PUBLICIDADE

Sialotíase: saiba o que é, sintomas, causa e tratamento

Quadro é caracterizado pelo depósito de cálculos de cálcio nas glândulas e ductos salivares. Entenda

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

O que é sialotíase?

A sialolitíase é um quadro clínico caracterizado pela formação de cálculos de cálcio dentro da glândula ou do ducto salivar. Ao todo, o corpo possui três glândulas principais: a parótida, submandibular e sublingual.

Foto:  janulla/GettyImages
Foto: janulla/GettyImages

De acordo com André Freire Kobayashi, otorrinolaringologista na Clínica Dolci, normalmente a glândula submandibular é a mais acometida pela sialolitíase, seguida da glândula parótida e da sublingual.

"A sialolitíase pode ocorrer ainda nas glândulas salivares menores (como na região do lábio superior e na mucosa oral)", diz Kobayashi.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas da sialolitíase

Os cálculos formados na sialolitíase obstruem o fluxo salivar e causam aumento de volume no assoalho da boca e/ou no pescoço. Além disso, o quadro apresenta sintomas como:

A intensidade dos sintomas pode variar de acordo com o grau de obstrução da glândula e com a quantidade de pressão negativa produzida no seu interior. É possível, ainda, que em alguns casos a pessoa seja assintomática.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas da sialolitíase

A causa da sialolitíase não é bem definida. "Acredita-se que haja deposição de sais de cálcio associada à estase salivar (deposição), lesão e inflamação da mucosa do ducto salivar. Pode estar relacionada ainda à própria morfologia da glândula", diz Kobayashi.

O desenvolvimento dos cálculos não tem relação com nenhum transtorno sistêmico do cálcio, pontua o otorrinolaringologista.

Fatores de risco para a sialolitíase

A sialolitíase pode ocorrer em qualquer faixa etária, embora seja mais comum na idade adulta e no sexo masculino.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os fatores de risco para o seu desenvolvimento são:

Diagnóstico para a sialolitíase

O diagnóstico é feito por meio do exame físico, com palpação do cálculo com as mãos em consulta médica. O ultrassom e a tomografia computadorizada são exames de imagem que podem ser úteis e ajudar no processo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sialolitíase tem cura?

Uma vez diagnosticada a causa da sialolitíase, sua cura é possível. Há casos em que o quadro se torna recorrente e é preciso investigar o porquê.

Tratamento para sialolitíase

Geralmente, o tratamento para a sialolitíase envolve a administração de analgésicos, anti-inflamatórios e, eventualmente, antibióticos.

Cálculos pequenos podem ser, muitas vezes, tratados de maneira conservadora, com massagem da glândula, uso de sialogogos (medicamentos que estimulam o fluxo salivar), aplicação de calor local e aumento da ingestão de líquidos - fatores que podem promover a expulsão do cálculo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Existe ainda a opção de remoção do cálculo por meio da chamada sialoendoscopia. "Coloca-se um endoscópio no ducto salivar para ver o que está acontecendo. Normalmente, a sialoendoscopia consegue tratar a estenose", diz Giulianno Molina, cirurgião de cabeça e pescoço da BP-A Beneficiência Portuguesa.

Complicações possíveis

Via de regra, cálculos de até 7mm podem ser retirados com a ajuda da sialoendoscopia. Quando a pedra ultrapassa esse tamanho, Molina explica que o tratamento pede intervenção cirúrgica e remoção da glândula salivar. "Pode virar um abscesso e causa alterações que podem levar a uma xerostomia (boca seca pela baixa produção salivar)", diz o médico.

Foto: Rupert Weidemann/GettyImages
Foto: Rupert Weidemann/GettyImages

A remoção da glândula salivar pode levar a problemas secundários à sua ausência, como problemas na dentição (cáries), no sono (por causa da boca seca), entre outros impactos causados pela falta de produção de saliva.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências

MSD Manuals

Giulianno Molina, cirurgião de cabeça e pescoço da BP-A Beneficiência Portuguesa - CRM/SP 79.105

André Freire Kobayashi, otorrinolaringologista na Clínica Dolci - CRM/SP 184754

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Doenças da boca

12 doenças que se manifestam pela boca: como identificar?

6 condições de saúde que podem ser agravadas pela má higiene bucal

Preste atenção nos sinais que a boca dá para a saúde do organismo

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)