publicidade

Dificuldade em se concentrar pode ser sinal de problemas emocionais ou cognitivos

Estresse, tensão, depressão e rotina cheia são algumas das causas do problema

Por Natalia do Vale - publicado em 30/10/2009


É realmente desesperador quando temos milhões de coisas para fazer, mas a concentração passa a milhas de distância. A dificuldade de se concentrar nas tarefas do dia a dia e a sensação de impotência que ela causa incomodam quem sofre com o problema e muitas vezes sinalizam que corpo e mente passam por momentos de estresse, tensão ou depressão.

Cuidar da rotina pode aliviar o sintoma, mas conhecer a origem do problema é essencial para mandar a dispersão passear. "Com a correria de hoje, fica difícil executar tantas tarefas sem nenhum prejuízo para saúde. Às vezes, corpo e mente estão em desequilíbrio e a concentração falha, é natural. Por isso, agir sobre a origem do problema é sempre a melhor alternativa", explica o neurologista e neuropediatra do Hospital São Luiz, em São Paulo, Paulo Breinis.

O que o coração sofre, a mente sente

Emoção e concentração andam juntas e quando algo vai mal fica difícil prestar atenção em qualquer coisa. "Vai muito de como você lida com as coisas, mas geralmente, quando passamos por alguma situação traumática, seja ela decorrente de uma perda ou de mudanças abruptas, sofremos em todos os aspectos, inclusive no aspecto mental e daí vem a dificuldade de se concentrar", diz Paulo. "Separações, desemprego e a morte de pessoas queridas são sempre as principais causas da dispersão temporária, e a solução é tratar a dor emocional e seguir em frente", continua o neurologista. 

Agenda lotadaAgenda lotada

Agenda lotada
"Excessos nunca são bem vindos, principalmente quando comprometem o rendimento, seja na profissão ou no lazer", explica o neurologista. Para ele, agenda lotada é sinal de preocupações a mais e o cansaço físico e mental proveniente dela pode afastar sua concentração prejudicando as tarefas diárias, por isso, tenha cautela: "Somos obrigados a executar inúmeros papéis para não sermos excluídos da sociedade, porém, muitas vezes esta opção que parece a mais apropriada, pode provocar o efeito reverso e você ser lembrado pelas falhas naturais de alguém que está cansado e não pela competência que gostaria de mostrar", explica.  

"O ideal é focar no que é prioridade e tirar da sua frente tudo aquilo que possa chamar mais a sua atenção do que o que de fato deveria chamar"

Haja força de vontade
A tarefa de se concentrar torna-se ainda mais complicada quando existe uma série de coisas para nos distrair, com barulho, penduricalhos e um monte de gente falando ao mesmo tempo. "É difícil. Não dá para concentrar no trabalho, na foto, nos bichinhos na mesa e fazer tudo isso sem dispersar em algum momento", explica Paulo. "O ideal é focar no que é prioridade e tirar da sua frente tudo aquilo que possa chamar mais a sua atenção do que o que de fato deveria chamar", sugere o neurologista.

Falta de concentração pode ser sinal de outras doenças
A dificuldade de atenção passageira pode ser causada por algumas disfunções do nosso organismo. "Aspectos emocionais e doenças, como anemia, depressão e ansiedade. podem estar associadas ao problema", explica Paulo. "Porém, nem sempre a dificuldade está relacionada à doença em si, mas ao uso de medicamentos ou ao trauma que ela causa, quando se trata de doenças muito graves", continua.  

Vida saudávelVida saudável

Déficit de atenção
O Déficit de atenção é caracterizado pela dificuldade que uma pessoa tem de se concentrar por muito tempo perante algo. É resultante da ação de fatores genéticos e externos, que aparece na infância e continua na fase adulta, comprometendo o desempenho em diversas áreas como na profissão, nos estudos e nos relacionamentos.

Não são sinais da doença quando a dificuldade de concentração é passageira e não se manifesta desde a infância. Porém, se você apresenta este quadro, procure um médico e faça uma avaliação: "Hoje em dia existem vários e eficazes tratamentos para o TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). Se tratada de maneira correta, é possível reverter o problema, porém, se detectada tardiamente, os sintomas ficam mais sérios e é mais difícil reverter o quadro", explica neurologista Paulo Breine . 

"Se o lado emocional está fragilizado, a mente paga um preço".

Foco e concentração
Se você sofre com o problema, lá vão algumas dicas do neurologista:

-Reorganize tarefas e rotinas, isso fará com que você não fique sobrecarregado e mantenha o foco. "Não adianta tentar se concentrar se você não tem tempo para isso. Busque equilibrar trabalho, amor, família e lazer para ajustar horários e obter resulatado", sugere Paulo.

-"Se o lado emocional está fragilizado, a mente paga um preço", diz o especialista. Por isso, reveja mágoas e traumas que lhe atormentam e se livre deles, assim ficará mais leve para vivenciar novas experiências e terá mais facilidade em prestar atenção em outra coisa que não seja a dor que sente.

-Tire de perto tudo o que pode te distrair. "Tente manter o ambiente de trabalho e de estudos sereno, sem muita coisa ou barulho, isso vai ajudar muito na hora de se concentrar na tarefa", diz o neurologista

 -Mantenha hábitos saudáveis e uma alimentação equilibrada, rica em vitaminas e minerais.

-Procure um médico, caso persistam os sintomas. "Pode ser que alguma outra deficiência esteja acontecendo com você sem que sinais físicos ou mentais evidentes tenham se manifestado", finaliza Paulo.  


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X