Proteja a saúde do corpo todo com a dieta ideal

Monte um cardápio que fortalece do coração aos rins

POR LAURA TAVARES - ATUALIZADO EM 18/10/2016

A primeira regra para quem deseja ser saudável é conhecer o próprio corpo. Você sabe, por exemplo, quando irá acordar com dores musculares por conta do esforço físico excessivo no dia anterior. Consegue prever também períodos em que tem sua imunidade não está lá grande coisa e a chance de contrair um resfriado aumenta.

Mas outro ponto fundamental para o bom funcionamento do organismo é a alimentação. Existem nutrientes especiais para fortalecer o coração, o intestino e os rins, por exemplo. Incluir essa turma no cardápio faz todo o seu metabolismo render mais e, em consequência, a saúde como um todo sai ganhando. Com o auxílio de nutricionistas, o Minha Vida elaborou um cardápio com o que entra e o que sai do prato de quem quer deixar o corpo a todo vapor.

Coração

Dentro do prato: óleos de origem vegetal, como o de soja; peixes, como o salmão e vegetais verde-escuros, como a rúcula são ricos em ômega-3. "Esse ácido graxo ajuda não só a aumentar os níveis de colesterol bom (LDL) como ainda reduz o colesterol ruim (LDL), funcionando como um protetor cardíaco", afirma a nutricionista Cátia Medeiros, da clínica Atual Nutrição, em São Paulo. Outros alimentos bem-vindos são aqueles fonte de resveratrol, substância antioxidante presente na uva e que combate radicais livres, prevenindo a degeneração do coração. Não se esqueça de consumir leite e derivados, pois o cálcio atua no controle da frequência cardíaca. Mas prefira sempre versões com menos gordura ou desnatadas.

Fora do prato: alimentos embutidos ou ricos em gordura animal, como salame, bacon, leite integral e queijos amarelos devem ficar de fora do prato de quem quer proteger o coração, pois eles aumentam o colesterol ruim, podendo entupir as artérias, afirma a nutricionista Daniela Cyrulin, da Nutri & Consult, em São Paulo. Além disso, a ingestão de sódio deve ser controlada para não favorecer o desenvolvimento da hipertensão. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, o brasileiro consome, em média, 12 gramas de sal por dia, quando o recomendado são apenas 6 gramas.