Saúde
Saúde

  • Saúde geral
  • Exames
  • Contracepção
  • Emagrecer
  • Imunidade
  • Plantas medicinais
  • Sono
  • Vacinas

  • doenças
  • Condições & Sintomas
  • Medicamentos & Tratamentos
Alimentação
Alimentação

  • Alimentação geral
  • Bebidas
  • Nutrientes
  • Plano alimentar
  • Suplemento

  • receitas
  • ingredientes
Beleza
Beleza

  • Beleza geral
  • Cabelo
  • Corpo
  • Maquiagem
  • Pele
  • Procedimento
  • Rosto
  • Unhas
Fitness
Fitness

  • Fitness geral
  • Esporte
  • Exercício
Família
Família

  • Família geral
  • Bebês
  • Gravidez
  • Amamentação
  • Crianças
  • Alimentação infantil
  • Fertilidade
  • Maternidade
Bem-Estar
Bem-Estar

  • Bem-estar geral
  • Comportamento
  • Cuidados com a casa
  • Relacionamento
  • Sexo
  • Vícios

Canais especiais
Canais especiais

  • Sinais Raros
  • Especial Queda e Afinamento Capilar
  • Especial Coronavírus
  • Especial Doação de Sangue
  • Especialistas
  • Quem somos
  • Políticas
  • Trabalhe conosco
  • Anuncie aqui
  • Fale conosco
  • Termos de Uso
  • Aviso Legal
  • Uso de Dados
  • Resposta do especialista

    tem cura o câncer de pele?

    Especialista consultado Dra. Natalia Cymrot Dermatologia CRM 84332/SP

    Formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.Residência Médica em Dermatologia no Hospital das Clínic...

    i
    Respondido em 11 de dezembro de 2014

    O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum e representa mais da metade dos diagnósticos da doença - no Brasil, são mais de 120 mil casos novos por ano.Existem três tipos: o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. Os dois primeiros representam 95% do total dos casos, e, quando bem tratados, são curados. Porém, o melanoma é o mais perigoso e com maior risco de morte já que pode causar metástase. Na maioria dos casos, a gravidade do melanoma geralmente se dá por causa do diagnóstico tardio, uma vez que, se descoberto no início, há maiores chances de cura. Por isso, é importante observar e prestar atenção nas pintas do corpo e procurar um médico se houver qualquer alteração de alguma pinta, ou aparecimento de novas lesões.Se detectado no início, o melanoma pode ser tratado, mas em casos de metástase, o tratamento é sistêmico. Mesmo depois de tratado, no entanto, ele pode voltar.

    Respostas relacionadas ao mesmo tema
    Paloma perguntou

    Queria orientação sobre um anticoncepcional que não engorde, evite espinha, não provoque trombose?

    Para quem já tem problemas circulatórios, uso de hormônio não é aconselhado. Mas o anticoncepcional não é um vilão. O hormônio deve ser utilizado com orientação de um ginecologista e a mulher, que precisa fazer uso, deve tomar a dosagem de acordo com...

    [ Continuar lendo ]
    1 Pessoa perguntou

    Posso combinar o suco da aloe vera (babosa) em jejum ja que uso lazomprazol de 30mg todos os dias tambem em jejum??

    Use em tempos diferentes porque é melhoe.Mesmo produtos chamados naturais podem interferir com medicamentos.

    1 Pessoa perguntou

    Venho fazendo uso do suco da babosa para tratamento do refluxo, mais algumas semanas venho tendo dores de cabeça! Pode ser a Babosa?

    É difícil afirmar que a Babosa cause as dores de cabeça, mas recomendo que suspenda a ingestão do suco e verifique se melhora a dor.

    Publicidade

    Veja também

    Publicidade
    Publicidade

    Matérias relacionadas

    Enfermeira aplicando vacina na perna de bebê

    Nova vacina contra meningite mostra alta proteção em bebês

    Mulher de máscara em estação de metrô.

    COVID: 5 sinais de que você pode ter tido a doença sem saber

    Cirurgia plástica no SUS

    Cirurgias plásticas pelo SUS: quais são e como conseguir?

    Mulher deitada na cama segurando uma bolsa de água quente para aliviar cólicas menstruais

    Espanha aprova projeto para licença menstrual remunerada

    Mulher sentada no sofá, doente, verifica sua temperatura corporal

    Pegar COVID até três vezes no ano pode ser comum, diz estudo

    Enfermeira aplicando vacina em mulher idosa

    Vacina da gripe pode reduzir em 34% riscos cardiovasculares

    Mais conteúdos