HPV: doença sexualmente transmissível pode causar verrugas genitais

SÉRIE DSTS - DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

POR ADRIANE ZIMERER - ATUALIZADO EM 08/02/2013

Complicações possíveis englobam câncer de colo do útero e de pênis

2 de 3

Ter relações sexuais sem preservativo é um fator de risco para várias doenças sexualmente transmissíveis. Uma delas é o HPV, uma infecção que acomete homens e mulheres e nem sempre apresenta sintomas. Portanto, saiba no vídeo como prevenir e tratar o problema.

HPV é o nome genérico de um grupo de vírus, chamado de papilomavírus humano. Existe mais de cem tipos diferentes de HPV. A principal forma de transmissão da doença é pela via sexual e para que ocorra o contágio, a pessoa infectada nem precisa apresentar sintomas.

A ginecologista Denise Coimbra explica que a paciente pode se queixar apenas de ardência ou dor durante a relação sexual. É comum que, em exames, o médico visualize verrugas na região genital feminina. Nos homens, os sintomas são parecidos e se manifestam na cabeça do pênis.

Em casos mais graves, as células infectadas pelo vírus podem invadir tecidos vizinhos e formar um tumor maligno, como o câncer do colo do útero e do pênis. Mas, por questões anatômicas, são as mulheres que estão em maior perigo. Isso porque a visualização das lesões não é tão fácil quanto nos homens, o que dificulta o diagnóstico.

Não se sabe o tempo que o HPV pode permanecer sem sintomas. Por isso, é indispensável que as mulheres façam o exame de rotina, o papanicolau. Além de utilizado para diagnosticar o HPV, também é importante para prevenir câncer do colo do útero.

Segundo a ginecologista, o tratamento tende a ser difícil. Isso porque o vírus tem diferentes mutações, o que dificulta o desenvolvimento de medicações. A cauterização é utilizada para lesões visíveis. O HPV também pode ser eliminado espontaneamente, sem que o indivíduo saiba que estava infectado, por isso é importante que se utilize preservativos em todas as relações sexuais.

Mas quem já teve HPV uma vez pode ter de novo. Por isso, parte importante no tratamento é a prevenção de novos casos. Uma solução é a vacina, que pode ser usada tanto nas mulheres, quanto nos homens. É importante lembrar ainda que o tratamento do HPV deve ser feito no casal, para evitar a recontaminação. 

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não