PUBLICIDADE

Homofobia: você sabe o que é?

Homofóbicos se sentem incomodados com pessoas que expressam sua sexualidade

Frequentemente ouvimos, lemos ou assistimos algo sobre a homossexualidade, este assunto costuma estar acompanhado de conflitos, busca de direitos e igualdade social, preconceitos e agressividade. Mas porque a homossexualidade provoca tantas reações conflituosas e principalmente ofensivas e agressivas?

Essas atitudes frente a homossexualidade são conhecidas como homofobia. A homofobia significa uma repulsa, incômodo, indignação e ódio pelas pessoas que expressam sua sexualidade homossexual e não hétero. Pessoas homofóbicas possuem um desejo intenso em mudar os homossexuais e provar que eles estão e são errados, que possuem algum problema e por isso precisam de ajuda para serem curados ou mesmo precisam de uma correção, uma lição ou punição para aprenderem a ser o que eles julgam como correto.

Quais são as bases da homofobia?

A homofobia traz sempre consigo uma questão muito forte sobre tabus, regras e valores morais impostos por uma cultura tanto familiar, como social e regional. Costumes culturais como os conceitos religiosos intensos e fanáticos costumam ser fortes motivadores para a homofobia, visto que possuem como base a obediência sem questionamento, as regras para serem seguidas de formas técnicas, valores morais e pessoais ditados por uma lei maior e que reprime suas particularidades enquanto sujeito único.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Esse tipo de pensamento pode acabar gerando pessoas "endeusadas", poderosas, representantes de Deus ou de uma força maior e que se sentem grandiosas e por isso se consideram heroínas que devem salvar o mundo, acabar com o pecado e com o que entendem como imoral (no caso, aquilo que vai contra sua moral) e por isso se permitem atitudes diversas (pregação, ofensas, ataques e até assassinatos) em nome de seus valores e suas verdades. São traços fantasiosos e até psicóticos, que podem causar grandes danos psicológicos a eles mesmos e a quem convive com eles.

Esses grupos não costumam se reconhecer como homofóbicos, não acreditam que são preconceituosos ou estão agindo indevidamente, isso porque são motivados por fantasias de poder e, portanto, não reconhecem a possibilidade de estarem errados. São pessoas fechadas para ouvir, ver ou pensar fora de seus tabus e ordens e por isso tendem a ficar tão incomodados, irritados e ofendidos quando se deparam com aqueles que não agem da mesma forma.

Todo homofóbico tem problemas com sexualidade?

Os homofóbicos na maioria das vezes são pessoas que ainda não definiram ou não são totalmente seguras de sua identidade sexual (mesmo que já sejam adultos), por isso precisam reafirmar sua sexualidade continuamente, como um mecanismo de defesa (viver falando o quanto são héteros ou criticando desmedidamente os homos) e por isso é muito comum se tornarem agressivos e ofensivos, pois na verdade tentam se defender de seus conflitos íntimos e psíquicos que aparecem numa outra pessoa, fora do seu controle e seu tabu e ele não pode reprimir.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

IMPORTANTE: Vejam bem, o fato dos homofobicos possuírem conflitos e duvidas com sua sexualidade, não significa que eles são ou se tornarão homossexuais. Não generalizem, pois antes de tudo somos seres únicos. Mas significa que estas pessoas possuem angustias, repressões e conflitos psíquicos em seus desejos mais íntimos de existência, que talvez nem envolvam a opção sexual em si, porém com suas atitudes invasivas e fanáticas por uma regra única e padronizada do ser humano, nos mostra que são pessoas com dificuldades de serem elas mesmas. E provavelmente seja essa a maior angustia, o fato de não conhecerem elas mesmas, não saberem sobre seus desejos mais íntimos e particulares, sobre suas angustias mais profundas, pois estão sempre presas ao raso, onde o tabu e a lei ou ordem técnica da vida prevalecem, reprimem e impedem de sentirem a si mesmo.

A homossexualidade nada mais é, do que uma expressão e escolha da sexualidade de uma pessoa, exatamente como acontece com a heterossexualidade. Desde nosso nascimento e ao longo de nosso desenvolvimento humano, familiar, social, vivemos experiências diversas de amor e angustias e são essas experiências que irão nos constituir como seres numa sociedade.

No início, quando somos crianças, apenas sentimos, observamos e repetimos nosso meio, mas a partir de um determinado momento na vida (muito comumente na adolescência, mas nem sempre) passamos a expressar o que nos constituiu até então, ou seja, aquilo que aprendemos torna-se algo adaptado ao Eu particular de cada pessoa. Logo somos o que aprendemos com nossa educação e cultura familiar e social, mas somos também e principalmente o que sentimos, entendemos e identificamos de um modo muito particular e único sempre.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Homofobia não é só agressão física

Vale lembrar que a homofobia acontece das mais diferentes formas e é cotidiana. A agressividade nem sempre virá de forma física, na maioria das vezes está presente em piadas, ofensas e até mesmo nas tais ajudas. É preciso esclarecer sempre que possível que Homossexuais não possuem um problema, não são um problema, logo não há o que curar ou arrumar ou ensinar e não se trata de técnicas familiares e educacionais, religiosas ou culturais. Não se ensina ser homossexual ou heterossexual, os impulsos e desejos de cada pessoa é que mostrarão quem são e isso não se encontra em livros, cartilhas ou regras, isso acontece vivendo e tendo a chance de ser um ser.

O termo homofobia remete a um medo inconsciente ou irracional em lidar com a realidade homossexual, isso porque, esta realidade é entendida como uma provocação e ousadia, de pessoas que assumem uma coragem de vida. Coragem não de ser homossexual, mas uma coragem de expressar quem são, expressar seus desejos e não se prenderem a regras e tabus. Isso significa que sabem quem são ou ao menos querem saber e assumir quem são. Não temem ser eles mesmos e aproveitam (mesmo com todos os riscos que vida lhes coloca) a possibilidade de existirem, pois isso é viver.