PUBLICIDADE

Mãe de menino? Vá ao médico imediatamente se ele sentir dor nos testículos

Veja o por quê a torção de testículo deve ser diagnosticada em até seis horas a partir do início dos sintomas

Recentemente uma mãe usou as redes sociais para fazer um alerta sobre a torção de testículo de seu filho, um quadro pouco conhecido entre as pessoas e que pode causar diversas consequências.

Ela relatou por meio do facebook que o filho, de 9 anos, reclamava de dor e desconforto no testículo esquerdo. Mas, ao analisar o menino, não notou nada de diferente e imaginou que tivesse apenas encostado bruscamente em algum lugar.

"Dei um remedinho e ele disse que estava melhorando. Fomos dormir e logo de manhã ele disse estar melhor, e não se queixou mais. O papai muito preocupado fez questão de levá-lo a uma clínica de pronto-atendimento", conta a mãe, Lucia Oliveira.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No entanto, ao chegarem na clínica, a pediatra que atendeu preferiu encaminhar o menino com urgência para um hospital de grande complexidade. Já no hospital, outra pediatra analisou novamente o quadro clínico e disse que já era tarde demais, pois era necessário ter ido na hora que o filho tinha se queixado.

"Fiquei em choque! Parecia que meu mundo ia acabar... Não entendi nada, foi tudo muito rápido. Daí chegou um cirurgião que veio logo para atender devido à gravidade e falou novamente: 'Mãezinha, por que você esperou tanto tempo? Devia ter vindo na hora da queixa do seu filho! Você veio tarde' O médico relatou o quadro clínico que apresentou torção de testículo", detalha Lucia.

Ainda segundo o relato da mãe, naquele momento, um especialista foi chamado para fazer um exame de emergência e o resultado, felizmente, afirmou que não houve dano no aparelho reprodutivo do menino.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Venho aqui fazer um apelo pra quem tem menininho em casa! Se seu filho se queixou ou você notou algo diferente nos órgãos genitais dele, não espere nem um minuto, leve-o imediatamente para ser avaliado por um especialista. Eu não tinha noção e acho que muitos pais também não têm", completa.

Como se atentar a torção de testículo infantil?

De acordo com a médica pediatra Karine Risério, especialista do Centro Médico Berrini, a torção testicular é resultado da rotação do cordão espermático sobre o seu próprio eixo. "Durante a vida intrauterina, os testículos formados são fixos na porção inferior do escroto, permanecendo suspensos pelo próprio cordão espermático", explica.

Dessa forma, quando essa fixação não ocorre adequadamente, a escroto pode se mover dentro da bolsa e fica propício a sofrer torção.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A faixa etária de maior risco para a torção testicular é entre 12 e 18 anos. "No entanto, crianças e adultos também podem apresentar essa condição, ainda que em menor frequência", ressalta a pediatra.

Vale ressaltar que a torção testicular não é uma condição que pode ser diagnosticada em casa, por isso, como conta o relato da mãe, o ideal é buscar ajuda médica imediatamente se seu filho reclamar de dor nos testículos.

Por que a urgência de procurar um médico?

"A falta de oxigênio causada devido a essa condição pode causar a morte do testículo e por isso a torção é considerada uma emergência médica", destaca a pediatra Milen Mercaldo, especialista do Hospital Anchieta.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na avaliação médica, é notado uma bolsa testicular com sinais de sofrimento com aumento do volume, coloração avermelhada ou arroxeada e o testículo torcido em posição mais elevada.

Conforme as pediatras, o tratamento é cirúrgico na maioria das vezes, sendo tempo ideal até seis horas a partir do início dos sintomas. "A falta de suprimento sanguíneo por causa da torção testicular pode levar a uma isquemia irreversível, com morte das células testiculares, aumentando o risco de infecção local e até mesmo infertilidade", completa a especialista Karine Risério.