

Entenda como funciona a sinusite

A sinusite é a inflamação dos seios da face. Os seios da face são cavidades que normalmente são preenchidas por ar e que se comunicam com o nariz. A parte interna dos seios da face é revestida por um tapete de células chamado de mucosa - estas células produzem o muco, substância gelatinosa que arrasta com si impurezas do ar, auxiliando na limpeza das narinas.

A sinusite causa um inchaço da mucosa e formação de muito muco, que pode se acumular e se infectar por bactérias. Em geral a sinusite se desenvolve após um resfriado comum. O resfriado causa inchaço e inflamação da mucosa, que se defende produzindo grande quantidade de muco. O excesso de secreções pode se agravar e causar uma infecção, gerando a sinusite. Pessoas que sofram de rinite ou tenham desvio de septo, que causa uma obstrução mecânica ao fluxo normal do muco, são mais predispostas à sinusite.

Pessoas que apresentem episódios frequentes de sinusite aguda podem desenvolver a sinusite crônica. A mucosa, quando inflamada por tempo prolongado, fica espessada e bloqueia a drenagem natural do muco. Esse bloqueio causa ainda mais infecções de repetição, levando a um sintoma muito comum destes pacientes que é a saída constante de secreção amarelada ou em surtos de grande quantidade (agudizações). Outras queixas comuns de quem sofre com o problema são a perda de olfato e tosse crônica.