8 coisas que você DEVE discutir com seu ginecologista

Relatar mudanças na região íntima é essencial para garantir a saúde do corpo

Assuntos que envolvem a região íntima da mulher ainda são considerados tabus na nossa sociedade. Apesar de ser relacionado, na maioria das vezes, apenas com questões sexuais, o órgão genital feminino pode emitir diferentes sinais sobre como anda a saúde de todo o organismo.

Mesmo que muitas mulheres ainda se sintam constrangidas ao visitar uma clínica ginecológica, se atentar às mudanças do corpo e conversar com o profissional sobre o que está acontecendo são atitudes essenciais para auxiliar na descoberta de inúmeras doenças, garantindo que um tratamento adequado seja indicado pelo médico.

É importante ter em mente que o especialista está ali para ajudá-la com todas as suas questões, sem a presença de julgamentos. Por isso, a vergonha deve ser driblada e alguns problemas não podem passar batidos durante a consulta. Confira quais são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

1- Menstruação dolorosa

É comum que a dor durante o período menstrual não cause muita preocupação nas mulheres, já que esse sentimento é relacionado com a menstruação desde muito cedo, causando um certo tipo de "normalização" entre o público feminino.

Porém, a médica ginecologista Ana Carolina Lúcio Pereira, membro da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), explica que dores que pioram com o passar do tempo, próximas ao reto, pélvis ou vagina, podem ser sintomas de condições graves, como endometriose ou mioma uterino. Por requererem tratamentos específicos, é importante que essas condições sejam identificadas por um profissional.

2- Cheiro ruim na região íntima

Se o odor vaginal se tornar ruim ou diferente por algum tempo, mesmo com a higienização do local, pode ser sinal de algum problema na região. "Crescimento bacteriano e infecções vaginais estão entre as principais condições que podem alterar o odor normal da vagina, e apenas o ginecologista é capaz de tratá-los", conta Ana.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

3- Dor durante o sexo

Desde fatores psicológicos até problemas mais graves, sentir dor durante as relações sexuais é um dos sintomas que devem ser levados ao ginecologista imediatamente. Além do ressecamento do canal vaginal, o incômodo sentido durante o sexo também pode ser sinal de doenças como endometriose, infecção urinária, vaginismo, entre outras.

4- Erupções cutâneas

O aparecimento de pequenos pontos de inchaço nos grandes lábios ou próximo à vagina pode ocorrer por diferentes causas, como espinhas ou consequências da depilação, incluindo cortes e pelos encravados. Porém, é sempre importante que essas erupções sejam avaliadas por um médico, para que doenças como herpes e verrugas genitais possam ser descartadas.

"As lesões de herpes cicatrizam entre uma e duas semanas, por isso devem ser observadas enquanto o surto ainda está acontecendo, para que o tratamento seja administrado corretamente", afirma a ginecologista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

5- Sangramento durante a relação

Ao presenciar vestígios de sangue de maneira regular durante ou após o sexo, mesmo que em pequena quantidade, procure um ginecologista para que exames adequados possam ser realizados. O sangramento pode ser sinal de algumas doenças, como infecções e úlceras no canal genital.

6- Incontinência urinária

Ir ao banheiro com muita frequência ou soltar a urina involuntariamente são situações que podem causar certa desestabilização emocional e social, atrapalhando a rotina e o bem-estar de quem lida com esses problemas.

De acordo com Ana, ao levar esse sintoma para um ginecologista, há uma série de tratamentos eficazes que podem ser indicados para essa condição, como a fisioterapia pélvica, eletroestimulação, uso de hormônios tópicos vaginais e, em casos mais graves, a realização de cirurgias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

7- Menstruação irregular

A falta de acompanhamento do ciclo menstrual pode fazer com que muitas mulheres deixem de se atentar à regularidade e duração de cada período. Mesmo que, a princípio, isso não pareça ser algo grave, a menstruação irregular pode ser sintoma de infecções, endometriose e síndrome dos ovários policísticos.

8- Baixa libido

A falta de desejo sexual ocorre, normalmente, por fatores emocionais ou pelo uso de certos medicamentos. "Nesses casos, o médico poderá determinar quais são as intervenções terapêuticas necessárias. O ginecologista também é capaz de ajudar quando a baixa da libido é causada por fatores externos, como o estresse, oferecendo recomendações para aumentar naturalmente o desejo sexual", finaliza a médica ginecologista Ana Carolina Lúcio Pereira.