COVID-19: ansiedade pode ser sequela em pessoas recuperadas

Estudos realizados em diferentes países identificaram transtornos psicológicos em pacientes curados do novo coronavírus

Além de possíveis complicações pulmonares, cientistas também investigam as consequências psicológicas em pacientes que contraíram o novo coronavírus. A ansiedade, um dos transtornos mentais mais populares no mundo, segue se tornando uma sequela cada vez mais presente na vida de pessoas recuperadas da COVID-19.

Um recente estudo feito pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, contou com a participação de mais de 62 mil pacientes curados do novo coronavírus. A pesquisa apontou que um em cada 16 voluntários apresentaram algum tipo de transtorno mental após três meses recuperados da infecção. Os problemas mais citados foram, respectivamente, ansiedade, depressão e insônia.

Já um levantamento realizado por cientistas italianos apontou que, de 402 pacientes monitorados, 55% apresentaram ao menos um distúrbio psicológico um mês após receberem alta do tratamento hospitalar. A ansiedade seguiu sendo o transtorno mais comentado, com 42% dos casos, seguido por insônia (40%), depressão (31%), transtorno de estresse pós-traumático (28%) e TOC (20%).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No Brasil, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) também identificou complicações psicológicas em pacientes recuperados a COVID-19. A instituição, que fica no interior de São Paulo, informou que sequelas como ansiedade e fadiga foram observadas em grande parte dos indivíduos curados.

Causas da ansiedade após a infecção

Os cientistas acreditam que vários fatores podem ser responsáveis por desencadear esse aumento nos casos de ansiedade. Os pacientes infectados precisaram passar por diferentes mudanças na rotina, como o isolamento social, o medo da contaminação por uma doença ainda pouco desvendada, preocupações sobre o risco de infectar outros indivíduos e, em alguns casos, o estresse durante a internação hospitalar.

Além disso, pessoas saudáveis também foram impactadas pelo crescimento dos episódios de ansiedade. Em uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos, o Brasil foi indicado como a nação com o maior número de habitantes que sofrem de ansiedade por causa da pandemia, em comparação com outros 16 países. O uso de máscaras e a higienização correta das mãos e objetos foram as principais causas do transtorno nesse período, segundo o levantamento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas de ansiedade

A ansiedade pode causar sintomas tanto mentais quanto físicos, que atrapalham o dia a dia das pessoas de diversas formas. Os principais sinais do distúrbio são:

Normalmente, esse transtorno pode ser controlado e tratado de diferentes formas. A psicoterapia, que possui inúmeras vertentes, é uma das alternativas mais indicadas. O uso de remédios só é recomendado com indicação médica, geralmente feita por um psiquiatra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como controlar a ansiedade

Confira 15 dicas para controlar a ansiedade

Coronavírus sem pânico: 6 dicas para não pirar com a doença

Por que e como manter sua saúde mental em dia na quarentena

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)