SYLVIA e mais 1 pessoa perguntaram:

Qual a diferença entre síndrome de pânico e ansiedade?

  • Respondido em 08/05/2014
    Luiz Gustavo Gonçalves Canuto Psicanálise e Psicologia - CRP 36620/MG
    Olá,

    A síndrome do pânico é um tipo específico de transtorno dentro dos quadros ansiosos. Costuma ocorrer em crises, isto é, vêm "do nada" e de forma muito intensa. A ansiedade é um estado mais constante, portanto é um estado menos sujeito a variações, altos e baixos e crises, que a síndrome do pânico. Resumindo, a principal diferença está nas gradações, no modo como a ansiedade se distribui. É importante ressaltar que um quadro ansioso pode evoluir para um quadro de pânico e vice-versa e que além disso são transtornos graves e que trazem muito sofrimento para quem os porta, sendo assim um tratamento psicoterápico (em alguns casos aliado ao tratamento psiquiátrico e o uso de psicofármacos) é altamente indicado.

    PUBLICIDADE
  • Respondido em 26/06/2014
    Jessye Cantini Psicologia - CRP 05/40442/RJ
    Olá,

    A ansiedade é um sentimento comum a todas as pessoas, que aparece quando nos vemos ameaçados física ou psicologicamente por algo que ainda não aconteceu - é uma forma de nos prepararmos e nos anteciparmos a possíveis resultados negativos. A ansiedade em si não é problemática, mas o excesso dessa emoção pode gerar prejuízos na qualidade de vida, caracterizando um transtorno de ansiedade. O transtorno do pânico (TP) é um desses transtornos.

    O TP se caracteriza pela ocorrência de ataques de pânico recorrentes, que podem ser espontâneos (ou seja, inesperados) ou situacionais (como ter que fazer algo que a pessoa já tinha muito medo antes - por exemplo, andar de avião com medo de voar). Os ataques de pânico geralmente duram de 5 a 15 minutos, mas são extremamente desconfortáveis. A pessoa experimenta sensações físicas como aumento dos batimentos cardíacos, alteração na respiração (pode dar tonteira e/ou sensação de falta de ar), tensão muscular (podendo ter tremores), sensações de calor ou calafrio, sudorese e boca seca, entre outros. Durante o ataque, o indivíduo também sofre com pensamentos como "vou morrer", "vou enlouquecer", "vou perder o controle" e/ou "vou ter um ataque cardíaco".

    Como os ataques de pânico são experiências aterrorizantes, a pessoa que desenvolve o TP passa a temer as sensações que lembrem um ataque ou que possam desencadear um - o que a leva a evitar muitas situações e atividades. Daí, ela pode desenvolver um outro quadro muito comum, chamado agorafobia. Esta, por sua vez, se caracteriza pela evitação de frequentar lugares ou situações em que a pessoa julgue que a saída ou o socorro são muito difíceis ou inacessíveis.

    Em suma, a ansiedade patológica está no cerne do transtorno do pânico. Porém, a ansiedade em si é um sentimento que todos temos em algum nível, e que é necessário para nossa vida. Se a ansiedade passa dos limites e começa a atrapalhar a vida, deve-se buscar por um psicólogo e/ou um psiquiatra.

    PUBLICIDADE