Teste do pezinho: Para que serve e quando fazer

O teste do pezinho detecta diversas doenças; ele é obrigatório e não oferece riscos à saúde do bebê

O que é teste do pezinho?

A triagem neonatal, ou Teste do Pezinho, é um exame feito a partir de sangue coletado do calcanhar do bebê. Ele permite identificar e impedir o desenvolvimento de doenças genéticas ou metabólicas que podem desencadear deficiência cognitiva e comprometer a qualidade de vida da criança.

O exame é feito no calcanhar por ser uma área bastante irrigada do corpo humano, facilitando assim a realização da triagem.

O teste do pezinho pode diagnosticar condições de saúde como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

É importante fazer o teste do pezinho em todos os recém-nascidos, uma vez que as doenças identificadas pelo exame não apresentam sintomas ao nascimento. Caso não sejam tratadas cedo, elas podem levar à deficiência intelectual e causar sérios prejuízos para a qualidade de vida da criança.

Hoje em dia, o Teste do Pezinho Básico é obrigatório por lei em todo o território nacional. Alguns municípios, inclusive, não permitem que a criança seja registrada em cartório se não tiver feito o exame anteriormente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diversas maternidades já fazem o teste rotineiramente, antes da alta hospitalar, após as 48 horas de vida do bebê. Procure saber se isto é feito na maternidade onde o bebê nasceu. Caso o teste ainda não tenha sido realizado, basta procurar o posto de saúde mais próximo.

Quando fazer o teste do pezinho?

Todas as crianças recém-nascidas devem realizar o Teste do Pezinho após as primeiras 48 horas do nascimento e até o 5º dia de vida. Deve-se esperar esses dias porque algumas doenças podem não ser detectadas nas primeiras horas de vida do bebê.

Como é feito o teste do pezinho?

Para o Teste do Pezinho, é coletada uma amostra de sangue a partir do calcanhar do bebê, que é enviada para análise. O exame é feito no calcanhar porque, além de ser uma região menos dolorosa, a área é rica em vasos sanguíneos, facilitando a coleta.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Contraindicações

Não há contraindicação para a realização do Teste do Pezinho.

Teste do pezinho no SUS

O Teste do Pezinho Básico é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), podendo ser feito gratuitamente nos hospitais ou em qualquer unidade de saúde.

Atualmente, o teste que o SUS realiza engloba seis doenças. No entanto, no dia 26/05/2021 o presidente Jair Bolsonaro sancionou, em cerimônia no Palácio do Planalto, o projeto de lei (PL) que amplia o número de doenças rastreadas pelo teste do pezinho.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Dessa forma, com a nova PL, agora sancionada, o exame do pezinho vai englobar 14 grupos de doenças, que podem identificar até 53 tipos diferentes de enfermidades e condições especiais de saúde.

Vale lembrar que a rede privada já disponibiliza versões mais completas do teste, que podem rastrear até 50 doenças, desde metabólicas, genéticas e infecciosas, como a toxoplasmose congênita. E agora a rede pública também vai poder oferecer esse exame mais ampliado.

Teste do pezinho: Para que serve e quando fazer

Implementação da nova lei

A ampliação do teste será feita gradualmente. O Ministério da Saúde está responsável pelo prazo de inclusão do rastreamento das novas doenças. As mudanças entraram em vigor somente em 365 dias após a publicação do texto, que será a partir de maio de 2022.

Primeira etapa de implementação: além das seis doenças detectadas pelo teste do pezinho atualmente, o exame será ampliado detectar outras doenças relacionadas ao excesso de fenilalanina e de patologias relacionadas à hemoglobina (hemoglobinopatias), além de incluir os diagnósticos para toxoplasmose congênita.

Segunda etapa de implementação: serão acrescentadas as testagens para galactosemias; aminoacidopatias; distúrbios do ciclo da uréia; e distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos.

Terceira etapa de implementação: serão incluídas as testagens de doenças lisossômicas, aquelas que afetam o funcionamento celular.

Quarta etapa de implementação: serão adicionadas as testagens de imunodeficiências primárias, ou seja, problemas genéticos no sistema imunológico.

Quinta etapa de implementação: será testada a atrofia muscular espinhal.

Tipos de teste do pezinho e doenças diagnosticadas

A quantidade de possíveis doenças diagnosticadas com o teste do pezinho depende do tipo de exame que é realizado. Um deles pode diagnosticar até 6 doenças, e o outro pode detectar um número maior, chegando a detectar até 50 doenças. Os tipos de testes do pezinho são:

Teste do pezinho básico

Esse tipo de teste do pezinho pode ser realizado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde e também pela saúde suplementar. Mas a partir de maio de 2022, a nova lei promete ampliar o teste pelo SUS. Por enquanto, o exame gratuito pode detectar 6 tipos de doenças:

Fenilcetonúria: é uma doença rara, congênita e genética, na qual a pessoa nasce sem a capacidade de quebrar adequadamente moléculas de um aminoácido chamado fenilalanina. Uma pessoa com Fenilcetonúria nasce com a atividade prejudicada da enzima que processa fenilalanina em tirosina.

Hipotireoidismo congênito: é um problema no qual a glândula da tireoide não produz hormônios suficientes para a necessidade do organismo. Alguns casos são desencadeados por um mal desenvolvimento da tireoide, que aconteceu intra-útero, ou seja, durante a gestação.

Para esses casos, os especialistas deram o nome de hipotireoidismo congênito. Crianças com essa forma da doença podem não apresentar quaisquer sintomas depois do nascimento, o que pode causar complicações no futuro.

Fibrose cística: também conhecida como mucoviscidose, é uma doença genética, hereditária, autossômica e recessiva, ou seja, passa de pai/mãe para filho(a). Sua principal característica é o acúmulo de secreções mais densas e pegajosas nos pulmões, no trato digestivo e em outras áreas do corpo.

Hemoglobinopatias (doenças de sangue, como a anemia falciforme): é uma doença hereditária (passa dos pais para os filhos) caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, tornando-os parecidos com uma foice, daí o nome falciforme.

Essas células têm sua membrana alterada e rompem-se mais facilmente, causando anemia. A hemoglobina, que transporta o oxigênio e dá a cor aos glóbulos vermelhos, é essencial para a saúde de todos os órgãos do corpo.

Hiperplasia adrenal congênita: doença causada pela deficiência da enzima 21 hidroxilase que está envolvida na produção de vários hormônios da glândula suprarenal. Nas meninas esse tipo de condição pode causar genitália ambígua e, nos meninos, puberdade precoce

Deficiência de biotinidase: distúrbio causado pela falta de enzimas de biotinidase. Essas enzimas são responsáveis pela absorção e regeneração orgânica da biotina, uma vitamina que pode ser encontrada na alimentação

Teste do pezinho ampliado

Esse tipo de teste tem a capacidade de detectar uma quantidade maior de doenças que a versão básica do teste. Atualmente existem duas versões do teste do pezinho ampliado. Confira a seguir cada uma delas:

Teste do Pezinho Mais ou Ampliado

Além do que se detecta no teste básico, inclui mais quatro diagnósticos:

Deficiência de G-6-PD: Esse tipo de condição causa quadros hemolíticos com anemias de intensidade variável que podem surgir durante as infecções ou contato com certos medicamentos

Galactosemia: é o nome dado à condição caracterizada pela incapacidade do organismo de metabolizar a galactose em glicose.

A galactose é um açúcar monossacarídeo, obtido a partir da hidrólise da lactose, o açúcar natural do leite. Sua função é puramente energética e é o principal carboidrato responsável pela formação do antígeno do grupo sanguíneo B

Leucinose: é uma doença que desencadeia convulsões, vômitos e falta de ar. É causada por uma deficiência da enzima de desidrogenase alfacetoácida, responsável pelo metabolismo de leocina.

Toxoplasmose Congênita: Doença que pode causar calcificações cerebrais no paciente. Além disso, causa deficiência intelectual, convulsões, coriorretinite e microcefalia

Teste do Pezinho Super

Esse tipo de teste é capaz de fazer a triagem de 48 doenças. Além das condições identificadas no teste do pezinho convencional e no Mais, ele identifica outros 38 tipos de doenças.

Teste do Pezinho para SCID

Essa opção de teste consegue identificar um grupo de doenças genéticas que impedem a criação de células de defesa T e/ou B, nem de anticorpos protetores. O teste pode ser realizado junto com os outros testes descritos acima.

A quantidade e especificação das doenças investigadas pelos testes mais avançados dependerão do hospital. Quais dessas serão incluídas no teste dependerão do laboratório ou hospital que disponibiliza o exame.

Resultado do teste do pezinho

Em alguns casos, o hospital ou laboratório pode requerer a repetição do teste para confirmar o diagnóstico. Caso o Teste do Pezinho dê positivo para alguma das doenças investigadas, a família deverá ser orientada sobre o tratamento e cuidados a partir daquele momento.

Tempo de duração da coleta do exame

A coleta do Teste do Pezinho dura alguns minutos, tempo da amostra de sangue ser coletada.

Periodicidade do exame

O exame é feito apenas uma vez após o nascimento da criança. Caso seja detectada alguma alteração, o Teste do Pezinho deve ser repetido conforme orientação do hospital ou da equipe médica.

Riscos e efeitos colaterais

O Teste do Pezinho não traz nenhum risco ou efeito colateral para o bebê.

Fonte consultada

APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) DE SÃO PAULO.