Criptorquidia: O que fazer quando um menino nasce com os testículos escondidos

Problema pode causar infertilidade, mas existe cirurgia para colocar testículos na bolsa escrotal

Os testículos são formados dentro da barriga, ao lado dos rins, quando os bebês do sexo masculino estão dentro do útero da mãe. Ali se desenvolvem durante a gestação. Devem ir descendo gradativamente e, normalmente, se posicionam dentro da bolsa escrotal no nascimento. Ou seja, o esperado é que os meninos já nasçam com as duas bolinhas (testículos) dentro do saquinho (bolsa escrotal).

A importância da migração testicular em direção à bolsa escrotal é a seguinte: as células que produzem espermatozoides localizam dentro dos testículos trabalham melhor quando em uma temperatura mais baixa do que aquela de dentro da barriga. A bolsa escrotal como é afastada do abdome, tem cerca de um grau a menos de temperatura interna. Parece pouco, mas para a produção de espermatozoides faz muita diferença. Em outras palavras: equivaleria a uma fábrica onde ocorre aumento de produtividade se os funcionários estiverem em ambiente refrigerado. E ocorre o contrário caso eles tenham que trabalhar sentindo calor.

Quando um dos testículos ou ambos não estão situados na bolsa escrotal no nascimento, denominamos criptorquidia. Significa literalmente "testículo escondido".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quando corrigir a criptorquidia

Antigamente, os médicos aguardavam alguns meses para que os testículos migrassem pra bolsa, às vezes fazendo estímulo com medicamentos chamados gonadotrofinas. Atualmente, os consensos determinam a cirurgia para colocação dos testículos na bolsa escrotal, chamada orquidopexia, o mais breve possível. Essa recomendação tem como objetivo minimizar os danos à espermatogênese e diminuir os riscos de infertilidade na idade adulta. Reduzindo o tempo em que os testículos ficam submetidos à temperatura mais elevadas.

Geralmente os testículos que estão no canal inguinal (região próxima da virilha) são palpáveis e podem ser localizados com a ultrassonografia. Porém em alguns casos eles ainda se encontram dentro do abdome no nascimento. Nesse caso, a ressonância e a laparoscopia (visualização direta do local com uma câmera) permitem seguir o trajeto que os testículos deveriam ter percorrido e localizar o ponto da parada de migração. Quanto mais alto o testículo se encontra, pior é a chance (o prognóstico) em relação à preservação da fertilidade.

Portanto, levar a criança ao pediatra e, caso os testículos não se encontrem bem localizados na bolsa escrotal, encaminhá-las ao médico especialista é muito importante. O diagnóstico precoce e a correta orientação fazem a diferença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)