PUBLICIDADE

Criança de 2 anos e 1 mês: novas habilidades motoras

Nesta etapa, explorar os ambientes ganha mais significados, e matriculá-la em um esporte pode ajudar

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Por noBorders - Brayden Howie / Shutterstock
Por noBorders - Brayden Howie / Shutterstock

Agora que seu filho já é uma criança, você pode notar algumas diferenças no seu comportamento, principalmente, nos movimentos. Aos dois anos e um mês, aquele bebê que tinha dificuldade para realizar algumas tarefas ganha mais equilíbrio e explora os ambientes, correndo, saltando e trepando pelos lugares.

No entanto, é possível que a criança tente subir ou descer de lugares dos quais pode cair e se machucar. "Quanto ao cadeirão em especial, o ideal é que a criança ainda seja supervisionada, pois não tem muita percepção do perigo de alguns movimentos", alerta Gláucia Finoti, pediatra do Hospital Santa Catarina.

Para aproveitar todo esse potencial motor, você já pode matricular seu filho em algum esporte, como judô ou balé, que às vezes são oferecidos nas próprias escolinhas. Caso tenha algum adulto para acompanhá-lo nessa atividade, a natação é o exercício mais completo, segundo a pediatra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Mais do que estimular a realização de uma atividade física, essa atitude promove a convivência com crianças da mesma idade, exercitando o sentido de coletividade", completa Gláucia.

Isso também pode ser reforçado com a participação dos pequenos nas tarefas da casa. Como já tem noção das relações de causa e efeito, a criança entende quando alguém pede a ela para guardar os brinquedos, por exemplo.

Timidez com estranhos

A partir dos 2 anos, a criança se torna mais sociável, mas isso não significa que irá corresponder a todas as interações que fizerem com ela. Sabe aquela antiga recomendação "não fale com estranhos"? Provavelmente, seu filho tem isso internalizado e se intimida na presença de quem não conhece.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para exercitar a vida social de seu filho, promova o convívio com outras crianças e até adultos da família. Ter mais gente para conversar também vai ajudar no processo de aprender a falar.