PUBLICIDADE

Tripofobia: o que é, causas, sintomas e se tem cura

O que é Tripofobia?

A tripofobia pode ser definida como uma aversão ou nojo de objetos alinhados lado a lado, com formatos circulares semelhantes. Caracteriza-se como um transtorno psicológico, no qual ocorre um medo irracional de imagens que tenham buracos ou padrões irregulares, como favos de mel, agrupamento de buracos na pele, madeira, plantas ou esponjas.

De acorda com Fabiana Alves, psicóloga e analista técnica, a condição ainda não é reconhecida no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria. “Mas alguns estudos comprovam que a fobia existe e provoca sintomas que condicionam a vida das pessoas”, esclarece a especialista.

Muitos acreditam que possuem a fobia apenas por ter a sensação de incômodo ao observar imagens relacionadas à tripofobia. No entanto, quando essa aversão provoca mudanças na rotina, no convívio social, nas atividades diárias e gera isolamento ou paralisação em situações extremas, é necessário procurar atendimento especializado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas

A psicóloga Ana Gabriela Andriani explica que as pesquisas sobre o assunto indicam que pessoas com tripofobia poderiam estar associando, inconscientemente, os buracos ou objetos com padrões irregulares (normalmente relacionados à criações da natureza) a possíveis situações de perigo.

Essa sensação de perigo seria desencadeada, sobretudo, devido à semelhança entre o aspecto dos buracos com a pele de animais venenosos, como cobras ou sapos, por exemplo, ou com vermes que causam doenças na pele, como no caso do calcanhar de maracujá.

Geralmente, as pessoas que sofrem dessa fobia não conseguem distinguir situações em que há ou não perigo, tratando-se de um reflexo inconsciente que resulta em reações que não podem ser controladas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tipos de imagens que causam tripofobia

AVISO: As imagens a seguir podem causar desconforto

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Animais vivos e exóticos também podem causar angústia a quem tem tripofobia.

Foto: laszlo-photo/Flickr
Foto: laszlo-photo/Flickr

Mesmo imagens de coisas comuns têm o potencial de provocar desconforta quem sofre da fobia

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foto: Pseudopanax
Foto: Pseudopanax

Sintomas de Tripofobia

Quando são expostas a imagens como sementes de lótus, favos de mel, bolhas, morangos ou crustáceos, pessoas com tripofobia podem apresentar sintomas como:

Tratamento de Tripofobia

Existem vários métodos de tratar esse transtorno psicológico, sendo a terapia de exposição a forma mais eficaz. Este tipo de terapia ajuda a pessoa a controlar o medo, mudando a sua resposta em relação ao objeto que o provoca, devendo ser feito com muito cuidado, de forma a não provocar traumas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Esta terapia deve ser feita com o auxílio de um psicólogo através da exposição gradual ao estímulo que provoca a fobia. Através do diálogo, o terapeuta usa técnicas de relaxamento para que a pessoa enfrente o medo, até o desconforto diminuir.

De acordo com a psicóloga Fabiana Alves, a terapia pode ser combinada com outras técnicas escolhidas por especialistas médicos, que ajudem a reduzir os sintomas e tratar essa aversão. Algumas das alternativas são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A maior preocupação dos profissionais, em relação à tripofobia, é justamente evitar que outros transtornos se desenvolvam, como a ansiedade generalizada, o transtorno depressivo ou ansiedade social. Na identificação desses quadros, é fundamental a busca por um especialista.

Tripofobia tem cura?

Como se trata de uma condição não reconhecida, a tripofobia não possui um tratamento específico ou estudos que comprovem a eficácia dos métodos utilizados para tratar a fobia. “O que se acredita é que este tipo de transtorno não tem cura, mas que pode ser controlado”, explica Fabiana Alves.

Referências

Ana Andriani, psicóloga

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fabiana Alves, psicóloga e analista técnica na MAPA Avaliações