Bicho geográfico: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Bicho geográfico?

Sinônimos: larva migrans cutânea

Bicho geográfico, também chamada de larva migrans cutânea, é uma infecção causada pelas larvas de parasitas que vivem no intestino dos cães e gatos. Os principais parasitas são Ancylostoma brasiliense e o Ancylostoma caninum (mais raro). Os ovos liberados nas fezes dos animais podem se desenvolver em larvas, que quando entram em contato com pele sem proteção, eles começam a se locomover pelas camadas da pele e deixam marcas vermelhas de seu caminho, formando desenhos (semelhantes a mapas) que coçam e inflamam, causando bolhas. Ao coçar essas marcas, podem ocorrer infecções bacterianas secundárias.

PUBLICIDADE

Causas

O bicho geográfico é causado pelas larvas dos vermes Ancylostoma brasiliense e Ancylostoma caninum, presentes no intestino de cães e gatos. Quando o animal evacua na terra ou areia os ovos são liberados. Em contato com o solo quente as larvas se desenvolvem e ficam lá. Quando entram em contato com a pele nua, penetram nela, causando a doença.

O bicho geográfico é uma doença mais comum em países de clima tropical e normalmente é contraída em zonas rurais e praias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Bicho geográfico

O principal sintoma do bicho geográfico são as marcas vermelhas que sinalizam o caminho da larva pela pele. Elas são finas, semelhantes a linhas de um mapa, e isso origina o nome da doença. Esses "túneis" podem avançar até dois a cinco centímetros ao dia. Além disso, elas costumam coçar bastante e podem formar bolhas.

Isso ocorre porque quando a larva do bicho geográfico entra no organismo, ela só consegue se locomover na parte mais externa da pele, se movimentando ao acaso e formando esses caminhos e padrões aleatórios.

Em alguns pacientes é possível perceber um ou mais pontos de relevo avermelhados na pele onde a larva entrou no corpo.

Em cerca de 75% dos casos a contaminação pelas larvas ocorre nos membros inferiores, como pés e pernas. Mas pode aparecer também nos antebraços e tronco. Crianças que ficam sentadas na praia costumam ser acometidas principalmente nas coxas e glúteos.

Normalmente as marcas do bicho geográfico ocorrem entre dois a cinco dias depois da entrada da larva na pele, mas existem casos em que ela fica encubada por até um mês. Os sintomas costumam se resolver sozinhos, com o tempo as partes mais antigas do túnel vão desinflamando, deixando apenas manchas escuras na pele que tendem a desaparecer mais tarde.

O problema é que a duração deste processo é variável (podendo se resolver em duas semanas ou demorar meses) e as inflamações são muito incômodas, causando coceiras que podem até mesmo impedir a pessoa de dormir. Coçar os locais pode levar a infecções bacterianas.

Pode acontecer também da larva desaparecer espontaneamente e reaparecer semanas ou meses depois.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Diagnóstico de Bicho geográfico

O diagnóstico do bicho geográfico costuma ser clínico, com base nos sintomas da pele, que são muito característicos deste problema. Além disso, o histórico do paciente com o contato com solo ou areia contaminados podem ser determinantes para identificação do problema.

A biopsia não é recomendada e pode inclusive piorar o problema.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar um bicho geográfico são:

  • Clínico geral
  • Dermatologista
  • Infectologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

Buscando ajuda médica

Assim que os sintomas semelhantes ao do bicho geográfico aparecerem é importante buscar um dermatologista ou mesmo um pronto socorro para o tratamento dos sintomas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Bicho geográfico

O tratamento do bicho geográfico normalmente é feito com medicamentos com efeito antiparasitários, normalmente que tenham ação contra os helmintos, uma espécie de verme a qual fazem parte os parasitas Ancylostoma brasiliense e o Ancylostoma caninum.

Os medicamentos mais usados são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Coçar as lesões provocadas pelo bicho geográfico podem causar lesões na pele que aumentam a chance de infecções por bactérias. Esses processos podem levar a celulites infecciosas (diferentes das celulites comuns) e erisipela.

Convivendo/ Prognóstico

O bicho geográfico é um quadro com duração pré-determinada, mas que causa muitos incômodos, principalmente devido a coceira. Os medicamentos indicados pelos médicos podem ajudar a reduzir este incomodo e é importante levar o tratamento à risca.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

A melhor forma de prevenir o bicho geográfico é evitar o contato dos pés descalços em solos e areias possivelmente contaminados. Ao sentar-se no chão ou areia, usei barreiras como toalhas e esteiras.

Os donos de animais também têm um papel chave na prevenção destas doenças, cuidando da saúde de seus pets. Os cuidados incluem:

  • Evitar levar cães e outros animais à praia
  • Recolher as fezes dos animais e dar-lhes um destino adequado
  • Levar seu pet regularmente ao veterinária para tratamento contra parasitas.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências

  • Manual Merck
  • Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC)
  • Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio de Janeiro
  • Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de Florianópolis