PUBLICIDADE

Cisto de ovário: sintomas, causas, tipos e tratamentos

Visão Geral

O que é Cisto de ovário?

O cisto de ovário é uma bolsa cheia de líquido que se forma dentro ou ao redor ovário. Geralmente causa dores fortes na região pélvica.

A maioria dos cistos costuma desparecer sozinho, segundo o Manual MSD, conforme o tempo passa. Há casos, porém, que exigem cirurgia de remoção.

Cerca de 30% das mulheres que estão com atividade menstrual apresentam cistos de ovário.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Cisto de ovário

O cisto de ovário não demonstra sintoma na maior parte dos casos . Porém, os sintomas que ocorrem normalmente são dor ou irregularidade no período menstrual.

Normalmente, se a mulher sente dor, um dos motivos é um aumento do volume do cisto, sangramento, rompimento do cisto, colisão com o cisto durante a penetração no sexo, ou uma torção das trompas de Falópio provocada pelo cisto.

Além de dor e irregularidade menstrual, outros sintomas dos cistos de ovário são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os cistos foliculares não costumam provocar alterações nos períodos menstruais, sendo mais frequentes com cistos de corpo lúteo. Alguns cistos podem provocar náuseas ou sangramentos.

Visão Geral

Causas

A causa do cisto de ovário depende do tipo de cisto. Há pelo menos dois tipos de cistos, divididos em subcategorias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tipos

Cisto funcional

O tipo mais comum de cisto de ovário é o cisto funcional, que pode ser tanto um cisto folicular quanto cisto lúteo. Vale destacar, ainda, que os cistos funcionais estão relacionados à idade fértil (da puberdade à menopausa) da mulher.

Cisto folicular: Na maioria dos meses, um óvulo éliberado deste folículo, num processo conhecido como ovulação. Se o folículo não conseguir abrir e liberar o óvulo, o líquido permanece dentro dele e origina um cisto. Isto é chamado de cisto folicular.

Cisto de corpo lúteo: ocorre após o óvulo ter sido liberado de um folículo. Esses geralmente contêm uma pequena quantidade de sangue.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cisto fora do ciclo menstrual

O cistos não estão relacionados ao ciclo menstrual e são bem menos comuns. São os casos dos cistos dermoide, cistadenoma.

Cisto dermoide: é formado a partir de células que também dão origem à pele, portanto encontra-se em dentes e nos cabelos, para citar dois exemplos.

Cistadenoma: se desenvolve a partir do tecido que reveste os ovários.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Endometriose

Cisto endometrioma: é resultado da endometriose, uma condição na qual o endométrio, o tecido que age como a mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

Fatores de risco

Alguns fatores são considerados de risco para uma mulher vir a desenvolver cistos de ovário:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Procure um especialista em caso de dores abdominais e pélvicas muito fortes, principalmente se elas vieram acompanhadas de febre e vômito. Não se automedique.

Os sintomas de cistos no ovário são muito similares aos de outras doenças, por isso consulte um médico para que ele possa fazer o diagnóstico e orientar qual o melhor tratamento para seu caso.

A depender do caso de cisto no ovário, a cirurgia pode ser recomendada pelo médico - Foto: Shutterstock
A depender do caso de cisto no ovário, a cirurgia pode ser recomendada pelo médico - Foto: Shutterstock

Na consulta médica

Na consulta, descreva todos os sintomas que estiver sentindo e tire todas as dúvidas com o médico. Você pode perguntar, por exemplo:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O especialista também deverá lhe fazer algumas perguntas, como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico de Cisto de ovário

Geralmente, um cisto no ovário pode ser diagnosticado em um simples exame pélvico. Mas para determinar o tamanho e o tipo exato do cisto, o médico deverá recorrer a outros exames, como por exemplo:

Tratamento e Cuidados

Cisto de ovário tem cura?

O cisto de ovário tem cura. Os que ocorrem em mulheres que ainda menstruam costumam desaparecer sozinhos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mesmo quando isso não acontece, o tratamento costuma ser eficiente. Existe um risco maior de câncer em mulheres que estão na pós-menopausa.

Tratamento de Cisto de ovário

O tratamento depende muito da idade da paciente, dos sintomas do tamanho e do tipo do cisto. Muitas vezes, o cisto desaparece por conta própria, dispensando a terapia. Porém, isso pode demorar alguns meses.

Para garantir que o cisto se foi completamente, pode ser necessário realizar ultrassons e exames pélvicos periódicos. Caso esta não seja uma opção ou caso o cisto não vá embora sozinho, existem outros meios para tratar a doença.

Confira:

Caso o cisto seja cancerígeno, talvez seja necessário extrair ambos os ovários.

Quando o cisto de ovário é cancerígeno:

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

O risco de complicações podem ocorrer com cistos de ovários são:

Prevenção

Prevenção

Não há uma forma realmente eficaz de se prevenir cistos no ovário, mas é possível realizar exames com frequência para detectar o problema precocemente e iniciar o tratamento o quanto antes.

Além disso, caso uma gravidez seja o desejo da mulher e ela apresente cistos com frequência, pode-se evitá-los ministrando hormônios (pílulas anticoncepcionais, por exemplo), que previnem o crescimento dos folículos.

Referências

Revisado por: Dra. Barbara Alencar Rolim Murayama, ginecologista - CRM: 112527

Ministério da Saúde

Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo