Ana Maria Braga é diagnosticada com COVID-19

Apresentadora havia tomado as duas doses da vacina, reforçando a necessidade de proteção contra o coronavírus após imunização

Ana Maria Braga, 72 anos, foi diagnosticada com COVID-19. A informação foi confirmada pela própria apresentadora em suas redes sociais nesta segunda-feira (5). No mesmo comunicado, Ana Maria relatou estar bem e que havia tomado as duas doses da vacina contra o coronavírus.

De acordo com a apresentadora, os sintomas de COVID-19 começaram na última quinta-feira - mas se acentuaram na manhã desta segunda.

"Hoje de manhã perdi meu olfato. Não estava sentindo meu perfume. Tirando o mal estar, passo bem. Sem motivos para preocupação", escreveu Ana Maria.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Com o diagnóstico de COVID-19, a apresentadora do Mais Você, da Rede Globo, precisou se afastar do comando da atração. "Não estou no programa pelo bem-estar e saúde de todos!".

Já nesta segunda-feira, a atração foi comandada por Fabrício Battaglini. Durante o programa, apresentadora fez uma entrada ao vivo e tranquilizou os espectadores. Ela passou a manhã fazendo exames em um hospital e disse que estava bem: "São sintomas de gripe, mas não me sinto prostrada".

Ana Maria não confirmou quando irá retornar ao Mais Você. Entretanto, é de praxe que uma pessoa permaneça de duas a três semanas em isolamento quando contrai o coronavírus.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Infecção pelo coronavírus após a vacinação

Ainda de acordo com comunicado de Ana Maria, a apresentadora já havia tomado as duas doses indicadas da vacina de COVID-19. A aplicação da primeira dose ocorreu em março.

É importante lembrar que, mesmo com a aplicação dos imunizantes, há risco de se infectar pelo coronavírus. O que ocorre é uma proteção contra o agravamento dos sintomas da COVID-19 - importante para evitar complicações e uma possível morte do paciente.

"O que a maioria dos cientistas acredita é que a primeira geração de vacinas não vai conferir imunidade esterilizante, isto é, não vai proteger da infecção. Mas vai proteger de formas graves, como acontece com a vacina da gripe, por exemplo", disse Francisco Ivanildo, em entrevista prévia ao Minha Vida, quando as vacinas ainda estavam em desenvolvimento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Por isso, é importante, neste momento, seguir com a adoção de medidas de proteção contra o coronavírus, como uso de máscara e distanciamento, até que a pandemia esteja devidamente controlada.