PUBLICIDADE

O descontrole de Maradona é normal? Especialistas opinam

Reação do ex-jogador após partida da Argentina contra a Nigéria chamou atenção do público

Polêmicas giram em torno de Diego Maradona já faz algum tempo. Quem assistiu ao último jogo da Argentina contra a Nigéria na terça-feira (26), em São Petersburgo, notou reações descontroladas do ex técnico. Após o término da partida de futebol, Maradona passou muito mal e precisou ser retirado do camarote carregado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

De acordo com a imprensa Argentina, o ex-jogador precisou ser levado até o hospital por ter uma queda da pressão arterial. Através do instagram, Maradona tranquilizou seus fãs: "No intervalo do jogo, senti muita dor na nuca e fiquei descompensado. Um médico me examinou e me recomendou que voltasse para casa antes do segundo tempo, mas eu quis ficar porque estávamos com tudo em jogo. Como poderia ir embora?", explicou.

Mas será que o descontrole de Maradona era apenas por causa do jogo? Conversamos com especialistas para entender melhor o que pode ter acontecido com ele. Entenda mais a seguir:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que acontece com o coração durante um jogo?

Em relação a pressão arterial de Maradona, o psiquiatra Mário Louzã, membro filiado do Instituto de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, acredita no fato de que o estresse e agitação que ele vivenciou no momento da partida do jogo colaboraram para uma queda brusca da pressão arterial.

Segundo o cardiologista Bruno Valdigem, boa parcela dos eventos cardiovasculares tem relação com momentos de estresse. Embora Maradona tenha afirmado à imprensa Argentina que não estava com nenhum problema cardíaco, o corpo pode reagir de diversas maneiras quando se depara com grandes emoções e acaba respondendo de forma errada. "O que pode acontecer em momentos de emoção ou medo intensos é uma queda abrupta da pressão arterial", explica o cardiologista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Isso ocorre, por exemplo, quando desmaiamos de susto, vemos ou recebendo uma notícia muito ruim. "Alguns mecanismos que deveriam ajudar no sistema de luta e fuga agem errado, fazendo com que ao invés de subir a pressão e aumentar a frequência cardíaca, os vasos das pernas relaxem e roubem o sangue que iria para o coração", exemplifica o especialista. Outro nome para esse reflexo exagerado é a síndrome vasovagal.

"É difícil pensar o que passava na cabeça e corpo do grande ídolo argentino, mas com certeza ambos sofreram muito nessa partida", completa Valdigem.

Diversas pessoas comentavam a respeito da agitação do ex técnico durante o jogo, alguns diziam que ele havia tomado uma injeção de adrenalina. Entretanto, a imprensa Argentina divulgou um áudio de Diego Maradona se explicando para a namorada. "Não sei de onde tiraram que eu estava com um problema cardíaco, que tiveram que me dar uma injeção de adrenalina. Isso tudo me parece muito louco, muito estúpido", afirma.

Remédios para dormir e bebida alcoólica

Recentemente, a filha mais velha do ex jogador, Dalma Maradona, em entrevista ao programa de TV Pampita on-line, revelou alguns problemas familiares. Ela contou que o pai toma remédios para dormir há um tempo e que o grande problema é a forma como ele ingere o medicamento. "Ele toma comprimidos para dormir misturado com um copo de bebida alcoólica, é terrível", afirmou Dalma. Além disso, ela garantiu que a bebida alcoólica junto com os medicamentos geram efeitos terríveis em Maradona. Conversamos com um especialista para entender melhor a gravidade do problema.

O que acontece com a pessoa que mistura álcool com medicamento?

De acordo com o psiquiatra Mario Louzã, os remédios para dormir são sedativos e quando misturado com o álcool diminuem a atividade do sistema nervoso central. Ou seja, a interação pode potencializar os medicamentos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Em um caso mais extremo de exagero a pessoa pode ter uma depressão respiratória. É perigoso e pode ser fatal", esclarece o psiquiatra. Além disso, depende também do tanto de medicações que a pessoa toma para dormir.