PUBLICIDADE

Esculpindo o corpo para o verão

Conheça os aliados que garantem a conquista do corpo perfeito

Com o fim do inverno é chegada a hora de se preparar para a estação mais esperada do ano. Às vésperas do verão, as preocupações com o corpo aumentam e a corrida para a academia e o retorno à dieta são inevitáveis aos que querem conquistar um corpo perfeito.

O que muitos já perceberam é que nem sempre a combinação academia e dieta equilibrada é suficiente para eliminar a celulite ou mesmo aquele pneuzinho persistente. Apesar desta dupla ser a aliada perfeita para deixar o corpo em forma e usar aquele biquíni tão desejado neste verão.

Graças à modernização da medicina estética, as tão indesejadas celulites, gordurinha localizada, flacidez e, até mesmo, estrias estão com os dias contados.

Com técnicas cada vez mais modernas, menos invasivas e mais eficientes, é possível conquistar aquela barriguinha chapada, bumbum lisinho, firme e perfeito. É importante ressaltar que, além da combinação dos cuidados citados acima, a principal recomendação é a hidratação do corpo de dentro para fora. Para isso, faz-se necessário beber dois litros de água por dia e usar cremes a base de colágeno, elastina, óleo de rosa mosqueta, uréia, vitamina C e ácido láctico. Evite fumar e usar roupas muito apertadas para não prejudicar a circulação sangüínea e a oxigenação da pele.

Como potencializar os cuidados com o corpo Os tratamentos estéticos disponíveis no mercado vão desde o uso de ondas eletromagnéticas na quebra de moléculas de celulite, passando por estímulos eletrônicos, ionização, massagens que aumentam a vascularização sangüínea, uso de raios infravermelhos longos e aplicação de medicamentos. O tempo de tratamento e a escolha das técnicas dependem de cada pessoa. Deve-se procurar um profissional qualificado para avaliar o grau de acometimento, o metabolismo e os objetivos desejados. Confira uma série de dicas sobre técnicas estéticas desenvolvidas para potencializar os cuidados com o corpo e conquistar curvas perfeitas.

Celulite + gordura localizada
a) Ultracontour:
é um ultra-som que, por meio de ondas de alta potência, destrói os nódulos de gordura e deixa a pele mais uniforme. O número de sessões varia para cada pessoa, sendo uma média de oito mensais.
b) Carboxiterapia aquecida: o tratamento consiste na injeção de gás carbônico atóxico com alto teor de pureza no tecido subcutâneo, por meio de uma agulha finíssima. Ele provoca vasodilatação local, o que facilita a retirada de toxinas e a oxigenação, além de destruir a gordura. A pressão do gás age nas fibroses, atenuando a celulite e reduzindo as medidas. O aquecimento do gás ameniza o desconforto da aplicação. São necessárias de dez a vinte sessões.
c) Intradermoterapia (ou mesoterapia): Um mix de substâncias é injetado nas regiões dominadas pela celulite, trabalhando na circulação e na destruição das células de gordura. Para ter efeito, são necessárias de dez a vinte sessões com intervalos semanais.

Celulite + flacidez
a) Accent XL:
radiofreqüência que aquece e quebra as células de gordura, remodela e acelera a formação de colágeno, melhorando o contorno corporal. Indicado contra celulite, gordura localizada e flacidez. Necessita-se de pelo menos cinco sessões quinzenais ou mensais para obter resultado.
b) Velashape: Versão atualizada do velasmooth reúne endermologia (sucção e rolamento), radiofreqüência e luz infravermelha. O resultado é a redução da celulite, gordura localizada e flacidez, em pelo menos oito sessões.

Celulite + inchaço
a) Drenagem linfática: Por meio de manobras de bombeamento e deslizamento feitas com as mãos, percorre-se o caminho dos gânglios com a devida melhora da circulação, varredura de toxinas, diminuição de inchaços e do aspecto pregueado. Pode ser realizada uma vez por semana por longos períodos.
b) Medicamentos: os medicamentos via oral são complementos aos outros recursos. Manipulados ou não, ajudam a desintoxicar e a diminuir a retenção hídrica.

Celulite + depressões profundas
Subcisão (ou Subcision): é indicada nos quadros mais severos. Após anestesia local, introduz-se uma agulha com um microbisturi na ponta nas regiões afetadas. Com ela, vão-se desprendendo os nódulos entre o tecido conjuntivo e os músculos que causam as depressões da celulite. Em seguida, injeta-se uma substância preenchedora no local, de efeito temporário, prolongado ou definitivo.

Estrias
Como identificá-las?

As estrias se apresentam de vários tipos, colorações, evoluções e de acordo com a textura da pele.

Seguem algumas delas:
Rosada: quando a estria é recente e sua cor é avermelhada devido ao rompimento dos capilares (ou pequenos vasos sangüíneos). Os tratamentos iniciados nessa fase apresentam os melhores resultados.
Atrófica: são estrias mais antigas, esbranquiçadas e profundas (com depressões).
Nacaradas: são tão antigas quanto as atróficas, porém com aspecto largo, liso e brilhante. Nas últimas etapas, os tratamentos não são tão eficazes. Ainda assim é possível tornar as linhas mais estreitas e diminuir as depressões.

Tratamentos

a) Injeções de Vitamina C: são injetados, com uma agulha fina, os princípios ativos no caminho da estria, a fim de diminuir a depressão das linhas e clareá-las;
b) Carboxiterapia: com uma agulha bem fina, a área da estria é preenchida com gás carbônico, esticando a pele e dando mais uniformidade;
c) Luz intensa pulsada: este aparelho incide uma luz quente na pele provocando uma queimadura superficial, reduzindo os vasos sangüíneos e diminuindo a cor avermelhada da estria;
d) Peeling de Cristal + Peeling de Ácido Retinóico: é um aparelho que lança cristais para esfoliar e remover as células mortas da pele. Em seguida é aplicado um ácido para estimular a produção de colágeno.

As estrias largas se tornam finas e as finas ficam imperceptíveis após o tratamento completo;
e) Subcisão: É uma agulha com ponta cortante introduzida abaixo da pele, no sentido da estria, descolando a mesma e estimulando a produção de colágeno. As estrias largas e atróficas se tornam finas e lisas;
f) Cromopeel: é um peeling superficial feito por meio da associação de vários ácidos e corantes para devolver à pele a sua cor natural. Ele afina a estria e pigmenta as áreas esbranquiçadas, deixando a região de coloração uniforme;
g) Intradermoterapia: em uma seringa são misturados alguns princípios ativos indicados para cada caso. Com uma agulha fina, introduzem-se esses princípios ativos no trajeto das estrias para aumentar a produção de colágeno e clareá-las ou pigmentá-las.
h) Fraxel Laser SR 1500: é o único laser fracionado aprovado pelo FDA nos Estados Unidos e pode ser usado em qualquer tipo de pele. Na estética médica existem muitas opções de aparelhos que prometem bons resultados, porém muitos se autodenominam laser fracionado, mas não são. O objetivo do procedimento é obter alta eficácia na suavização de estrias, semelhante a alcançada com os lasers ablativos, mais agressivos, mas sem seus riscos ou tempo prolongado de recuperação. Os resultados podem ser visíveis logo após a primeira sessão.

O laser age na pele por meio de inúmeras micro perfurações, provocadas após cada disparo de centenas de filetes de laser, agrupados em uma ponteira de 1 cm a 1,5cm. O mais interessante é que a cútis não fica queimada e, sim, preservada. Não há necessidade de interromper as atividades do cotidiano. O equipamento atua em todas as camadas da pele, por isso é muito bem indicado para tratamento de estrias e cicatrizes.

Daniela Hueb é médica dermatologista e nutróloga e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, da Academia Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Francesa de Medicina Estética e da Sociedade Médica Brasileira de Intradermoterapia.

Para saber mais, acesse: www.clinicadanielahueb.com.br

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)