PUBLICIDADE

Vacinação: é preciso tomar todas as doses de uma vacina?

A farmacêutica Ana Medina, da GSK, esclareceu dúvidas sobre a vacinação durante o Minha Vida Ao Vivo

As discussões sobre imunização nunca estiveram tão em alta. Com a pandemia no novo coronavírus, muitas pessoas desenvolveram um novo olhar para a vacinação, tornando-se mais conscientes sobre os processos de fabricação dos imunizantes e a importância de se prevenir contra inúmeras doenças.

Porém, nem sempre apenas uma dose é o suficiente para garantir a proteção contra vírus e bactérias. Todas as vacinas são desenvolvidas com características específicas, sendo que algumas delas devem ser tomadas de forma recorrente durante toda a vida, com a repetição da vacinação em determinados períodos de tempo.

Com o apoio da GSK, a farmacêutica Ana Medina respondeu algumas das dúvidas mais comuns em relação à quantidade de doses que uma vacina deve ser tomada. Confira as principais perguntas abaixo e assista ao vídeo na íntegra clicando aqui.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Minha Vida: Qual a importância de deixar a carteira de vacinação em dia durante o período de pandemia?

Ana Medina: O isolamento social criou uma falsa sensação de segurança contra doenças, mas isso não é uma realidade, já que vírus e bactérias continuam circulando. Ainda temos muitos casos de sarampo e coqueluche, além da própria gripe, que continua presente. É importante desmistificar que o isolamento gera imunização contra todas as doenças, apesar de ajudar a minimizar muitas delas.

No caso do sarampo, por exemplo, tivemos mais de 7 mil quadros no Brasil neste ano. É importante manter o calendário vacinal em dia para que, quando houver o movimento de retorno às atividades, a gente já esteja protegido.

Minha Vida: O número de vacinação em crianças e adolescentes diminuiu durante a pandemia?

Ana Medina: Sim, infelizmente. Já vínhamos numa baixa de cobertura vacinal, com uma queda sendo observada desde 2011. No período de pandemia, essa situação foi agravada, especialmente no calendário da pediatria.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Minha Vida: É realmente importante tomar todas as doses de uma vacina?

Ana Medina: É extremamente importante. Algumas vacinas só são necessárias uma dose durante a vida, mas isso varia de acordo com o tipo administrado. O tétano, por exemplo, deve ser feito o reforço a cada dez anos. Já no caso da gripe, a vacina deve ser tomada anualmente.

Precisamos ter em mente que a pessoa só estará protegida após completar o esquema de vacinação, o que pode levar até quatro doses para algumas vacinas. Por isso, não podemos tomar apenas uma dose e esquecer das demais, já que a pessoa continuará vulnerável.

Minha Vida: Por que algumas vacinas possuem mais de uma dose?

Ana Medina: Isso irá depender de cada vacina. Utilizando o exemplo da vacina contra a gripe, é gerada uma proteção de mais ou menos 6 meses, pois o vírus passa por muitas mutações de uma temporada para outra. Logo, precisamos não só fazer um reforço, mas sim uma nova vacinação a cada ano.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No caso de algumas outras doenças, as demais doses são para garantir a continuidade da proteção ao longo do tempo. O esquema primário, com as primeiras doses, serve para garantir a proteção, enquanto os reforços são para mantê-la. Isso varia de acordo com o patógeno e a tecnologia que envolvem cada vacina.

Minha Vida: O que fazer quando não se sabe se tomou mais de uma dose?

Ana Medina: Essa dúvida reforça a importância de guardar bem a carteira vacinal. Ela deve ser considerada como um documento, pois se a dose está lá registrada, ela é considerada válida. Se após 5 anos você voltar para continuar o esquema de vacinação, a última dose ainda será levada em consideração, sendo complementada. Porém, caso não haja a comprovação vacinal, a dose será considerada inválida, pois não há comprovação. Então, a pessoa irá iniciar o esquema de vacinação da primeira fase.

Minha Vida: Quais são as vacinas que os adultos devem tomar?

Ana Medina: A vacina da gripe é um exemplo que todo adulto deve e pode tomar. Além disso, há a DTPA, com um reforço a cada dez anos; a Hepatite A e B, caso não tenha tomado durante a infância; a HPV e a pneumocócica - caso haja questões respiratórias envolvidas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Existem mais de 17 vacinas disponíveis para a população, seja para pediatria, adultos ou idosos. Então, é importante sempre conferir o que está na carteira e procurar uma sala de vacinação na rede pública ou privada, para que seja feita a atualização.

Minha Vida: Após tomar uma dose de vacina na rede privada, é possível tomar a próxima na rede pública?

Ana Medina: Há um calendário público muito robusto no Brasil, mas que não possui todas as vacinas que estão disponíveis no calendário privado. Eventualmente, pode ocorrer a migração entre as doses tomadas em cada uma das redes, mas isso também irá variar de acordo com a vacina, precisando ter cada caso avaliado individualmente. Caso haja diferenças entre as vacinas tomadas, pode ser preciso começar um novo esquema vacinal.

Minha Vida: O que fazer ao perder o prazo de uma das doses da vacina?

Ana Medina: Caso isso ocorra, o esquema de vacinação irá continuar de onde parou. Por exemplo: se uma vacina possui três doses, sendo que a segunda deve ser tomada dois meses após a primeira, mas o prazo foi perdido, só serão feitas mais duas doses quando o paciente retornar à sala de vacinação - ao invés de começar o processo do início.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Que tal aprender mais sobre a importância da vacinação? Clique aqui e confira a live na íntegra na nossa página no Facebook.