Quais fatores influenciam a produção de leite materno

Baixa produção pode ser normalizada com auxílio de profissionais, mas alimentos estimulam

Toda mãe já sabe de cor: o mais saudável para um bebê é que ele seja amamentado exclusivamente até os seis meses. Para quem nunca teve um filho, parece que o processo é simples: apenas oferecer o seio que o bebê já irá mamar. No entanto, amamentar é um trabalho difícil, já que envolve encontrar a posição e a pega corretas. Estes fatores influenciam até no fluxo de leite, e podem fazer com que a mãe ache que produz uma quantidade insuficiente. Diante disto, muitas mães buscam incluir na dieta alguns alimentos que prometem aumentar esta produção.

Entretanto, o fator que mais estimula a produção de leite é a própria sucção do bebê. "Quanto melhor a sucção, mais correta a pega maior o estímulo e produção de leite materno", explica Paula Guidi, nutróloga do Hospital Samaritano de São Paulo. Segundo a médica, são poucos os casos em que a baixa produção de leite está relacionada ao estado nutricional da mãe.

Por acontecer apenas em casos raros, quando uma mulher percebe que não está produzindo leite de forma suficiente precisa recorrer a profissionais da saúde que podem ajudá-la a entender o que está acontecendo, como médicos, nutricionistas, doulas e enfermeiros. Há profissionais especialistas em aleitamento materno que ajudam a solucionar os problemas destas mães. "Na maioria das vezes, quando a mãe é bem orientada, a produção normaliza", conta a nutricionista Alexandra Marinho, nutricionista materno-infantil.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

As situações que podem ocasionar dificuldade na produção de leite são algumas cirurgias mamárias, uso de antigripais e antialérgicos, alguns anticoncepcionais e problemas de ordem hormonal, como hipotireoidismo. Alexandra ainda adiciona a parte emocional da mãe. "Estresse, insegurança, dor por conta de alguma fissura, cansaço, etc. podem liberar hormônios que bloqueiam a produção e ejeção do leite materno", afirma.

Estimulando a produção

O olhar do bebê é uma boa maneira para estimular a produção de leite. Isso acontece pois, quando a mãe vê seu filho, libera ocitocina, hormônio responsável por desencadear a produção de leite nas glândulas mamárias.

Outro fator para que a produção de leite seja adequada é a hidratação da mãe. Paula recomenda que uma mulher que está amamentando beba 4 litros de água por dia, o dobro do que um outro adulto precisa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Alimentos para estimular a produção de leite

Depois que a ajuda médica é acionada, a nutricionista explica que há alguns alimentos que podem ter uma influência positiva na produção de leite. Isso acontece devido às suas propriedades nutricionais.

As sementes oleaginosas, como castanha, nozes e amêndoas, são alimentos considerados energéticos e ricos em gorduras boas. Por isso, quando inseridas em um cardápio planejado, podem ser boas para aumentar a produção de leite materno.

Frutas como a melancia, o melão e a laranja também ajudam pela quantidade de água que têm.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Enquanto isso, frutas como açaí, abacate e banana são energéticas, e também podem ajudar nesta produção.

O caso dos chás

No caso dos chás, a nutróloga Paula os recomenda como uma opção de hidratação para os dias frios, em que nem sempre gostamos de beber tanta água. Mas indica que as mães tomem cuidado com o chá verde e mate, por serem estimulantes também para o bebê que mama.

Alexandra destaca o chá de erva-doce e o chá de funcho para aumentar a produção de leite. Em sua prática como nutricionista, percebeu bons resultados com eles.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)