PUBLICIDADE

Tratamentos a laser

Sabe aquela olheira superescura ou aquela manchinha escura terrível, que creme nenhum deu jeito? Então, trate de se preparar para dar um fim definitivo nelas, usando algum dos tratamentos a laser disponíveis atualmente. Sardas, manchas de sol, vasinhos estourados, pêlos indesejáveis e até rugas sucumbem a algumas aplicações luminosas. "Controlando a intensidade, a luz atinge diferentes camadas da pele e, dessa maneira, conseguimos empregar o mesmo recurso para resolver vários problemas", afirma a dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Susana Lu Chen Wu.Hoje em dia, existem dois tipos de aparelhagem e, nos consultórios, predominam os de luz não-coerente (mais conhecidos como aparelhos de luz pulsada). Eles apresentam vários comprimentos de onda e, portanto, permitem a realização de uma gama maior de tratamentos.

Já os de luz coerente (realmente chamados de laser) têm apenas um comprimento de onda e são usados para tratamentos específicos. Para não correr riscos desnecessários - sim, o laser também pode ser traiçoeiro! - e resolver de uma vez por todas todas as suas dúvidas, o Minha Vida teve uma longa conversa sobre o assunto com a especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A seguirm você confere as explicações dela, tintim por tintim. Como um mesmo aparelho é capaz de acabar com as sardas e eliminar os pêlos?
O princípio físico é o mesmo: fototermólise seletiva. "Mas, fazendo modificações na ponteira por onde a luz passa e na potência do emissor, conseguimos atingir camadas diferentes da pele", afirma a dermatologista. Sardas, cicatrizes superficiais e manchas de sol não muito profundas são as primeiras a serem capturadas pelo clarão do laser. Nesses casos, o profissional trabalha com uma intensidade mais baixa do aparelho a fim de atingir a melanina, proteína que dá pigmentação à pele e aos cabelos. Numa potência mediana, a luz chega até a oxiemoglobina, e é a vez do laser acabar com os vasinhos, que surgem quando as veias se dilatam demais. Usando o terceiro estágio da aparelhagem, o dermatologista consegue eliminar os pêlos. A potência mais forte é usada para suavizar ou prevenir sinais de envelhecimento. Em ambos os casos, o laser serve como estimulação ao colágeno, proteína que garante a firmeza da pele. Quantas sessões são necessárias para notar os resultados?
O número é bastante flexível, e varia de acordo com o tipo e estado da pele. A atenuação de manchas, algumas vezes, pode ser notada logo após a primeira sessão. Por outro lado, uma mulher que faz tratamento preventivo contra as rugas, só sentirá os impactos no longo prazo. No entanto, antes de pensar nos resultados, Susana alerta para a capacitação do profissional que fará a aplicação. "Uma consulta prévia é imprescindível para descobrir se a pele da paciente está apta para o processo", diz. Quais cuidados a pessoa deve ter antes e depois das sessões?
Ficar longe do sol um mês antes e outro depois das sessões é fundamental para o sucesso de qualquer um dos tratamentos a laser. "Sofrer com mais manchas é o castigo para quem desobede a regra", afirma Susana. Ela alerta ainda para os efeitos fotosensibilizante de alguns medicamentos, como certos antiinflamatórios - a pele fica sensível demais à luz, rejeita o tratamento e ganha manchas. Para o combate às rugas, o intervalo entra uma sessão e outra é de 30 a 60 dias. Já nos casos de depilação, o tempo médio entre o procedimento é de 30 a 45 dias. Em que casos o laser está proibido?
É difícil falar numa contra-indicação genérica. Mas, normalmente, peles com algum tipo de inflamação, como quadros de acne muito intensos, precisam ser tratadas com cremes antes que os rais sejam usados. A aplicação do laser na pele causa alguma dor?
Não. A sensação durante as sessões luminosas não passa de um incômodo, que varia de acordo do tipo de pele e do tratamento. Se a pele for muito sensível, por exemplo, a paciente pode apresentar menos resistência que uma pessoa de pele normal.