Refrigerantes podem favorecer artrite reumatoide em mulheres

Estudo mostra que ingerir bebida uma ou mais vezes por dia já aumenta o risco

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 04/11/2013

Mulheres que bebem um ou mais refrigerantes açucarados por dia podem aumentar o seu risco de sofrer com a artrite reumatoide, de acordo com um novo estudo feito na Universidade de Harvard (EUA) e financiado pelo National Institutes of Health. Os resultados foram apresentados no American College of Rheumatology, que aconteceu entre 28 de outubro e 01 de novembro. O trabalho, entretanto, não estabelece uma relação de causa e efeito, sendo necessárias mais pesquisas para comprovar a relação.

A equipe analisou dados de dois grandes estudos de enfermeiros, que avaliaram dietas e outros aspectos da vida dos participantes por décadas. Eles olharam para a dieta e outras informações de saúde de cerca de 173 mil mulheres em dois períodos de tempo diferentes. A cada quatro anos, as mulheres relataram quantas bebidas açucaradas bebiam. Isto incluiu refrigerantes à base de cola com açúcar, refrigerantes sem cafeína e refrigerantes que não eram de cola. Refrigerantes diet não foram incluídos.

Durante os períodos estudados, 883 mulheres foram diagnosticadas com artrite reumatoide. Os autores descobriram que aquelas que bebiam uma ou mais bebidas adoçadas com açúcar por dia, em comparação com aquelas que não beberam ou fizeram a ingestão menos de uma vez por mês, tiveram um maior risco de desenvolver artrite reumatoide.

Segundo os cientistas, a forma como o estudo foi feito tem limitações, pois as pessoas muitas vezes não se lembram com precisão o que comiam ou bebiam no passado. O próximo passo é detalhar fatores de risco genéticos e ambientais e levá-los em conta nos estudo futuros. Estes resultados devem ser considerados preliminares, pois ainda não foram revisados e publicados. A relação encontrada no estudo não significa que refrigerantes causam artrite reumatoide, afirmam os pesquisadores, apenas mostras que beber refrigerantes pode refletir em outros hábitos de vida conhecidas para aumentar o risco da doença, como tabagismo.

Adote uma dieta poderosa contra artrite
Bastante chata, a artrite ainda não tem cura. O incômodo para se movimentar, que começa suave e vai se agravando até tornar um martírio o esforço para pegar um livro na estante ou se levantar de uma cadeira, é causado pela inflamação das articulações. "Em geral, o problema surge associado a traumas, desgastes, distúrbios autoimunes ou infecções", explica o reumatologista Geraldo Castelar, presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR). O acompanhamento médico e a adesão aos cuidados, no entanto, permitem ao paciente levar uma vida normal, sem dores ou limitações físicas. O cenário ideal inclui diagnóstico precoce, prática de exercícios físicos leves ou de fisioterapia em casos menos agudos e alguns ajustes na dieta. "O principal deles é o consumo de alimentos fontes de ômega-3, ácido graxo com ação anti-inflamatória", afirma o médico. Veja como deixar suas refeições mais nutritivas e proteger seu organismo contra os sintomas doloridos da artrite reumatóide.

Peixes oleosos de água fria

Peixes como atum, sardinha e salmão são ótimas fontes de ácidos graxos poliinsaturados ômega-3, que impedem um processo de conversão de nutrientes no organismo responsável por originar inflamações. "O alimento também funciona como um grande aliado no controle do colesterol, na regeneração dos tecidos, na prevenção de doenças cardiovasculares e até na amenização dos sintomas da TPM e da menopausa", afirma a nutricionista Daniela Cyrulin, da Nutri & Consult.

Recomendação de consumo: um filé de 200g duas vezes por semana