PUBLICIDADE

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG): sintomas e tratamentos

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Visão Geral

O que é Transtorno de ansiedade generalizada?

O Transtorno da ansiedade generalizada (TAG), CID F41.1, é um distúrbio caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, de acordo com a quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5).

A ansiedade é uma reação normal do ser humano diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. No entanto, quando esse sentimento persiste por longos períodos de tempo e passa a interferir nas atividades do dia a dia, a ansiedade deixa de ser natural e passa a ser motivo de preocupação.

Qual a diferença entre a TAG e outros tipos de ansiedade?

Segundo Priscila Zempulski Dossi, médica psiquiatra, a TAG é o transtorno mais comum. “No geral, é aquela pessoa que tá passando o tempo todo ansioso, ou até tem alguma preocupação durante um evento, mas não tem uma causa específica. A pessoa tem picos de ansiedade, chamados popularmente de nervosismo, onde se sente preocupada, antecipando situações, sempre tensa”, explica.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A especialista ressalta que uma forma de ansiedade não exclui a outra. “Em casos de um evento, por exemplo, pode ocorrer o transtorno de estresse pós-traumático. Já a síndrome do pânico pode gerar a sensação de morte iminente. Na verdade, a TAG tem muito dos outros transtornos. A diferença é que ela é a mais comum, mas isso não impede que haja sintomas das outras também”.

Sintomas

Sintomas de Transtorno de ansiedade generalizada

O principal sintoma do transtorno de ansiedade generalizada é a presença quase permanente de preocupação ou tensão, mesmo quando há poucos motivos ou quando não existe uma razão para isso. As preocupações parecem passar de um problema para outro, como questões familiares, amorosas, relacionadas ao trabalho, à saúde ou de várias outras origens.

Mesmo quando as pessoas com esse transtorno têm consciência de que suas preocupações ou medos são mais fortes do que o necessário, elas ainda apresentam dificuldade para controlar suas reações.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outros sintomas de ansiedade incluem:

Ainda segundo Priscila, é importante entender a diferença entre um transtorno mental e a ansiedade natural. “A ansiedade em si é um sintoma comum em qualquer ser humano. Aquela expectativa por alguma coisa que vai acontecer, receio, sensação desagradel de apreensão e tensão. A gente fala que foi herdado primitivamente, onde o homem era colocado em situações reais de perigo, como na iminência de ser comido por um bicho. Teoricamente, é um sentimento herdado - alguns afloram mais que os outros”.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

De acordo com a especialista, para um quadro se caracterizar como ansiedade, é preciso que haja prejuízo - em relacionamentos, para comer, ao dormir, no trabalho ou em casa. Um exemplo disso é a insônia, que pode surgir de diferentes formas:

Além disso, é possível que o paciente apresente outros transtornos associados, como sintomas depressivos e obsessivos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Visão Geral

Causas

O transtorno da ansiedade generalizada é uma complicação comum. Tal como acontece com muitas condições de saúde mental, não se sabe ao certo o que causa esse distúrbio.

Acredita-se, porém, que a TAG esteja diretamente relacionada a alguns neurotransmissores que ocorrem naturalmente em nosso cérebro, a exemplo da serotonina, da dopamina e da norepinefrina.

Outra hipótese é a de que um conjunto de fatores possam estar envolvidos nas razões pelas quais um indivíduo possa vir a apresentar a condição, entre eles a genética e fatores externos, como o estresse do dia a dia e a qualidade de vida da pessoa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores que podem aumentar o risco do transtorno de ansiedade generalizada incluem:

Gênero: mais do que o dobro do número de casos de transtorno de ansiedade generalizada ocorre em mulheres. Acredita-se que uma combinação de fatores, como mudanças hormonais e maior exposição ao estresse, possam agravar esse quadro.

Trauma na infância: crianças que sofreram abuso ou algum tipo de trauma, ou que até mesmo testemunharam eventos traumáticos, estão em maior risco de desenvolver transtorno de ansiedade generalizada em algum momento da vida.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Doenças concomitantes: ter uma condição crônica de saúde ou doença grave, como o câncer, pode levar à constante preocupação com o futuro, tratamento e questões financeiras. O estresse do dia a dia pode desencadear o transtorno.

Personalidade: pessoas com alguns tipos de personalidade são mais propensas a transtornos de ansiedade do que outras. Além disso, alguns transtornos de personalidade, como o Borderline, também podem estar ligados ao TAG.

Genética: alguns especialistas acreditam que o transtorno de ansiedade generalizada também pode ter causa genética - quando mais de uma pessoa da mesma família apresenta essa condição.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Abuso de substâncias: uso excessivo de drogas ou álcool pode piorar e até mesmo levar ao transtorno de ansiedade generalizada. A cafeína e a nicotina, presentes no cigarro, também podem aumentar a ansiedade e conduzir o indivíduo à complicação.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Sentir ansiedade é normal, mas quando ela passa a ser persistente e fora de controle, provocando uma série de prejuízos no dia a dia, é extremamente importante que se busque ajuda médica. Alguns exemplos são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Preocupações derivadas do transtorno de ansiedade generalizada não desaparecem por conta própria – pelo contrário, elas só tendem a piorar. Por isso, tratamento e suporte médicos são imprescindíveis. Procurar ajuda médica antes da ansiedade se tornar um problema ainda maior também é crucial para evitar complicações.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar o transtorno da ansiedade generalizada estão:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico de Transtorno de ansiedade generalizada

O especialista pode iniciar o processo de diagnóstico fazendo perguntas detalhadas sobre os sintomas e o histórico médico do paciente, bem como sobre o histórico familiar para complicações mentais.

Em alguns casos, são usados questionários psicológicos padronizados que ajudam a identificar o que está acontecendo com o indivíduo.

O médico também pode solicitar um exame físico para procurar sinais de que a ansiedade possa estar ligada a uma condição médica subjacente, especialmente se ela se manifestar de forma física, como a rigidez muscular.

Alguns distúrbios que geralmente ocorrem com transtorno de ansiedade generalizada incluem:

Se houver a suspeita de que a ansiedade seja causada por outro motivo que não seja por TAG, o especialista pode pedir exames de sangue, exames de urina ou outros testes para procurar sinais de um problema físico.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Transtorno de ansiedade generalizada

O objetivo do tratamento é ajudar o paciente a agir normalmente na vida cotidiana, limitando suas preocupações. Uma combinação de medicamentos e terapia cognitivo-comportamental (TCC) costuma ser a opção mais recomendada.

Entre os medicamentos que podem ser utilizados estão os inibidores de recaptação de serotonina e norepinefrina, assim como alguns antidepressivos e anti epilépticos.

Já a terapia cognitivo-comportamental ajuda a compreender os padrões de comportamento e como conseguir controlá-los. Durante a terapia, e também em casa, o paciente aprenderá a:

Diagnóstico e Exames

Transtorno de ansiedade generalizada tem cura?

Transtorno de ansiedade generalizada tem cura?

“Cura predispõe que o paciente nunca mais irá precisar voltar [ao consultório]. No geral, a gente fala de remissão, porque uma pessoa que teve um episódio depressivo ou de ansiedade uma vez tem total possibilidade de ter um segundo episódio”, explica Priscilla.

Apesar de não ter cura, o tratamento adequado da TAG, assim como o acompanhamento médico, pode promover melhora significativa na qualidade de vida do paciente, reduzindo a manifestação dos sintomas.

Referências

DSM-V, American Psychiatric Association - Manual de Diagnóstico e Estatístico de Distúrbios Mentais 5ªed. Edit. Artes Médicas

Priscila Zempulski Dossi, médica psiquiatra, CRM 7271