Nutriente da soja pode prevenir e controlar a hipertensão

Isoflavonas relaxam os vasos sanguíneos e ajudam no controle da pressão sanguínea

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 28/03/2012

Um estudo realizado na Universidade de Columbia (EUA) e divulgado no encontro anual do American College of Cardiology aponta as isoflavonas - nutriente encontrado na soja, no chá verde, no amendoim e em outros alimentos vegetais - como potentes aliadas no controle e na prevenção da hipertensão arterial. Segundo os pesquisadores, esse componente contribui para a dilatação dos vasos sanguíneos e, consequentemente, melhora a pressão. 

Participaram do estudo mais de 5.000 americanos, inicialmente com idade entre 18 e 30 anos, que foram acompanhados por 20 anos. As pessoas que consumiam diariamente 2,5 miligramas ou mais de isoflavonas tiveram, ao final da pesquisa, uma significativa redução na pressão arterial em comparação com quem ingeriu menos de 0,33 miligramas do alimento. A pressão arterial sistólica (o primeiro número na leitura da aferição de pressão) ficou, em média, 5,5 pontos menor para as pessoas que comiam maiores quantidades do nutriente. 

Onde encontrar isoflavonas?

É bastante fácil adicionar isoflavonas à dieta - um copo de leite de soja contém 22 miligramas de isoflavonas e 100 gramas de soja torrada têm até 130 miligramas. O componente beneficia a pressão arterial porque estimula a produção de enzimas que sintetizam óxido nítrico, substância que ajuda a relaxar os vasos sanguíneos e controlar a pressão arterial. 

Os pesquisadores chamam atenção para a necessidade de cuidar de outros fatores associados, como peso, tabagismo, consumo de álcool, sedentarismo, etc. Eles acreditam que os benefícios da isoflavona podem estar relacionados a um estilo de vida mais saudável, ou ainda a outros fatores desconhecidos. 

Oito dicas para evitar a hipertensão

Controlar a hipertensão com remédios é rotina na vida de 1/4 dos brasileiros. A doença, que sobrecarrega o coração, é crônica e pode causar sérios problemas para visão, rins e cérebro, além de ser a causadora do infarto do miocárdio. Mas pequenas atitudes podem evitar o quadro ou ajudar no controle dele. "Os maus hábitos à mesa e o sedentarismo colaboram para que os casos de hipertensão aumentem. Muitos pacientes vivem com a doença e não sabem, porque ela não traz sintomas no início", afirma José Kawazoe Lazzoli, especialista em cardiologia e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBME). Abaixo, o cardiologista indica uma série de hábitos que, diluídos no dia a dia, ajudam você a viver de maneira mais saudável sem depender da farmácia. 

Verifique a pressão arterial mensalmente

De acordo com o especialista, mesmo quem não sofre com a doença precisa ficar atento e medir a pressão ao menos uma vez por ano. "Cerca de 25% da população adulta é composta por hipertensos. Mas a maioria deles nem desconfia disso e ignora os cuidados, podendo sofrer com problemas mais sérios no futuro", diz o médico. Mas não vale medir a pressão de qualquer jeito:

- Repouse 15 minutos antes, em um lugar tranquilo;
- Caso tenha fumado, aguarde 30 minutos;
- Não fale durante o procedimento;
- Permaneça deitado ou sentado durante o processo;
- Esvazie a bexiga;
- Após exercícios físicos, aguarde 30 minutos;
- Não tome café 20 minutos antes da medição. 

Evite o excesso de peso

A grande quantidade de gordura corporal também afeta o aumento da pressão arterial. Acabar com o excesso de peso é uma ótima sugestão para quem não deseja encarar riscos. "É como se o coração fosse obrigado a aumentar a força para bombear o sangue em direção aos outros órgãos. Quando o peso diminui, muitas vezes, também reduzimos a dose dos medicamentos", afirma o cardiologista. 

Mantenha uma alimentação saudável

Há uma gama de alimentos que podem desencadear ou agravar a doença. "O excesso de sal e de gorduras saturadas, assim como a ingestão de gorduras trans são amigos da hipertensão. Evitá-los é fundamental para manter a doença longe e ou para controlá-la", ressalta o médico. 

Reduza o consumo de bebidas alcoólicas

De acordo com o especialista, consumir bebidas alcoólicas de forma moderada não é prejudicial para a pressão arterial, mas exagerar na dose pode causar estragos. "O consumo excessivo de álcool compromete todo o organismo, inclusive a pressão arterial", diz. 

Acalme os nervos

 De forma isolada, o estresse não é capaz de causar a hipertensão, mas quando combinado com outros fatores de risco pode agravar o quadro. "Buscando alternativas para viver de maneira mais tranquila, o coração tende a trabalhar melhor e as doses dos medicamentos podem até diminuir", diz o cardiologista.

Abaixo a fumaça

O cigarro deve ser mantido apagado - e bem longe - se o desejo é permanecer distante dos riscos da hipertensão. O fumo é um dos principais fatores de risco para doença arterial coronariana. ?As substâncias tóxicas do cigarro provocam o enrijecimento das artérias, fato que compromete a passagem de fluxo sanguíneo e faz a pressão subir?, afirma o cardiologista. 

Não tome medicamentos sem prescrição médica

Descubra seu peso ideal

Sua meta de peso é saudável?

Nada de se automedicar e correr riscos. Os remédios de hipertensão devem ser prescritos após uma série de exames. "Cada pessoa apresenta um nível diferente de elevação da pressão arterial, por isso é importante ressaltar que o uso indevido desses medicamentos pode contribuir até para a piora do quadro. O remédio que funciona para uma amiga, certamente não funcionará para você", alerta o especialista. 

Hora de mexer o corpo

Pessoas sedentárias têm cinco vezes mais chance de desenvolver hipertensão arterial do que indivíduos fisicamente ativos. "A prática regular de exercícios ajuda no controle dos níveis da pressão arterial, porque melhora o condicionamento físico do coração, fazendo com que ele não fique sobrecarregado", diz.

Além disso, a prática regular de atividades provoca um efeito anti-hipertensivo por ajudar a queimar os quilos extras. "Não basta perder peso, é necessário reduzir essa massa gorda", explica. "A atividade física facilita a circulação sanguínea, melhora a oxigenação e automaticamente colabora para reduzir a pressão alta", ressalta José Kawazoe Lazzoli. 

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não