Artrite psoriásica: entenda a importância do tratamento com diferentes especialistas

Acompanhamento de diferentes profissionais de saúde possibilita o gerenciamento mais completo da doença

POR CINTHYA DÁVILA - PUBLICADO EM 06/05/2016

A artrite psoriásica é uma doença que pode se manifestar e comprometer diferentes partes do corpo, como juntas, pele, sistema cardiovascular e até mesmo olhos. Diante dessa realidade, é necessário que o paciente também se consulte com diferentes especialistas para fazer um gerenciamento do quadro clínico e tratar as inflamações que possam aparecer.

PUBLICIDADE

Para explicar mais sobre esse assunto e ressaltar e importância de observar e procurar um médico caso o paciente note alguma manifestação estranha em seu organismo, nós conversamos com o reumatologista Cristiano Barbosa Campanholo, membro associado da Sociedade Brasileira de Reumatologia e da Sociedade Paulista de Reumatologia onde integra a Comissão Científica e também membro do Grupo de Pesquisa e Avaliação da Psoríase e Artrite Psoriásica (GRAPPA - Group for Research and Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis); o reumatologista Rubens Bonfiglioli, professor de reumatologia da Faculdade de Medicina da PUC Campinas, vice-presidente da Sociedade Paulista de Reumatologia e membro de Comissão de Espondiloartrite da Sociedade Brasileira de Reumatologia e com a fisioterapeuta Andréa Lopes Gallinaro, especialista em reumatologia e mestre em reabilitação reumatológica.

Importância do tratamento multidisciplinar

A artrite psoriásica é um tipo de artrite que afeta algumas pessoas com psoríase, doença em que partes da pele ficam avermelhadas e com placas branco-escamosas. Por se tratar de uma doença que afeta pele e juntas, é indicado que o paciente se consulte com um dermatologista que poderá realizar um tratamento focado na pele, assim como um reumatologista, que cuidará da saúde das articulações.

No entanto, os processos inflamatórios da doença podem se manifestar de várias maneiras. De acordo com o reumatologista Cristiano Barbosa Campanholo, membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia, esses sintomas podem se manifestar em diferentes momentos do tratamento ou não se manifestar, mas é importante ter um acompanhamento de diferentes profissionais. "Esse cuidado possibilita que haja um gerenciamento completo de todos os locais em que o paciente possa ter uma inflamação", explica o especialista. Dessa forma o paciente consegue ser tratado de diferentes óticas e obter resultados satisfatórios e controle da doença.

Especialidades que fazem parte do tratamento multidisciplinar

Por ser uma doença que afeta a pele, e as juntas o paciente com artrite psoriásica pode precisar de um acompanhamento de um dermatologista e um reumatologista. No entanto, Campanholo conta que é muito comum esses pacientes apresentarem problemas no sistema cardiovascular, que podem ocasionar também complicações como colesterol elevado, problemas cardíacos e obesidade. "A artrite psoriásica pode desencadear uma inflamação que vai resultar em diferentes alterações no metabolismo", ressalta.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Uma alteração que pode acontecer é o aumento de peso e um quadro de pré-diabetes, por exemplo. Da mesma forma, segundo o especialista, algumas proteínas interferem no relaxamento dos vasos sanguíneos, causando assim maior estresse dentro do vaso e, por consequência, maior possibilidade de aumento de colesterol.

Vale lembrar que alguns medicamentos também podem ocasionar ganho de peso e, muitas vezes, diante da mudança na rotina, devido a uma crise aguda nas articulações ou por questões emocionais o paciente diminui o ritmo de atividades físicas, aumentando assim as chances de obesidade. Devido a esses fatores, é importante que seja feito um acompanhamento com um cardiologista e também um endocrinologista.

O oftalmologista também é um dos profissionais que pode contribuir para o tratamento do paciente com artrite psoriásica. "É de grande importância o acompanhamento com um oftalmologista, pois a artrite psoriásica pode atingir qualquer parte do olho. Pode acontecer desde um quadro de vermelhidão e dor nos olhos, semelhante a uma conjuntivite até dificuldade de enxergar, com perda temporária de visão", alerta.

O acompanhamento fisioterápico também é necessário, pois possibilita que o paciente trabalhe e fortaleça sua musculatura, lubrifique as juntas, adquira uma melhor movimentação e mais equilíbrio.

Para a fisioterapeuta Andréa Lopes Gallinaro, que possui especialização em reabilitação reumatológica, o encaminhamento do paciente com artrite psoriásica à fisioterapia precisa ser uma das primeiras iniciativas de seu tratamento. "Alguns médicos têm bastante receio de encaminhar o paciente numa fase aguda, pois preferem que a doença esteja estabilizada. No entanto, nessa fase, o fisioterapeuta pode ajudar na orientação da proteção articular (das juntas) e cuidados do posicionamento de postura", afirma a especialista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tão importante quanto a saúde física é o bem-estar emocional. Afinal, a artrite psoriásica é uma doença complexa, que além de poder causar diferentes complicações, também pode ocasionar tristeza e depressão, fazendo com que o indivíduo sinta-se desmotivado para realizar o tratamento. Por isso é importante procurar auxílio psicológico ou um grupo de apoio onde seja possível falar sobre o problema com pessoas que tenham sensibilidade e empatia.

Cada paciente possui uma necessidade

Ouvir sobre tratamento multidisciplinar pode assustar um pouco e passa a impressão de que a doença está avançando. Mas na maioria das vezes não são todos os pacientes que precisam se consultar com profissionais de diferentes especialidades o tempo todo, mas sim eventualmente para checar se está tudo bem. Segundo Campanholo, a artrite psoriásica é uma doença crônica que não tem cura e cada profissional de saúde consegue atuar somente na sua especialidade. Logo, o olhar de diferentes profissionais contribui para diagnosticar ou prevenir precocemente qualquer inflamação adversa. Segundo o reumatologista Rubens Bonfiglioli, professor de reumatologia da Faculdade de Medicina da PUC Campinas, o reumatologista é antes de tudo um clínico geral e tem como identificar precocemente esses distúrbios antes e encaminhar para um profissional especializado no assunto. Por isso é importante que ele confie e fale sobre os diferentes sintomas que vem notando em seu corpo com o reumatologista, pois assim ele poderá encaminhá-lo para outro especialista, dependendo de qual for o sintoma.

Ajuda do paciente

O tratamento com diferentes especialistas envolve também o comprometimento do paciente, primeiramente para comparecer e seguir as recomendações dos especialistas, mas também como forma de oferecer informações sobre o andamento do tratamento e recomendações recebidas nas consultas. "É importante que o paciente conheça sua doença para que possa ser um agente ativo no acompanhamento. Além disso, é importante que ele saiba quais medicamentos está tomando e os exames que realizou", lembra.

De acordo com Bonfiglioli o ideal seria que os especialistas tivessem um canal de comunicação, mas na maioria das vezes isso é difícil. "No Sistema Único de Saúde, por exemplo, você nem sabe quem é o colega que acompanha seu paciente. No entanto esse contato pode ser feito por anotações e cartas em comum", completa.

Guardar as receitas dos medicamentos e exames realizados também possibilitará que todos os médicos envolvidos no tratamento estejam cientes sobre como anda a saúde do paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)