Hérnia de disco: sintomas, tratamentos e causas

REVISADO POR
Dr. Adriano Scaff Garcia
Neurocirurgia - CRM 93656/SP
especialista minha vida

Visão Geral

O que é Hérnia de disco?

Sinônimos: protusão discal

A hérnia de disco ocorre quando parte de um disco intervertebral sai de sua posição normal e comprime as raízes nervosas que se ramificam a partir da medula espinhal e que emergem da coluna espinhal. Esse problema é mais comum nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas ao movimento e que suportam mais carga.

Causas

Os discos intervertebrais são estruturas em formato de anel ou discos localizados entre as vértebras que formam a coluna espinhal. Os discos são constituídos por tecido cartilaginoso e elástico e tem como principal função evitar o atrito entre uma vértebra e outra, mas permitindo o movimento entre elas.

A hérnia de disco acontece com o desgaste desses discos, causado pelo seu uso repetitivo. Na hérnia de disco, existe uma fraqueza ou mesmo uma ruptura do anel que contém o disco, onde uma parte de seu conteúdo sai de sua posição normal e invade o canal vertebral, onde passam a comprimir as raízes nervosas, causando compressão sobre elas e, consequentemente, dor.

O desgaste pelo tempo e a genética são os principais causas predisponentes de uma hérnia de disco, mas forçar os músculos das costas para levantar peso excessivo pode ser um desencadeador deste problema.

Mais raramente, um acidente ou injúria pode também levar ao surgimento de uma hérnia de disco.

Hérnia de disco provoca dores nas costas - SAIBA MAIS
2 de 8

Fatores de risco

Excesso de peso e fazer atividades que demandem grande esforço físico são fatores que podem desencadear problemas nas costas, entre elas a hérnia de disco. Movimentos de repetição no trabalho que exigem muito dos músculos das costas podem causar desgaste dos discos e, consequentemente, levar à hérnia. O sedentarismo e a posição repetida, como por exemplo a de ficar sentada por muito tempo também podem gerar lesões nos discos, que podem causar a hérnia de disco.

Há evidências também de que a genética possa ter um papel de importância no desenvolvimento de hérnias de disco. Isso quer dizer que você está em maior risco para hérnia de disco se seus pais, irmãs ou irmãos possuem a doença.

Sintomas

Sintomas de Hérnia de disco

Uma pessoa pode ter uma hérnia de disco e nem se dar conta disso. Mas na maioria dos casos o paciente sente dores. A dor é mais concentrada nas regiões lombar e cervical da coluna e em alguns casos ela pode irradiar para os membros superiores, no caso da hérnia cervical e para os membros inferiores,( ciático) nos casos da hérnia lombar.

Os principais sintomas da hérnia de disco são:

  • Dor cervical, torácica (dorsal) ou lombar
  • Dor nos braços ou nas pernas (ciático)
  • Sensação de formigamento, câimbras nos braços e nas pernas
  • Sensação de fraqueza por causa dos nervos acometidos
  • Em casos mais raros porém mais graves, existe a alteração dos esfínceteres vesical (urina) e anal (fezes).

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Procure por auxílio médico se você apresentar uma dor forte e persistente nas costas e se tiver qualquer sensação de dormência, perda de movimento, fraqueza ou alterações de hábitos urinários e intestinais.

Na consulta médica

Aproveite a disponibilidade do médico para tirar todas as suas dúvidas a respeito da hérnia de disco e dos motivos que podem ter causado o problema. Para que o especialista possa realizar o diagnóstico corretamente, ajude-o descrevendo seus sintomas detalhadamente e responda às perguntas que ele deverá lhe fazer. Veja:

  • Você sente dor nas costas que migra para os braços ou para as pernas?
  • Você sente fraqueza ou formigamento nas pernas?
  • Você notou qualquer mudança no funcionamento do intestino ou da bexiga?
  • Tossir ou espirrar faz a dor piorar?
  • A dor está prejudicando seu sono ou suas atividades diárias?

Diagnóstico de Hérnia de disco

Primeiramente, o médico realizará um exame físico no paciente com suspeita de hérnia de disco para avaliar onde há dores ou sensibilidade na região das costas. Em seguida, ele realizará um exame neurológico, no qual avaliará o reflexo, força muscular, capacidade de andar e sensibilidade para toques, vibrações e testes de sensibilidade.

Em muitos casos, o exame médico, o exame neurológico e uma conversa sobre o histórico médico e familiar do paciente bastam para que o diagnóstico possa ser feito. No entanto, se houver suspeita de que outra causa possa estar levando aos sintomas descritos pelo paciente, o médico poderá optar por realizar outros exames, a fim de excluir outras possíveis causas e, assim, finalizar o diagnóstico:

  • O raiox, a tomografia e a ressonância magnética da coluna evidenciam a localização da hérnia bem como sua morfologia e ajudam no diagnóstico diferencial com outras doenças que possam levar aos mesmos sintomas
  • Pode ser feita uma eletromiografia para determinar exatamente a raiz de nervo em questão e determinar o grau funcional da raíz nervosa acometida
  • O teste de velocidade de condução do nervo pode ser feito.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Hérnia de disco

O primeiro tratamento para a hérnia de disco é um período de repouso com medicamentos analgésicos, seguido por fisioterapia. A maioria das pessoas que segue esses tratamentos se recupera e retorna a suas atividades normais (cerca de 80% em 6 semanas de tratamento). Poucas pessoas precisarão de tratamento mais específico, que pode incluir injeções de esteroides (bloqueios da dor), radiofrequência pulsada ou cirurgia.

As pessoas que sofreram um deslocamento de disco causado por lesão (como um acidente de carro ou levantamento de objeto pesado) receberão medicamentos anti-inflamatórios e drogas analgésicas do tipo narcóticas, se apresentarem dor forte nas costas e nas pernas.

Caso o paciente tenha espasmos nas costas, provavelmente receberá relaxantes musculares. Em poucas ocasiões, podem ser receitados esteroides orais ou injetáveis. Os anti-inflamatórios são usados para controlar a dor, mas narcóticos ( analgésicos potentes ) podem ser receitados caso a dor não responda aos anti-inflamatórios e corticoesteróides,

Além disso, os fisioterapeutas mostrarão posições e exercícios para minimizar as dores causadas pela hérnia de disco. Entre as recomendações dos profissionais podem estar compressas com gelo ou calor, tração, ultrassons, estímulos elétricos e imobilização temporária do pescoço e da parte inferior das costas.

As injeções de esteroides na região da hérnia de disco (bloqueios epidurais) podem ajudar a controlar a dor por vários meses. Essas injeções ajudam a reduzir o processo inflamatório ao redor do disco e da raíz nervosa, podendo aliviar muitos sintomas ou mesmo resolver o problema. As injeções espinhais normalmente são aplicadas em centro cirúrgico ambulatoriais, usando raio-X específico (fluoroscopia) para localizar a área da coluna onde a injeção será aplicada.

Outro tratamento é a radiofrequência pulsada, onde através da fluoroscopia, uma agulha é colocada diretamente na raiz nervosa e conectada a um aparelho que envia uma onda elétrica (radiofrequência), para o nervo tratando a dor de forma elétrica (neuromodulação). Em último caso, a cirurgia pode ser uma opção para os poucos pacientes cujos sintomas não desaparecem com outros tratamentos e ao longo do tempo, sendo que hoje, existem centros que utilizam-se das cirurgias minimamente invasivas, como a endoscopia.

Medicamentos para Hérnia de disco

Os medicamentos mais usados para o tratamento de hérnia de disco são:

  • Etna (cápsula)
  • Etna (solução injetável).

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Aliadas ao tratamento, algumas medidas caseiras podem ajudar os pacientes a se recuperar mais rapidamente e garantir a eficácia das terapias utilizadas. Confira:

  • Faça compressas com água quente ou gelo para reduzir a dor e a inflamação causada pelo deslocamento de hérnia
  • Repouso pode parecer bom, pois a ausência de movimentos evita a sensação de dor, mas não se engane: repouso pode levar a problemas na articulações e à fraqueza muscular - que podem ser difíceis de tratar. Descanse bastante, mas procure sempre levantar e dar uma volta, inclusive no trabalho e em casa.

Complicações possíveis

Entre as possíveis complicações da hérnia de disco estão:

  • Dor nas costas a longo prazo e piora progressiva dos sintomas (dor crônica)
  • Perda de movimento ou de sensibilidade nas pernas e nos pés
  • Perda de funcionalidade de intestinos e bexiga
  • Mais raramente, lesão medular permanente.

Expectativas

A maioria das pessoas com hérnia de disco melhora com o tratamento clínico. Uma pequena porcentagem pode continuar tendo dor nas costas mesmo depois de tratar-se. Sem o tratamento correto, como por exemplo, o "conviver com a dor" ou a automedicação são condenáveis e podem gerar diversos problemas.

Pode levar de vários meses até um ano ou mais para que a pessoa retome todas as atividades sem que haja dor ou tensão nas costas. As pessoas que exercem funções que implicam tensão nas costas ou carregamento de peso podem necessitar mudar de emprego para evitar novas lesões nas costas.

Prevenção

Prevenção

Algumas medidas podem prevenir a hérnia de disco. Obter segurança no trabalho (ergonomia laboral) e lazer, usando técnicas adequadas de levantamento de peso e controle do peso corporal são uma das principais maneiras de se prevenir lesões nas costas, entre elas a hérnia de disco. Exercícios físicos e o cultivo de uma boa postura corporal a qualquer momento do dia são outros métodos preventivos eficientes.

Órteses (cintas e coletes) devem ser utilizados em casos muito específicos e com orientação médica. Essas órteses podem ajudar a prevenir lesões em pessoas que têm que carregar objetos pesados no trabalho. Porém, o uso excessivo desses dispositivos pode enfraquecer os músculos abdominais e das costas, piorando o problema.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Mayo Clinic