Dieta alcalina: conheça os prós e contras desse método para emagrecer

Ela promete eliminar toxinas, mas não leva em conta o número de calorias

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 30/11/2016

Emagrecer e deixar o corpo livre de toxinas são as promessas que vêm conquistando a turma adepta da dieta do pH. A ideia por trás do método é ajustar a alimentação para deixar o pH do sangue mais alcalino - a mudança seria suficiente para favorecer a eliminação de toxinas. Na prática, isso quer dizer mais destaque para cereais integrais, frutas e verduras na hora de montar o prato, enquanto carne vermelha e leite integral ficam de lado. "Existem algumas propostas positivas na dieta do pH, mas nenhum estudo científico foi feito para provar que ela pode levar ao emagrecimento", afirma o nutrólogo Roberto Navarro, da Sociedade Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Conheça os detalhes de mais esta opção e decida se vale a pena investir.

Gordura localizada

Pró - Diminui a retenção de líquidos
O nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo, conta que qualquer alimento gera um resíduo tóxico, naturalmente diluído em água pelo organismo. Portanto, quanto mais toxinas ingeridas, maior a retenção de líquidos. Por manter o pH do sangue mais alcalino, essa dieta promove a eliminação de toxinas. "Por isso que dizem que essa dieta elimina até oito quilos em um mês, mas a maior parte desta perda corresponde à agua", afirma.

Contra - Não elimina gorduras
O nutricionista explica que a eliminação de toxinas não promove o emagrecimento, como prometido. "Não há, necessariamente, redução do percentual de gordura corporal, apenas redução da retenção de líquidos".