PUBLICIDADE

Refluxo em bebês: tipos, causas e sintomas

Especialistas explicam como identificar o tipo de refluxo que atinge o bebê

O que é

O refluxo é o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago. Ele acontece de forma involuntária, e pode ocorrer em qualquer momento da vida, inclusive em bebês. O refluxo gastroesofágico se divide em dois: fisiológico e patológico.

Foto: shutterstock/Karniewska
Foto: shutterstock/Karniewska

Refluxo fisiológico: Esse tipo de refluxo é considerado extremamente normal em bebês. Após o bebê vomitar o alimento, ele não chora e não sente dor durante todo o processo. O refluxo fisiológico não requer tratamento médico e não precisa de medicação.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Refluxo patológico: Nesse tipo de refluxo, o bebê sente dor e o choro aumenta após o vômito. De acordo com o médico pediatra Nelson Ejzenbaum, o refluxo patológico é identificado através de um exame chamado PHMetria. "Se passa uma sonda do nariz até o estômago do bebê, e o sensor da phmetria mede e conclui o tipo de refluxo", conta.

O que causa refluxo em bebê

O refluxo fisiológico, considerado habitual em bebês recém-nascidos, pode ocorrer por diversos fatores relacionados à idade. Algumas dessas causas são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

As causas do refluxo patológico devem ser investigadas em conjunto com o pediatra pois, nessa condição, a quantidade de ácido que sobe para a barriga do bebê é alta e causa dor.

Sintomas de refluxo em bebê

De acordo com a médica pediatra Mônica Rocha, no refluxo fisiológico do bebê, as regurgitações (eliminação em pequena quantidade do conteúdo do estômago) são frequentes, com vômitos ocasionais. Esse sintoma pode se iniciar no primeiro mês de vida, desaparecendo, geralmente, após 1 ano de idade.

Já na condição patológica, que requer tratamento, os sintomas são mais intensos:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como tratar refluxo em bebê

O refluxo fisiológico, por ser considerado normal, não requer tratamento e tende a desaparecer sozinho conforme o bebê vai se desenvolvendo. Geralmente, as regurgitações costumam diminuir a partir dos 6 meses de vida.

Já o refluxo patológico, após diagnosticado, requer um tratamento adequado para diminuir a acidez e o número de refluxos sofridos pelo bebê.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"O tratamento da patologia depende do grau de intensidade, mas se baseia principalmente na conscientização da família, medidas posturais e manejo dietético. Em alguns casos faz-se necessário o uso de medicamentos", explica a pediatra Mônica Rocha.

Refluxo em bebê é normal?

O pediatra Nelson Ejzenbaum explica que todo bebê tem refluxo. O ponto que deve ser observado pelos pais é se quando esses episódios ocorrem, o bebê apresenta alguma manifestação de dor ou irritação.

Quando o bebê chora após regurgitar, se recusa a comer e começa a perder peso, é importante que seja realizado um diagnóstico médico para identificar a patologia e iniciar um tratamento adequado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fontes

Nelson Douglas Ejzenbaum - Médico pediatra e neonatologista. Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e Academia Americana de Pediatria. - CRM: 81581 SP

Mônica Stella Rocha - Médica pediatra do Hospital Anchieta - CRMDF: 10672