Leite materno é fundamental para a saúde do bebê

Todos os anos, em Agosto, ocorre a semana da amamentação. Em 2007 o tema é a importância do contato mãe-bebê ainda na sala do parto. Amamentar ao nascimento, sem nenhum impedimento!

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 21/08/2007

Daniela Jobst
Nutrição - CRN 13312/SP
especialista minha vida

O leite materno é o alimento mais completo que existe e é muito importante para o desenvolvimento sadio do bebê. Fatores como a inteligência e a prevenção de doenças ao longo de nossas vidas estão ligados à amamentação materna que recebemos quando criança.

Sua composição é específica e sutilmente modificada de acordo com a necessidade do lactente. Em todos os mamíferos, os nutrientes e, em especial, as proteínas do leite produzido, são para estimular, nesta espécie, o melhor crescimento e desenvolvimento orgânico e funcional.

Quanto mais a tecnologia nos oferece mais conhecimentos específicos sobre a composição e as funções do leite materno, mais esforço é despendido em relação ao aleitamento materno pelo maior tempo possível, pelos quais já foram comprovados os inúmeros benefícios que isto trará para o resto da vida do bebê.

O leite materno é um líquido rico em gordura, proteína, carboidratos, minerais, vitaminas, enzimas e imunoglobulinas que protegem contra várias doenças.

Composto por 87% de água e 13% de uma poderosa combinação de elementos fundamentais para o crescimento e desenvolvimento da criança, a prepara adequadamente para aceitar e utilizar os alimentos que serão introduzidos gradualmente, a partir de um mecanismo imunológico perfeito, desenvolvido a partir das substâncias nele presentes.

O leite humano também é rico em leucócitos e anticorpos que protegem o bebê contra infecções e alergias e possui fatores de crescimento que aceleram a maturação intestinal, também prevenindo alergias e intolerâncias. A vitamina A presente no leite materno previne e/ou reduz a gravidade de algumas infecções e previne doenças oculares causadas por sua deficiência.

A grande quantidade de ácidos graxos de cadeia longa são importantes para o desenvolvimento e mielinização do cérebro. Os ácidos araquidônico e linoléico, fundamentais na síntese de prostaglandinas, existem em maiores concentrações no leite humano do que no leite de vaca. O principal açúcar do leite materno é a lactose, porém, mais de 30 açúcares já foram identificados no leite humano, como a galactose, frutose e oligossacarídeos, com ação bifidogênica comprovadamente muito maior do que os do leite de vaca.

É ideal que se amamente o bebê até que complete 6 meses de idade, o que traz benefícios não só à criança, mas para a mãe também, que tem o risco reduzido de contrair câncer de mama e ovário e volta ao peso normal mais rapidamente.

Em um estudo em Cambridge, Reino Unido, com 926 bebês que foram acompanhados por 5 anos, foi demonstrado que quanto maior o tempo de consumo do leite materno, maior o nível de mineralização óssea aos 5 anos, com uma diferença de até 38% em relação aos que receberam fórmulas infantis, apesar das mesmas terem uma

proporção maior de cálcio. proporção maior de cálcio.

Veja abaixo os principais mecanismos imunológicos do leite materno:

Componentes

Mecanismo

IgA Secretora

Impermeabilização antisséptica das mucosas (digestiva, respiratória, urinária)

Lactoferrina

Ação Bacteriostática (retirada de ferro)

Lisozima

Ação bactericida (Lise das bactérias)

Macrófagos

Fagocitose (engloba as bactérias)

Fator bífido

Lactobacilos ácidos orgânicos: bactericida





Você amamentou o seu bebê por quanto tempo?



PUBLICIDADE