PUBLICIDADE

Mães: é possível conciliar família, filhos e vida profissional?

As mulheres ainda carregam estigmas que moldam suas maneiras de ser

As inquietações não cessam diante do assunto da conciliação entre família, filhos e vida profissional na trajetória da mulher que opta em constituir sua vida nesses aspectos. São inúmeros os trabalhos acadêmicos sobre o tema, mas parece que tudo que se escreve e que se pensa ainda não esgota o assunto.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Não raras vezes chegamos a certos impasses que nos fazem, como mulheres, retrocedermos desanimadas à posição do "não tem jeito" ou "terei que conviver com essa culpa o resto da vida", "ser mãe é para sempre, não há solução" e tantas outras frases que ouvimos todos os dias por diversas mulheres, sejam aquelas que optam por ter uma vida profissional, sejam aquelas que optam em se manter trabalhando em casa.

Constituir uma família é uma experiência interminável, que requer dos seus membros, pai e mãe, dedicação, comprometimento e muita pareceria. Contudo, ainda é da mulher que se espera mais, não? Raras vezes me pedem para escrever como o homem pode conciliar sua vida profissional e familiar. Parece que "a vida está ganha para os homens" e que não sofrem as pressões de precisar ganhar os recursos materiais, cuidar dos filhos e da vida conjugal. Mas será que as coisas acontecem com esta simplicidade? Tenho muitas dúvidas...

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"As funções atribuídas à mulher construíram-se, ao longo do tempo, na intersecção entre o cultural e o biológico"

As funções atribuídas à mulher construíram-se, ao longo do tempo, na intersecção entre o cultural e o biológico. Valores, crenças e estereótipos foram sendo criados em torno do que é ser uma verdadeira mãe, uma mãe exemplar e uma mãe dedicada. Apesar das grandes lutas travadas pelas mulheres por um lugar de reconhecimento, além da vida privada doméstica, bem diferente de anos atrás, a nossa velha e companheira culpa nos acompanha, ditando regras, moldando maneiras de ser da mulher e de ser mãe.

O que fazer? Como agir para sair desse jogo que cerca a vida da mulher que opta por ter filhos, formar uma família e continuar investindo na sua vida profissional? Regras não existem! Ainda bem, pois estaríamos trocando as regras do passado pelas regras do presente. Muito pouco eficiente!

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Entretanto, respeitando a história e a maneira de cada mulher estar no mundo, podemos levantar algumas sugestões que podem tornar a caminhada menos árdua e mais prazerosa.