publicidade

TDPM é mais intensa que a TPM e precisa de tratamento

O tratamento do transtorno disfórico pré-menstrual envolve o alívio dos sintomas

Por Especialista - publicado em 31/03/2011


A TPM (tensão pré-menstrual) apresenta desconforto, irritabilidade, depressão, cansaço, sensação de inchaço e dor nas mamas e abdômen, cefaléia. Ela atinge cerca de 75% das mulheres em idade reprodutiva. Já o TDPM (transtorno disfórico pré-menstrual) é uma variante da TPM, mais intensa e severa, com a oscilação do humor como manifestação mais perturbadora, podendo prejudicar sua vida pessoal e profissional. Atinge de 3 a 11% das mulheres em idade reprodutiva.

Diagnóstico

Para diagnosticar a TDPM são necessários cinco dos seguintes sintomas e pelo menos um deles deve ser os de número de 1 a 4:

1. Humor deprimido, sentimentos de falta de esperança ou pensamentos autodepreciativos.
2. Ansiedade acentuada, tensão, sentimentos de estar com os "nervos à flor da pele".
3. Significativa instabilidade afetiva.
4. Raiva ou irritabilidade persistente e conflitos interpessoais aumentados.
5. Interesse diminuído pelas atividades habituais.
6. Sentimento subjetivo de dificuldade em se concentrar.
7. Letargia, fadiga fácil ou acentuada falta de energia.
8. Alteração acentuada do apetite, excessos alimentares ou avidez por determinados alimentos.
9. Hipersônia ou insônia.
10. Sentimentos subjetivos de descontrole emocional.
11. Outros sintomas físicos, como sensibilidade ou inchaço das mamas, dor de cabeça, dor articular ou muscular, sensação de inchaço geral e ganho de peso. 

Cardápio da TPM

Entenda as causas! Parece existir uma influência genética no TDPM, mas o consenso atual sugere que a função ovariana normal - e não algum desequilíbrio hormonal - seja o desencadeador dos eventos bioquímicos relacionados ao TDPM no sistema nervoso central e em outros tecidos.

Causas ambientais podem também estar relacionadas à TPM ou ao TDPM. Entre elas, ressalta-se o papel da dieta. Alguns alimentos parecem ter importante implicação no desenvolvimento dos sintomas, como: chocolate, cafeína, sucos de frutas e álcool. As deficiências de vitamina B6 e de magnésio também são consideradas. Porém, até o momento, o papel desses nutrientes na causa ou no tratamento não foi confirmado. Os fatores sociais parecem exercer influência maior no agravamento de sintomas, não havendo estudos consistentes correlacionando-os etiologicamente ao TDPM. 

E o tratamento?

Não há tratamento oficialmente padronizado. O que se propõe são formas de controle dos sintomas que, em alguns casos, podem ser bastante eficazes. As medicações mais usadas são os antidepressivos, inibidores da secreção de prolactina, diuréticos, progesterona e estradiol.

Inúmeras vitaminas, minerais e aminoácidos, quando ministrados de maneira criteriosa, podem abolir os desagradáveis sintomas da TPM/TDPM: elementos do complexo B (B6), minerais (magnésio), alguns aminoácidos e ácidos graxos poliinsaturados, aumento da ingestão de fibras, redução de gorduras saturadas (gorduras animais) e de hidratos de carbono simples (açúcar e mel principalmente); redução do consumo de sal e cafeína (café, chá, refrigerantes do grupo cola, guaraná); limitar a ingestão de produtos lácteos (leite e derivados). Não se deve abusar de bebidas alcoólicas e recomenda-se a redução do estresse e a prática de exercícios. Deve-se limitar o consumo de alimentos gordurosos e o excesso de proteínas. Um tipo especial de gordura, contudo é extremamente útil - o ácido cis-linoleico - encontrado em alguns óleos, especialmente, o de girassol. As verduras, legumes, cereais e leguminosas, e os alimentos integrais fornecem grande parte dos elementos nutricionais que propiciam o adequado equilíbrio entre hormônios femininos.

Antidepressivos

Os antidepressivos Inibidores Seletivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) têm sido recomendados como a primeira linha de tratamento para o alívio dos sintomas de alteração do humor na TPM e do TDPM. Sintomas físicos ou a valorização psicológica dos sintomas físicos desse transtorno são também enormemente beneficiados pelos antidepressivos, que atuam favoravelmente nos transtornos disfóricos, na irritabilidade, angústia e depressão.

Acupuntura e homeopatia

Na visão da medicina tradicional chinesa, toda alteração hormonal feminina e suas consequências estão relacionados à energia do fígado. A acupuntura pode normalizar esta energia. A homeopatia tem como objetivo o equilíbrio do indivíduo na totalidade por meio "do medicamento do indivíduo", mas pode-se associar um medicamento que guarde uma relação de semelhança com os sintomas pré-menstruais. Neste caso, as opções homeopáticas são extensas. Procure sempre um médico de sua confiança se você se encaixa no quadro dos sintomas. 



Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

 Renan Ruiz

Escrito por:

Renan Ruiz

Homeopatia

Ajudou 1891 pessoas


Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X