Alimentos com alto índice glicêmico e laticínios provocam acne

Consumir chocolate e leite favorece surgimento de espinhas

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 21/02/2013

Um estudo publicado ontem (20) no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics trouxe à tona uma antiga discussão sobre a possível relação entre acne e dieta. Apesar de muitos considerarem mito a ideia de que comer chocolate, por exemplo, causa espinhas, pesquisadores da New York Medical College e da New York University encontraram fortes indícios de que a ligação realmente exista. Para eles, alimentos com alto índice glicêmico e laticínios têm influência sobre os níveis hormonais de um indivíduo, o que poderia gerar alterações na pele.

A equipe de especialistas envolvida fez uma vasta revisão da literatura para entender como as diferentes gerações encaravam a relação entre alimentação e espinhas. Eles ainda buscaram informações de estudos entre 1960 e 2012. Os textos mostraram que desde o final de 1800, a acne tem sido associada ao consumo de chocolate, açúcar e gordura. Entretanto, no início da década de 1960, começam a surgir pesquisas dissociando o problema da dieta.

Entretanto, a análise deu origem a seguinte conclusão: alimentos de alto índice glicêmico, como doces e laticínios, podem aumentar o aparecimento de espinhas. A possível explicação seria o fato de que doces sejam rapidamente absorvidos na corrente sanguínea, o que influenciaria os níveis hormonais e desencadearia a produção excessiva de sebo. No caso do leite e de seus derivados, o próprio alimento já carrega hormônios.

Casos mais graves de acne podem prejudicar a vida social do indivíduo, gerando ansiedade e depressão. Por isso, buscar tratamento aos primeiros sinais da acne pode ser fundamental para a saúde física e mental. A seguir, confira algumas dicas para evitar a acne:

Atenção ao protetor solar

Escolha um protetor solar que seja oil free. Esses produtos não têm óleos na sua composição e, por isso, não favorecem a obstrução dos poros, que favorece o aparecimento de espinhas. Esta dica cabe para todos os tipos de pele, e não só para quem tem pele oleosa.

Apesar disso, Cláudio Mutti sempre recomenda que a pessoa faça um teste com diversos tipos de protetor para ver qual se adapta melhor a própria pele. As apresentações em mousse, spray e gel, por terem toque mais seco, também podem ser boas opções.

Anderson Zei, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Laser, explica que nenhum tratamento estético específico para acne está totalmente contraindicado no verão. É preciso, apenas, tomar algumas precauções. Evite a exposição ao sol entre as 10 e 16 horas, use sempre chapéus e filtro solar com fator de proteção mínimo de 30.