PUBLICIDADE

Hipocloridria: o que é, causas, sintomas e tratamento

Doença estomacal está relacionada ao uso de medicamentos, gastrites e outros fatores

O que é hipocloridria

A hipocloridria é uma queda da produção de ácido clorídrico (HCl) no estômago, que leva a desconfortos gástricos no corpo do paciente. Sua causa está ligada a gastrite, uso de medicamentos e doença autoimune, entre outros quadros de saúde, e tem como principal complicação a possibilidade de desenvolvimento de câncer no órgão.

Causas da hipocloridria

Tudo o que provoca a diminuição da produção de ácido clorídrico no estômago pode desencadear a hipocloridria. A gastrite atrófica, ou gastrite autoimune, é a causa mais comum desta condição, de acordo com Bruno Zilberstein, gastroenterologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

"Esse tipo de gastrite é causada pelo envelhecimento, que leva à diminuição das células produtoras de ácido", afirma o especialista. Ele ainda aponta a hipocloridria como uma reação consequente à diminuição de estímulos hormonais a partir da hipófise.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O uso de medicamentos, como o omeprazol, antidepressivos, antiespasmódicos e demais remédios que interferem nos níveis de HCl do corpo, também podem causar a hipocloridria, segundo Ricardo Barbuti, gastroenterologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O surgimento da doença pode estar relacionado ainda com uma infecção pela bactéria H. pylori, que leva à formação de úlceras no estômago e redução de ácido clorídrico no órgão. Cirurgias bariátricas em que o chamado nervo vago é rompido também levam à hipocloridria.

Diferença entre gastrite e hipocloridria

Embora ambas atuem no estômago, a gastrite e a hipocloridria são doenças diferentes. A primeira se refere a qualquer inflamação desenvolvida no estômago. Já a hipocloridria, como visto, é um quadro estomacal definida pela diminuição na produção de ácido clorídrico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Há casos em que as duas condições podem estar relacionadas, uma vez que um quadro de hipocloridria pode causar gastrite. "A falta de ácido clorídrico leva à má absorção das proteínas. Essa má digestão causa uma inflamação da parede do estômago, gerando a gastrite. Além disso, esse quadro pode piorar quando a bactéria H. Pylori se instala no órgão", explica o cirurgião geral e bariátrico André Augusto Pinto.

Sintomas de hipocloridria

Os sintomas mais comuns da hipocloridria são as sensações de má digestão e empachamento, com desconforto na parte superior do abdômen. É possível sentir também gases em excesso e digestão lenta. Outros possíveis sinais da doença são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores de risco

A hipocloridria é mais comum em idosos, pois o envelhecimento natural das células contribui para o surgimento da doença. O médico Ricardo Barbuti destaca ainda o fato de mães com infecção por H. Pylori transmitirem a bactéria para os filhos durante a gravidez, o que pode levar a um quadro de hipocloridria precoce. Outros fatores de risco para a doença são:

-Estresse;Presença de outras doenças autoimunes;Uso de alguns medicamentos;Uso de remédios inibidores de ácido clorídrico com grande frequência

Diagnóstico

Atualmente, o diagnóstico da hipocloridria é feita a partir do histórico do paciente e dos sintomas apresentados ao médico. Exames laboratoriais também são utilizados para complementação diagnóstica, como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Complicações da hipocloridria

Uma possível complicação da hipocloridria é o desenvolvimento de câncer de estômago. De acordo com Ricardo Barbuti, quanto menos ácido é produzido no órgão, maior a chance de surgimento de tumores.

Outro fator que leva à possibilidade de câncer é a produção de gastrina, em casos de gastrite autoimune. Trata-se de uma substância endócrina que atua eliminando células do estômago e causando lesões nas paredes do órgão.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento para hipocloridria

O tratamento da hipocloridria depende da causa que leva ao declínio de ácido clorídrico no estômago. Se o quadro está relacionado ao uso de remédios inibidores, por exemplo, o tratamento consiste em interromper a ingestão desses medicamentos.

Se a queda de HCl no organismo se deve à infecção pela H. Pylori, é preciso tratar o quadro infeccioso e tentar remediar as lesões estomacais. Nestes casos, geralmente, é feito o uso de dois antibióticos em conjunto e o médico ainda pode receitar outros medicamentos para suprimir a produção de ácido pelo estômago, promovendo a cura das feridas causadas pela bactéria.

Hipocloridria tem cura?

A hipocloridria é uma doença que tem cura dependendo da causa que desencadeia a queda na produção de ácido clorídrico. Desse modo, é possível curar casos desenvolvidos por infecção de H. Pylori, pelo uso de medicamentos ou por uma gastrite comum - já que basta tratar esses quadros clínicos para que os níveis de HCl voltem ao normal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Entretanto, não é possível curar a gastrite autoimune. Nesses casos, os médicos tentam aliviar os sintomas causadas pela doença e pela hipocloridria - como os desconfortos estomacais, correção dos níveis de vitamina B12, ferro, entre outras possibilidades.

Pacientes que tiveram o nervo vago rompido em cirurgia bariátrica e desenvolveram a hipocloridria também não conseguem alcançar a cura total do quadro, uma vez que não é possível restabelecer o nervo lesionado.

Convivendo com a hipocloridria

Para quem precisa conviver com a hipocloridria, a recomendação dos médicos é a adoção de uma dieta que favoreça uma digestão mais fácil, com alimentos menos gordurosos e alta ingestão de fibras.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"É aconselhável mudar a dieta, evitando frituras, abuso de álcool e consumo de café", diz Bruno Zilberstein. Outros hábitos saudáveis que contribuem para o bem-estar do paciente com a doença são a prática de atividade física e evitar o tabagismo.

Referências

Bruno Zilberstein, gastroenterologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo - CRM: 19.827

Ricardo Barbuti, gastroenterologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz - CRM: 66103

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

André Augusto Pinto, cirurgião geral e bariátrico - CRM: 78136