Masturbação: como praticar de maneira saudável?

Entenda se existe idade certa e quais os problemas do excesso

POR CAROLINA SERPEJANTE - ATUALIZADO EM 21/10/2016

"Do ponto de vista da fisiologia e da saúde, a masturbação é algo natural, parte do desenvolvimento da sexualidade das mulheres e homens", declara o urologista Valter Javaroni, do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia. Um estudo realizado pela Gossard Lingerie, empresa britânica de roupas íntimas, descobriu que 92% das mulheres praticam masturbação. A pesquisa foi feita com mais de 1.000 mulheres com idade entre 18 e 30 anos no Reino Unido, e revelou que nove em cada 10 mulheres admitiram terem se masturbado pelo menos uma vez naquele ano, enquanto dois terços delas davam prazer a si mesmas pelo menos três vezes por semana. Diante desses números é possível afirmar que a prática não é uma exclusividade masculina, tampouco restrita a um pequeno grupo - e como tal deve ser feita com os cuidados adequados, evitando doenças e infecções. Tire suas dúvidas sobre a masturbação com os especialistas:

A masturbação é prejudicial à saúde?

Masturbação é uma questão de escolha, nunca deve ser imposta ou reprimida - Foto Getty Images
Masturbação é uma questão de escolha, nunca deve ser imposta ou reprimida

Não. Segundo o urologista Valter Javaroni, a masturbação é uma forma de se conhecer melhor, que permite ao homem e à mulher aprenderem a perceber as áreas de maior excitabilidade e as formas de gerar prazer desde o início da vida sexual. "Trata-se de uma prática tão natural que ninguém precisa ser ensinado, aprende-se experimentando, tocando e se conhecendo", diz. A masturbação é uma forma de se preparar para a relação a dois, ou então passar por períodos de ausência de parceiro e ainda sim ter orgasmos. Sendo assim, ela não tem idade para começar e nem para terminar.

Por outro lado, a masturbação não é necessária ou fase obrigatória na vida de todos. "Para alguns, não existe sentido em atingir o orgasmo de maneira solitária, sendo mais agradável com a presença de um parceiro ou parceira", explica o urologista. Fato é que não existem regras quando o assunto é sexo e sexualidade, e que a masturbação pura e simplesmente não traz qualquer malefício à saúde.

A masturbação em excesso faz mal?

Qualquer extremo é prejudicial. Se masturbar em excesso ou nunca se masturbar são problemas. "Se você não se masturba nunca porque foi ensinado que não deveria ou sem justificativa racional, isso interfere negativamente na descoberta e formação da sexualidade", explica o urologista Valter. É claro que, como dito anteriormente, a masturbação não é algo obrigatório, mas sua prática ou falta dela deve partir de uma escolha do indivíduo baseada em seus gostos pessoais, não na percepção de que a prática é errada ou lhe fará mal. "Por outro lado, quando a masturbação se torna tão importante que inibe ou diminui a vida social, bem como a descoberta e conquista de parceiros que dividam momento íntimo, ela pode afetar negativamente a saúde sexual", alerta o especialista. Infelizmente, não existe um limite padronizado para o exagero - vai de cada um avaliar se a prática está ou não interferindo em outros aspectos de sua vida. "Um ponto de partida seria perceber se a masturbação solitária está sendo preferida ao relacionamento com parceiro."

Usar objetos para masturbação pode causar ferimentos e inflamações?

"Muitas pessoas são felizes utilizando acessórios na masturbação solitária ou junto com o parceiro, não tendo nada de errado com a prática em si", diz a ginecologista Caroline Alexandra Pereira de Souza, especialista em reprodução humana e endoscopia ginecológica. No entanto, é importante que os acessórios sejam feitos para essa finalidade. Devemos ter em mente que a anatomia dos órgãos genitais e regiões erógenas foi feita para aumentar a chance de reprodução e perpetuação da espécie. Por isso o pênis tem uma proteção na ponta, que é macia e suaviza o trauma e impacto do coito, enquanto a vagina é distensível e lubrifica-se para receber o pênis. "Dessa forma, quando vamos usar objetos ou acessórios para aumentar o prazer, é necessário ter cuidados e se certificar de que ele é apropriado para a prática e atende essa anatomia", diz o urologista Valter.

Várias doenças sexualmente transmissíveis não exigem a penetração para ocorrer a transmissão, basta o contato íntimo ou uma ferida nas mãos e dedos da pessoa

Existem vários acessórios que podem acrescentar algo diferente à prática para escapar da rotina e que são 100% seguros. "Evite improvisar ou adaptar nessa área, pois as complicações são sérias e podem obrigar longos períodos de abstinência para a recuperação", lembra o urologista Valter. Além disso, problemas gerados pelo mau uso de acessórios durante a masturbação levam o paciente ao pronto socorro, situação que pode causar constrangimento. Busque acessórios de qualidade vendidos em lojas especializadas, desenhados e fabricados com essa finalidade e evite usar objetos do cotidiano ou mobília para a prática - você corre o risco de causar feridas em seu órgão sexual e até mesmo infecções.

Preciso usar camisinha na masturbação solitária?

Não necessariamente. Havendo higienização dos objetos e lubrificação adequada, a camisinha é dispensável para a masturbação. Mas vale a ressalva: caso a mulher se estimule tanto pela vagina quanto pelo ânus, o ideal seria colocar nas mãos ou no objeto uma camisinha diferente para cada uma das práticas. Dessa forma, mantém-se a higiene e evita que a pessoa interrompa a masturbação para fazer essa lavagem.

É necessário usar lubrificante na masturbação?

Sempre compre acessórios em lojas de confiança e evite improvisar nessa área - Foto Getty Images
Sempre compre acessórios em lojas de confiança e evite improvisar nessa área

Depende de cada um. "A própria excitação sexual determina a produção de líquidos fisiológicos que são lubrificantes naturais, tanto no pênis quanto na vagina", explica o urologista Valter. Mas a situação muda quando a masturbação é anal. "Nesse caso é importante utilizar, pois o ânus não possui lubrificação nem quando a pessoa está excitada", diz a ginecologista Caroline. Procure um lubrificante à base de água e nunca use outros produtos, especialmente com álcool na composição. E mesmo na masturbação com a vagina ou pênis, nada impede que seja usado um lubrificante - tudo depende da preferência e conforto de cada um.

Posso perder a virgindade me masturbando?

O conceito de virgindade é entendido como ausência de relação sexual com um parceiro. Dessa forma, é impossível uma pessoa perder a virgindade se masturbando. Por outro lado, qualquer estímulo pode ser suficiente para a ruptura do hímen, que é um critério utilizado em perícia para determinar se uma mulher é ou não virgem - mas esse conceito é equivocado. "Uma mulher pode nascer sem hímen, ou ele pode se romper em contato com o dedo, com o vibrador ou até espontaneamente em situações menos comuns", explica o urologista Valter. Dito isso, a ausência de hímen não deve ser considerada um critério para a virgindade feminina, e tampouco a masturbação solitária tirará a virgindade de alguém.

Existe risco de contrair alguma DST ao fazer uma masturbação?

Masturbação em dupla também pede cuidados - Foto Getty Images
Masturbação em dupla também pede cuidados

Depende. É possível acontecer uma contaminação quando há masturbação mútua e os fluidos sexuais estejam contaminados. "Várias doenças sexualmente transmissíveis não exigem a penetração para ocorrer a transmissão, basta o contato íntimo ou uma ferida nas mãos e dedos da pessoa", explica o urologista Valter, que aponta como exemplo clássico o HPV, vírus que é transmitido apenas pelo contato pele com pele. Caso você não saiba se o seu parceiro ou sua parceira possui alguma DST, prefira fazer o estímulo com camisinha ou então não masturbar a pessoa, praticando apenas o sexo seguro.

A masturbação interfere no formato ou no tamanho do órgão genital?

Não. "Essas características são determinadas por fatores genéticos e pelo ambiente intrauterino e pós-nascimento, relacionado com estímulos hormonais e nutrientes necessários para que as diferentes fases de evolução da genitália ocorram de forma normal", explica Valter Javaroni. O desenvolvimento do órgão genital se dá desde o feto até a adolescência, e as variações de tamanho ou formato dependem da saúde do indivíduo.

A masturbação pode causar mudanças em nosso corpo?

Prazer não causa alterações no corpo, como crescimento de pelos - Foto Getty Images
Prazer não causa alterações no corpo, como crescimento de pelos

Não. Frases como "masturbação fará os pelos crescerem" ou "fará os seios se desenvolverem" e outros ditos do tipo não passam de crença, de acordo com os especialistas. "Durante muito tempo, esses mitos foram usados para condenar a prática da masturbação, seja por questões religiosas ou pessoais", diz o urologista Valter. No entanto, a masturbação é uma prática extremamente normal, que se feita com os devidos cuidados não causa qualquer tipo de problema.

Quais são os sinais de que há algo errado após ou durante a masturbação?

A dor durante ou depois da prática é o principal indício. "Feridas que não desaparecem espontaneamente 24 horas depois do estímulo também merecem atenção, e o mais recomendado é mostrar para o urologista ou ginecologista o quanto antes", ressalta o urologista Valter. Caso você sinta algo diferente, procure descobrir o que motivou o problema e busque um especialista.

A higiene é importante? Como deve ser feita da forma correta?

Uma higiene adequada é de extrema importância, pois só assim é possível estar seguro contra infecções, inflamações e até mesmo doenças. Para homens e mulheres, a higiene antes e depois da prática deve ser feita com água e sabonete neutro, tanto das mãos quanto do órgão genital. "Evite produtos bactericidas ou germicidas que vão acabar destruindo a flora natural da região genital", lembra o urologista Valter. O especialista afirma que um erro comum é o de homens usarem sabonetes íntimos femininos para fazer a higiene. "São situações totalmente diferentes, órgão com formatos diferentes e pH é diferente", completa. O ideal mesmo, para ambos os sexos, é a água com sabonete neutro, inclusive para higienizar os acessórios sexuais.

A atenção fica redobrada quando a masturbação é anal. Nesse caso, precisamos lembrar que as bactérias e germes do reto não devem ser introduzidas na vagina. "O correto é não misturar as coisas, ou então usar preservativo para a introdução anal e retirá-lo ou colocar um novo para praticar o estímulo vaginal."

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.