Dieta alcalina: conheça os prós e contras desse método para emagrecer

Ela promete eliminar toxinas, mas não leva em conta o número de calorias

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 30/11/2016

Emagrecer e deixar o corpo livre de toxinas são as promessas que vêm conquistando a turma adepta da dieta do pH. A ideia por trás do método é ajustar a alimentação para deixar o pH do sangue mais alcalino - a mudança seria suficiente para favorecer a eliminação de toxinas. Na prática, isso quer dizer mais destaque para cereais integrais, frutas e verduras na hora de montar o prato, enquanto carne vermelha e leite integral ficam de lado. "Existem algumas propostas positivas na dieta do pH, mas nenhum estudo científico foi feito para provar que ela pode levar ao emagrecimento", afirma o nutrólogo Roberto Navarro, da Sociedade Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Conheça os detalhes de mais esta opção e decida se vale a pena investir.

Eficácia

Pró - Previne cálculo renal e perda de massa óssea
"Para retirar a acidez do sangue e reestabelecer o pH, o corpo retira cálcio dos ossos sob a forma de bicarbonato de cálcio, componente que devolve a neutralidade ao sangue", afirma Roberto Navarro. O excesso de bicarbonato de cálcio circulante acaba indo para os rins, podendo provocar a formação de pedras. Por isso, uma dieta que prioriza a manutenção do pH do sangue protege os ossos e os rins.

Contra - Não emagrece obrigatoriamente
O especialista explica que a alimentação para emagrecer precisa ter a contagem calórica como base. "Se você consumir os alimentos que alcalinizam o sangue em excesso, vai acabar engordando", afirma Roberto Navarro.