COVID-19: Anvisa aprova vacina da Janssen para uso no Brasil

Imunizante é feito em dose única e deve chegar ao País a partir do 2º semestre

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou na última quarta-feira (31) o uso emergencial da vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, no Brasil. Desse modo, a vacina fará parte do Plano Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

Segundo o planejamento, 38 milhões de doses serão entregues no segundo semestre deste ano, escalonadas da seguinte maneira: em setembro, 16,9 milhões de doses; outubro a dezembro, mais 21,1 milhões.

Segurança e eficácia

Em nota, a Anvisa conclui que os estudos apresentados pela farmacêutica mostram que a vacina protege contra a forma grave da COVID-19 e é eficaz para prevenção da doença do coronavírus em pacientes adultos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Entretanto, a Janssen ainda terá que mostrar resultados sobre a vacina em relação a sua eficácia contra a variante brasileira, segundo entrevista do gerente-geral de medicamentos Gustavo Mendes à CNN.

Dose única

Chama atenção da vacina da Janssen por sua aplicação em dose única. Diferente de outros imunizantes já aprovados aqui no Brasil, como a Coronavac e a Oxford/Astrazeneca, que são feitos em duas doses, a da Janssen necessita apenas de uma dose de 0,5ml e sua eficácia e sentida em 14 dias após a aplicação (66,9% para casos leves e moderados e 76,7% para casos graves).

Como funciona a vacina da Janssen

A vacina da Janssen é um dos atuais imunizantes que utilizam o método de modificação genética adenovírus. Nesse caso, o adenovírus utilizado é o 26 (Ad26).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ela é indicada para pessoas acima de 18 anos contra a COVID-19 e pesquisas devem ser feitas futuramente para verificar sua segurança e eficácia em adolescentes e crianças.