Saúde
Saúde

  • Saúde geral
  • Exames
  • Contracepção
  • Emagrecer
  • Imunidade
  • Plantas medicinais
  • Sono
  • Vacinas

  • doenças
  • Condições & Sintomas
  • Medicamentos & Tratamentos
Alimentação
Alimentação

  • Alimentação geral
  • Bebidas
  • Nutrientes
  • Plano alimentar
  • Suplemento

  • receitas
  • ingredientes
Beleza
Beleza

  • Beleza geral
  • Cabelo
  • Corpo
  • Maquiagem
  • Pele
  • Procedimento
  • Rosto
  • Unhas
Fitness
Fitness

  • Fitness geral
  • Esporte
  • Exercício
Família
Família

  • Família geral
  • Bebês
  • Gravidez
  • Amamentação
  • Crianças
  • Alimentação infantil
  • Fertilidade
  • Maternidade
Bem-Estar
Bem-Estar

  • Bem-estar geral
  • Comportamento
  • Cuidados com a casa
  • Relacionamento
  • Sexo
  • Vícios

Canais especiais
  • Pele e suas condições
  • Saúde no Inverno
  • Especial Probióticos
  • Especial Hiperpigmentação
  • Agosto Dourado
  • Namore-se
  • Especial Doação de Sangue
  • Especial Coronavírus
  • Especialistas
  • Quem somos
  • Políticas
  • Trabalhe conosco
  • Anuncie aqui
  • Fale conosco
  • Termos de Uso
  • Aviso Legal
  • Uso de Dados
  • Resposta do especialista

    Como fazer diagnostico diferencial entre sindrome de Asperger e Transtorno de Personalidade Limitrofe?

    Especialista consultado Dra. Angélica Cristina Strauss Galvão de Souza Psicologia CRP 92304/SP

    Sou formada pela Universidade Guarulhos, atuo em Psicologia Clínica para crianças, adolescentes, adultos e idosos. Utili...

    i
    Respondido em 18 de outubro de 2017

    Somente um profissional especializado pode fazê-lo.Alguns sintomas podem ser confundidos, mas existem alguns que se diferem e, dependendo da quantidade de sintomas apresentados, além de exames e avaliações clínicas e de história de vida, é que pode-se fechar o diagnóstico.

    Especialista consultado Dr. Dirk Belau Psicologia CRP 06/117170/SP

    Sou psicoterapeuta com método humanista "centrado na pessoa," e psicanalista. Psicólogo pela UNB (Universidade de Brasíl...

    i
    Respondido em 24 de outubro de 2017

    não faz sentido procurar um diagnóstico diferencial entre duas desordens mentais sem que pelo menos um deles seja explicado por uma doença orgânica ou uma interferência mecãnica no cérebro tal como um acidente ou química por uma droga ou por alcool. A ideia do diagnóstico diferencial vale na medicina orgânica e foi transferida para o âmbito das desordens mentais como se estes fossem assunto da medicina, mas são bem diferentes.Das desordens mentais não explicadas por doença ou interferência orgânica sabemos quase nada a não o comportamento que observamos (inclusive o sentido da fala). Assim, elas são oficialmente classificadas e descritas pelos comportamentos típicos pelas quais se manifestam.Comportamentos estranhos, apesar de terem nomes diferentes, frequentemente acontecem juntos. As "co-morbidades" dos transtornos mentais, por isso, são bem mais frequentes que nítidas diferênças entre eles. Até pode ser descrito um só transtorno mental por comportamentos aparentemente opostos, tais como a bipolaridade ou também a esquizofrenia.O comportamento que costumamos chamar de transtorno mental costuma ser o resultado de experiências concretas e múltiplas, com a exceição de coisas tais como choques no caso do abuso sexual ou de vítimas ou testemunhas de violência ou acidente grave. Por isso, o transtorno mental não tem "causa" assim, mas resulta da vivência no decorrer do tempo. Pouca adiantaria querer distinguir os fatores desta vivência um do outro, porquê a própria mente da pessoa os junta e mescla. Mesmo um fator aparentemente bem destacado como um abuso sexual pode enganar, pois pode ter acontecido num clima geral negativo na família que, ele, já pode ter causado dano na criança e até a ter deixado mais vulnerável para o abuso. É por isso que o abuso é um abuso mesmo se a criança parece consentir. Se você tem um caso em vista, você vai ganhar pouco querendo distinguir entre Asperger e Limítrofe. Para você basta se dar conta que o comportamento limítrofe é mais desagradável para as pessoas que convivem com a pessoa em questão e que esta parece sofrer mais.Tentativas de compreender a pessoa podem usar os diagnósticos do comportamento dela para dar nome aos bois. Mas esta aparente vantagem pode enganar e de toda maneira, deixa a pessoa marcada injustamente. As vezes, a pessoa se sente melhor sabendo que o que ela vive tem nome, e que ela não é a única. Talvez o rótulo seja útil para ela não achar o comportamento dela banal. Pondere bem se estas vantagens compensam a desvantagem do estigma e do possível exagero.Com respeito ao aspeto técnico particular da sua pergunta, recomendo consultar na internet o Códico Internacional das Doenças, versão 10 (CID10) da Organização Mundial da Saúde.

    Respostas relacionadas ao mesmo tema
    Paloma perguntou

    Queria orientação sobre um anticoncepcional que não engorde, evite espinha, não provoque trombose?

    Para quem já tem problemas circulatórios, uso de hormônio não é aconselhado. Mas o anticoncepcional não é um vilão. O hormônio deve ser utilizado com orientação de um ginecologista e a mulher, que precisa fazer uso, deve tomar a dosagem de acordo com...

    [ Continuar lendo ]
    1 Pessoa perguntou

    Posso combinar o suco da aloe vera (babosa) em jejum já que uso lazomprazol de 30mg todos os dias também em jejum?

    Use em tempos diferentes porque é melhoe.Mesmo produtos chamados naturais podem interferir com medicamentos.

    1 Pessoa perguntou

    Venho fazendo uso do suco da babosa para tratamento do refluxo, mais algumas semanas venho tendo dores de cabeça! Pode ser a Babosa?

    É difícil afirmar que a Babosa cause as dores de cabeça, mas recomendo que suspenda a ingestão do suco e verifique se melhora a dor.

    Publicidade

    Veja também

    Publicidade
    Publicidade