Dieta alcalina: conheça os prós e contras desse método para emagrecer

Ela promete eliminar toxinas, mas não leva em conta o número de calorias

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 30/11/2016

Emagrecer e deixar o corpo livre de toxinas são as promessas que vêm conquistando a turma adepta da dieta do pH. A ideia por trás do método é ajustar a alimentação para deixar o pH do sangue mais alcalino - a mudança seria suficiente para favorecer a eliminação de toxinas. Na prática, isso quer dizer mais destaque para cereais integrais, frutas e verduras na hora de montar o prato, enquanto carne vermelha e leite integral ficam de lado. "Existem algumas propostas positivas na dieta do pH, mas nenhum estudo científico foi feito para provar que ela pode levar ao emagrecimento", afirma o nutrólogo Roberto Navarro, da Sociedade Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Conheça os detalhes de mais esta opção e decida se vale a pena investir.

Restrição alimentar

Pró - Contempla todos os grupos alimentares
Diferente de outras dietas restritivas, a alcalina abrange todos os grupos nutricionais, mesmo priorizando aqueles que deixam o sangue mais alcalino. "Isso garante que a alimentação seja o mais próxima possível de uma alimentação balanceada", afirma Roberto Navarro.

Contra - Não leva em consideração as necessidades alimentares individuais
Assim como os outros regimes alimentares que viram moda, a dieta alcalina acaba sendo feita sem qualquer acompanhamento médico ou nutricional. "Qualquer dieta, por mais equilibrada que seja, pode ser perigosa se não são levadas em consideração as necessidades individuais", diz Roberto Navarro."Para pessoas com anemia - que muitas vezes nem sabem que têm a doença - por exemplo, não é recomendada a restrição de carne vermelha".