Idosos merecem atenção com novo coronavírus: veja cuidados

Idosos fazem parte do grupo de risco de pessoas que podem desenvolver complicações devido ao Covid-19

Declarado como pandemia, o novo coronavírus já alcançou 143 países e possui mais de 150 mil casos confirmados no mundo. Apesar da maioria das ocorrências apresentarem sintomas leves, 15% do total pode desenvolver uma pneumonia e precisar de tratamento.

Já os 5% restantes vão precisar de internação em UTI e a população mais vulnerável nesta categoria são os idosos. Em pessoas acima de 60 anos, há maior risco do Covid-19 evoluir para casos mais graves, podendo até levar à morte.

O infectologista César Carranza Tamayo, do Hospital Anchieta, em Taguatinga-DF, afirma que, até o momento, a comunidade científica atribui a maior letalidade do vírus ao grupo com mais de 60 anos - uma vez que eles "têm mais comorbidades, ou seja, doenças associadas, como cardiopatias, problemas respiratórios crônicos, diabetes, entre outras".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outra hipótese complementar é que essa parcela da população possui uma menor imunidade devido ao envelhecimento - um fenômeno chamado de imunossenescência.

Portanto, os idosos precisam tomar cuidados especiais durante esta pandemia e devem ser protegidos também por quem não se enquadra no grupo de risco. Confira quais medidas adotar para prevenir o novo coronavírus e como ajudar as pessoas mais velhas a se proteger.

Coronavírus: cuidados para idosos

Foto: RossHelen/Shutterstock
Foto: RossHelen/Shutterstock

Como os idosos estão no grupo de risco para complicações devido ao Covid-19, eles devem seguir à risca as medidas preventivas indicadas pelos órgãos públicos. Entre elas estão:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Idosos com comorbidades

Se o idoso contrair a Covid-19, é importante que ele seja monitorado de perto e que siga as recomendações médicas de tratamento, a fim de estabilizar a doença e evitar complicações. Se o paciente tiver doenças cardíacas, ele deve se atentar às comorbidades e mantê-las estabilizadas.

Além disso, é importante que o idoso esteja com a carteira de vacinação em dia, principalmente contra infecções respiratórias - incluindo a vacina anual contra influenza (gripe) e contra pneumococo, que evita a pneumonia e outras infecções por essa bactéria.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como a família pode ajudar

As famílias também devem prestar atenção aos cuidados especiais para evitar a transmissão do vírus aos idosos. O infectologista César Carranza Tamayo dá outras dicas para os familiares e pessoas que têm contato próximo com essas pessoas:

Caso haja uma pessoa infectada pelo coronavírus na casa ou apresente sintomas de uma infecção respiratória, é importante que ela evite o contato direto com o idoso e que seja mantida em ambiente separado. Também deve evitar o compartilhamento de objetos e deve utilizar uma máscara protetora.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como se prevenir do novo coronavírus

Gripe x coronavírus: saiba as diferenças e como se prevenir

Como o corpo dos bebês pode reagir ao coronavírus

15 maneiras de se proteger contra o coronavírus

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)