ana perguntou:

Uma mulher num relacionamento heterossexual começar a admirar o corpo de uma mulher, achando-a sensual, pode ser lésbica?

  • Respondido em 18/01/2018
    Olá,

    A homossexualidade não é explicada de uma maneira simples, pois as pessoas possuem uma característica ou predisposição à homossexualidade desde que nascem.
    As pessoas podem ter admiração, sentimentos de identificação ou até sentirem-se atraídos por pessoas do mesmo sexo e não necessariamente ser homossexuais.
    Tudo vai depender de como você sente e, se você de fato se interesse pelo mesmo sexo, a ponto de não ter interesse nem desejo por pessoas do sexo oposto, além de ter sentido atração por outras mulheres anteriormente também.

    PUBLICIDADE
  • Respondido em 18/01/2018
    Geime Rozanski Psicologia - CRP 07/03417/RS
    Olá,

    Cada pessoa pode experimentar relacionamentos de todas as formas sem caracterizar uma tendência ou outra. Penso que há mais rótulos do que vivências. Nada, nenhuma forma de relacionamento é melhor ou pior que outra. O que se deve pensar é nas consequências. Como Albert Einstein dizia, "não existe prêmios e nem castigos. Somente consequências"

  • Respondido em 20/01/2018
    Dirk Belau Psicologia e Psicanálise - CRP 06/117170/SP
    Olá,

    Uma mulher que se sente atraida por uma mulher é chamada de lesbica. Normalmente, o rótulo está bastante justificado, pois esta mulher não vai se sentir atraida por uma mulher só esta vez, mas a experiência muito provavelmente vai se repetir. Imagino que esta é a parte mais importante do conselho que você está procurando.

    Acontece que o rótulo costuma ir além disso e falar de um estilo de vida tal que muitas mulheres atraidas por mulheres desenvolvem e, hoje em dia, fazem ver, e até com orgulho pois estão querendo informar do esforço que significa viver contra a discriminação.

    Mas tem muitas mulheres com desejos homossexuais que não cabem neste modelo, entre elas mesmo aquelas que seguem o seu desejo e se relacionam com mulheres. Pode haver bons motivos para manter uma "dupla vida." O relacionamento heterossexual não precisa ser descartado. Este é o caso das pessoas bissexuais. A prevalência, talvez temporária, de um ou do outro lado da ambiguidade sexual não muda nada na bissexualidade. Ambos os desejos se fazem sentir e seria emocionalmente custoso oprimir um deles.

    No entanto, se a pessoa se dá conta que não se sente atraida pelo marido, ela deveria evitar mentir para ele e pôr as coisas em ordem. Senão, ambos sofrem. Que modelo de vida vai caber para você?

    PUBLICIDADE